Tag Outros Olhares

BigBandRags-scaled.jpg

Destaques de 30 de Novembro

Chegados ao último dia da XXV edição do Festival Caminhos do Cinema Português, o Teatro Académico Gil Vicente será palco de uma cerimónia de encerramento às 21h:45 com a participação da banda RAGS da Tuna Académica da Universidade de Coimbra.

A Big Bang Rags surgiu no seio da Tuna Académica da Universidade de Coimbra em 1995, pela mão do seu então director artístico André Granjo. Consistindo originalmente num grupo de Ragtime com cerca de dez músicos, ao longo dos anos foram-se juntando mais elementos e foi gradualmente surgindo o formato de Big Band, formalizado em 1999, e que se mantém até hoje. Conhecida pelo seu estilo irreverente e pelo entusiasmo em palco, a Big Band Rags hoje dedica-se maioritariamente ao jazz e à música ligeira, incluindo ainda no seu repertório alguns êxitos do funk, soul e da música portuguesa.

Este evento contará com a entrega de prémios aos filmes em competição, estando presentes os jurados do festival, os vencedores e vários ilustres do panorama do cinema nacional.

Destaque para a carta branca a João Salaviza com uma sessão especial às 15h00 no Mini-Auditório Salgado Zenha. Lotação muito limitada. 

saber mais

Variacoes-Img-PST-2.jpg

Destaques de 28 de Novembro

Hoje, dia 28 de novembro exibimos, às 21:45, o filme “Variações”; o retrato de António Ribeiro, barbeiro e figura lisboeta na busca pelo seu sonho de ser cantor e compositor. Na sessão contamos com a presença do realizador João Maia que estará disponível para uma sessão de perguntas e respostas moderada por Sandra Bettencourt. Às 18:00 João Maia apresentará “o seu cinema” numa conversa moderada por Sérgio Dias Branco na Sala do Carvão da Casa das Caldeiras. 

saber mais

Campo-Img-PST-2.jpg

Destaques 27 de Novembro

A 27 de Novembro recebemos, na sessão das 21h45 da Selecção Caminhos as presenças de Tiago Hespanha, realizador de “Campo”, e João Manso, realizador de “História Secreta da Aviação”, ambos produções da Terratreme. 

À tarde, na sessão das 15h00, “18” terá o seu realizador Rui Esperança presente, bem como “Gabriel” será representado pelo seu realizador “Nuno Bernardo”, pelo Director de Fotografia, Pedro Negrão e pela actriz Ana Marta Ferreira. A actriz Soraia Chaves representa a curta-metragem Moscatro. Esta sessão é reposta às 22h00 nos Cinemas do Alma Shopping. 

Às 17h30 os Caminhos exibem a última animação de Regina Pessoa, “Tio Tomás, A Contabilidade dos Dias”, “Lá Fora as Laranjas Estão a Nascer” de Nevena Desivojević e “Alva”, do realizador Ico Costa.

saber mais

image-2.png

Destaques 26 de Novembro

No dia 26 de novembro, o Festival Caminhos do Cinema Português na Seleção Caminhos apresenta “Invisível Herói” de Cristèle Alves Meira. Esta curta conta a história de Duarte invisual de 50 anos que procura por Leandro, o seu amigo imigrante cabo-verdiano desaparecido. Também inserido nesta sessão é apresentado o documentário “Serpentário” de Carlos Conceição. Um viajante chega vindo do céu à procura de redenção. A história avança com uma narração que se divide entre a voz do protagonista sem nome e uma voz feminina, de quem não se conhece o rosto ou condição. A sessão começa às 21:45 no Teatro Académico de Gil Vicente. Referência ainda para Linhas Tortas, de Rita Nunes, às 15:00.

É um dia recheado de convidados especiais que possibilitam ao público o contacto directo com os criadores do nosso cinema. Estarão presentes Mariana Gaivão, realizadora do filme “Ruby”, Rui Esperança, realizador de “Os Inúteis” e “18”, bem como Marta Fatal e Rafael Marques, também do filme “Os Inúteis”, representando o “Último Acto”, a realizadora Maria Hespanhol e Ricardo Almeida, e, por fim, Cristèle Alves Meira, realizadora, e Duarte Pina, actor, de “Invisível Herói. 

saber mais

Destaques de 25 de Novembro

O Teatro Académico Gil Vicente recebe, no dia 25 de novembro, às 21h45, “O Mar Enrola na Areia”, de Catarina Mourão, que conta a história de ‘Caititinha’. De barbas brancas e apito, vagueava e atraía crianças do areal, pelas praias portuguesas, nos anos 1950, e “Prazer, Camaradas”, de José Filipe Costa, um documentário sobre a vida no Ribatejo após o 25 de abril.

Antes, às 17h30, a realizadora Luísa Homem irá apresentar Suzanne Daveau, um documentário em torno da geógrafa franco-portuguesa que traça o esboço de uma mulher aventureira que atravessa o século XX, até aos dias de hoje, guiada pela paixão da investigação geográfica. O filme circula entre os inúmeros espaços-mundo percorridos pela geógrafa e os reservados espaços-casa que acolheram a sua vida privada.

saber mais

726889.jpg

Destaques de 24 de Novembro

O Festival Caminhos do Cinema Português exibe, no dia 24 de novembro às 21h45, o filme “Vitalina Varela”. 55 anos de idade, 25 à espera de um bilhete de avião. Vitalina regressa a Portugal três dias após o funeral do marido. A sessão terá a presença de Leonardo Simões, Diretor de fotografia.

saber mais

olhares_preto-01-1.png

Selecção Outros Olhares (2019)

“A única coisa verdadeira é a memória. A memória é uma invenção, no cinema a câmara pode fixar um momento, mas esse momento já passou, no fundo o que ele traça é um fantasma desse momento e já não temos a certeza se esse momento existiu fora da película. Ou a película é uma garantia da existência desse momento?”
É com estas palavras que o decano dos realizadores portugueses de então, Manoel de Oliveira irrompe no filme de 1994 Lisbon Story de Wim Wenders. A questão da memória e a sua relação com o cinema é uma questão essencial para compreender as bases onde o cinema documental acenta. Quando Niépce captou a que hoje consideramos a primeira fotografia da história por volta de 1826 e mais tarde os irmãos Lumière em 1895 ao produzirem pela primeira vez a imagem em movimento teriam eles noção do impacto em que teriam para a humanidade e para a noção desta de memória?

saber mais

cropped-44389327140_7b8de346db_o.jpg

Até 31 de Julho reduzimos 50% no valor da inscrição.

Os Caminhos do Cinema Português têm ao longo dos últimos anos aprenderam e transformaram-se ao longo de um íntimo diálogo com a massa crítica resultante da produção nacional, da promoção do ensino e da investigação cinematográfica e dos diálogos interculturais e inter-artes que daí resultam. A passos largos são construídos os Caminhos naquela que será a sua 25.ª edição, a realizar-se de 22 a 30 de novembro.

Até 31 de julho aberta a convocatória de filmes nacionais (Competições; Selecção Caminhos, Ensaios e Outros Olhares, Secções Paralelas; Juniores, Séniores) e internacionais (Competição Seleção Ensaios e Secção Paralela Caminhos Mundiais), podendo a inscrição ser realizada na plataforma http://filmfreeway.com/caminhos

saber mais

Aparição-still-3-scaled.jpg

Antevisão dia 27 de Novembro

Os Caminhos do Cinema Português chegam ao seu quarto dia com três longas-metragens a serem exibidas no âmbito da competição oficial; Aparição, de Fernando Vendrell será a primeira naquela que é a adaptação cinematográfica da obra de Vergílio Ferreira seguida, ao final da tarde, pela longa-metragem Os Dois Irmãos, de Francisco Manso numa adaptação da obra do escritor luso-cabo-verdiano Germano de Almeida estando reservada para o final da noite Cabaret Maxime, a mais recente longa-metragem de Bruno de Almeida com um elenco onde se destacam as presenças de Michael Imperioli, Ana Padrão actriz já premiada nos Caminhos em 2016, John Ventimiglia e Celeste Rodrigues.
Mas não são só as longas-metragens que marcam o dia sendo também exibidas um conjunto de curtas-metragens onde se destacam as inspiradas animações 28 de Outubro, de Tiago Albuquerque e Porque Este é o Meu Ofício, de Paulo Monteiro bem como as ficções California, de Nuno Baltazar, Maria, de Catarina Neves Ricci e Pródigo, de João Lourenço todas elas a versar sobre um conjunto de personagens nas margens da sociedade que tentam desesperadamente sobreviver num mundo que não parece receptivo aos seus desejos.

saber mais