Colaborações

Ao longo da nossa história tivemos a sorte contarmos com a colaboração reconhecidas individualidades das mais variadas áreas do saber.

  • Secretário de Estado da Cultura

    Secretário de Estado da CulturaJorge Barreto Xavier

    Os Caminhos do Cinema Português têm uma importância fundamental na divulgação dos filmes nacionais produzidos nos anos mais recentes.

    Sendo Coimbra uma cidade que convoca várias sinergias, uma vez que tem uma população estudantil significativa e se situa no centro geográfico do país, é o lugar privilegiado para este encontro anual da cultura cinematográfica nacional e, por conseguinte, de confraternização dos criadores com o público já fidelizado.

    É pois com grande satisfação que se saúda mais uma edição dos Caminhos do Cinema Português e a sua organização, esperando que obtenha o maior sucesso junto de todos quantos se interessam pela produção cinematográfica do nosso País.

  • Sua Excelência O Ministro da Cultura

    Sua Excelência O Ministro da CulturaLUÍS CASTRO MENDES

    Cinema português é sinónimo de diversidade e qualidade: de autores, de géneros, de temas, de abordagens técnicas, de linguagens e de profissionais do setor. É nestas características que o Cinema, enquanto parte da identidade cultural portuguesa, reflete a importância de entender a Cultura como um valor transversal, de acesso democrático.   O festival Caminhos do Cinema Português tem vindo a consolidar a sua importância como catalisador destes princípios, ao democratizar o acesso à Cultura, descentralizando a sua oferta e contribuindo para a construção de novos públicos, cada vez mais interessados, informados e exigentes. Este é o 23º ano em que, através deste Festival, a diversidade e a qualidade do cinema nacional se reúnem num espaço comum, mostrando que os muitos caminhos da cinematografia podem convergir num único ponto de encontro, onde todo o cinema é português. Por tudo isto se saúda, mais uma vez, a organização do Caminhos do Cinema Português, com certeza de que esta edição que agora se reveste, igualmente, de grande e elevado interesse que têm vindo a pautar este Festival.

  • Pedro Ribeiro

    Pedro RibeiroJornalista

    Natural de Coimbra, ainda jovem, resolveu seguir a carreira de jornalista. Começou numa rádio pirata, passou pelo Diário de Coimbra, TSF, Jornal de Coimbra e Jornal O Jogo. No início dos anos 90 esteve em Espanha onde em Jerez de la Frontera - Sevilha, fez estágio na rádio e televisão Onda Jerez. Ao mesmo tempo tirou o curso de Espanhol.

  • Ricardo Esteves

    Ricardo EstevesYoutuber & Designer

    Ricardo Esteves é um jovem entertainer, humorista, músico e designer gráfico. Nasceu em Coimbra no ano de 1993, onde estudou Artes Visuais e veio, mais tarde, a iniciar uma promissora carreira como YouTuber em 2012, plataforma onde criou mais de 1300 vídeos para mais de 50 mil seguidores, tendo-se especializado assim na área das artes audiovisuais e na respetiva manipulação digital, edição e composição de imagem, abrangendo fotografia, vídeo, som e design. Fundou um podcast humorístico onde entrevistou figuras conhecidas, escreveu guiões e músicas originais, gravou anúncios, deu concertos, e marcou presenças em escolas e eventos oficiais, programas de televisão, revistas, jornais e rádios. Apaixonado pelo cinema, pela fotografia, pela música e pelas artes multimédia no geral, visa aprofundar cada vez mais o seu leque de conhecimentos e de competências nestas áreas. Atualmente, estuda Comunicação e Design Multimédia na Escola Superior de Educação de Coimbra e trabalha como designer gráfico em freelance.

  • Sua Excelência O Primeiro-Ministro

    Sua Excelência O Primeiro-MinistroAntónio Costa

  • Vasco Câmara

    Vasco CâmaraJornalista

    Vasco Câmara é desde 2007 editor do suplemento cultural Ípsilon do jornal PÚBLICO, integrando a equipa de críticos de cinema do jornal, de que é enviado especial nos Festivais de Cannes e de Veneza. Autor do texto “O Cinema Acossado”, que abriu o catálogo “Cinema Português Anos 90” dedicado à retrospectiva organizada no Rio de Janeiro, Brasil, entre 1 e 13 de Novembro de 1994 Autor de “O Homem da Câmara de Filmar”, texto incluído na monografia dedicada ao documentarista norte-americano Ross McElwee no âmbito do ciclo organizado pelo DocLisboa 2005. Leccionou Jornalismo Cultural no Mestrado de Jornalismo da Universidade Nova de Lisboa.

  • Vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Coimbra

    Vereadora da Cultura da Câmara Municipal de CoimbraCarina Gomes

    É com grande satisfação que congratulo a Associação Académica de Coimbra, através do seu Centro de Estudos Cinematográficos, pela realização de mais uma edição do festival Caminhos do Cinema Português, que celebra o encontro de obras cinematográficas do nosso país. Durante uma semana, serão exibidas, na cidade dos estudantes, obras em português de excelente qualidade, num diálogo permanente entre profissionais e público, resultando numa diversidade de imagens, sons, temas e histórias que tornam este certame único em Portugal.(...)

  • Rita Ferro

    Rita FerroEscritora

    Rita Ferro nasceu em Lisboa, em 1955. Estudou Design, especializou-se em Marketing, foi professora de publicidade redigida e exerceu funções de direcção e consultoria em diversas empresas. Iniciou-se na escrita em 1990. Escreveu vinte livros em vinte anos, entre romances, cartas, biografias, livros de crónicas e literatura infantil. Além de presença regular na imprensa, na rádio e na TV, criou um curso de Incentivo à Criação Literária. Foi, por diversas vezes, jurada de concursos literários e de cinema.

  • Mishel Pavlovski

    Mishel PavlovskiSs. Cyril and Methodius University, Skopje

    Mishel Pavlovski é Professor do Instituto de Literatura Macedônio, Universidade de São Cirilo e São Metódio em Skopje, Macedônia. Ele ensina Estudos Culturais: Tópicos e Métodos, Teoria Pós-Colonial, bem como Teatro e seus públicos. Detém dois graus de doutoramento em teoria do teatro, o primeiro obtido na Academia de Artes Teatrais Rati-GITIS russo em Moscovo (1999), e o segundo na Universidade de São Cirilo e São Metódio em Skopje (2003).

  • João Torres

    João TorresDirector de Arte

    Licenciado em Engenharia Civil na F.C.T. da Universidade de Coimbra, João Torres desenvolveu actividade nos domínios das artes plásticas, teatro, performance, poesia visual, fotografia e cinema. A sua actividade profissional tem incidido preferencialmente nas áreas de concepção e produção de cenários para cinema e audiovisuais. Como Director de Arte trabalhou na produção de filmes, telefilmes e filmes publicitários de diversos países. Desenvolveu projectos com realizadores como Alain Tanner, Raoul Ruiz, Riccardo Freda, Bertrand Tavernier, Jean Louis Bertoucelli, Jean Claude Missien, Serge Moati, Denys Granier-Deferre, Michaela Watteaux, Serge Korber, Paolo Marinou Blanco, Joaquim Leitão, Rainer Eurler, Billy August, António Pedro Vasconcelos, Patrick Timsit, Imanol Arias, Zezé Gamboa, Tom Cairns, Tom Donnely, Bruno de Almeida, entre muitos outros. Foi Subdirector do Teatro Nacional S. João e Director Executivo do festival internacional de teatro Po.N.T.I., (ed.1997/1999/2001). Tem colaborado com diversas estruturas de produção artística no desenvolvimento de projectos e esporadicamente em jornais e revistas sobre temas da actualidade.

  • Manuela Penafria

    Manuela PenafriaUniversidade da Beira Interior

    Professora no Departamento de Comunicação e Artes, da Universidade da Beira Interior e investigadora do Labcom.IFP. Membro do Conselho Consultivo da AIM-Associação dos Investigadores da Imagem em Movimento e membro da comissão científica de revistas portuguesas e brasileiras. Co-Editora da revista DOC On-line dedicada ao filme documentário. Co-editou três volumes da coleção Teoria dos cineastas, uma linha de investigação que desenvolve com investigadores brasileiros e espanhóis: Ver, ouvir e ler os cineastas, vol 1; Propostas para a teoria do cinema, vol. 2 e Revisitar a teoria do cinema, vol. 3.

  • João Antero

    João Antero

    Realizador, director de fotografia e operador de câmara, é licenciado em Cinema, em 1982, pela ECA – USP - São Paulo, Brasil. É professor na Universidade Lusófona, onde lecciona 5 cadeiras (Op. de Estúdio e Controlo de Imagem, Direcção de Fotografia, Atelier de Imagem, Op. de Câmara, e Técnicas de imagem em Movimento) nos cursos de Cinema, Vídeo e Comunicação Multimédia. Membro correspondente das Academia Nacional de Belas Artes e Academia de Letras e Artes Portugal.

  • José Santiago

    José SantiagoPortugal

    Graduate of Social Communication at Instituto Superior Miguel, he always had a connection to the communication field, in all its numerous formats.

  • Diretor do Teatro José Lúcio da Silva

    Diretor do Teatro José Lúcio da SilvaJosé Pires

  • Sérgio Dias Branco

    Sérgio Dias BrancoUniversidade de Coimbra

    Sérgio Dias Branco é Professor Auxiliar de Estudos Fílmicos na Universidade de Coimbra, onde coordena os Estudos Fílmicos e da Imagem e dirige o Mestrado em Estudos Artísticos. É coordenador do LIPA - Laboratório de Investigação e Práticas Artísticas. Integra o Instituto de  Filosofia da Nova (IFILNOVA), colabora com o Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS20), e é membro convidado do grupo de análise fílmica da Universidade de Oxford, “The Magnifying Class”. Leccionou na Universidade Nova de Lisboa e na Universidade de Kent, onde lhe foi atribuído o grau de doutor em Estudos Fílmicos. É co-editor das revistas Cinema: Revista de Filosofia e da Imagem em Movimento e Conversations: The Journal of Cavellian Studies e autor do livro Por Dentro das Imagens: Obras de Cinema, Ideias do Cinema (Documenta, 2016).

  • Magnífico Reitor da Universidade de Coimbra

    Magnífico Reitor da Universidade de CoimbraJoão Gabriel Silva

    Saúdo com muita satisfação o regresso do festival Caminhos do Cinema Português,depois de um ano de interregno. O cinema precisa desta oportunidade para se mostrar,e os cidadãos precisam de poder dele desfrutar neste evento, particularmente perante a retração dos circuitos de exibição comercial.

  • André Badalo

    André BadaloArgumentista/Realizador

    André Badalo, 35 anos, argumentista, produtor e realizador com contrato assinado com a distribuidora Warner Brothers. Licenciado em cinema na Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa e formado em Realização e Direção de Atores na University of Southern California em Los Angeles, em Microbudget Film Production no BingerLab em Amsterdão e Robert McKee’s Scriptwriting Story e Love Story na University of Westminster em Londres. Realizou as curtas-metragens “História de Papel”, “Shoot Me” e “Catarina e os Outros”, com Diogo Infante, Maria João Bastos e Victoria Guerra nos papéis principais, filmes que ganharam dezenas de prémios em festivais internacionais. Em Los Angeles, trabalhou com o realizador Bryan Singer (X-Men, The Usual Suspects) que sobre o trabalho de André Badalo menciona: “exquisite and admirable use of camera withintense and outstanding performances". Foi um dos 9 realizadores internacionais convidados para co-realizar o filme “Baku I Love You”, com um elenco internacional: Asia Argento, Alessandro Bertolucci e Eysan Özhim e produzido pela Mos Film do realizador russo Konchalovskiy (House of FoolsMaria'sLoversTango and Cash). Sobre o trabalho de André Badalo, Konchalovskiy menciona: “precise and romantic withthe camera, fearless and meticulous with the actors". Em pós-produção está a longa-metragem “Portugal não está à venda”, escrita e realizada por André Badalo, com Pedro Teixeira, Ana Zanatti, Dalila Carmo, São José Correia, Rita Pereira, Maria Vieira e Paulo Pires nos papéis principais, filme que será distribuído nos cinemas pela NOS Lusomundo em 2018.

  • Mauro Soares

    Mauro SoaresActor

    Mauro Soares nasceu em 1988 (Viseu, Portugal). Em 2006 muda-se para Lisboa onde cursou Mestrado Integrado em Engenharia Química e Bioquímica na FCT/UNL. Aí integra o Novo Núcleo Teatro (NNT), em 2009, estrutura cuja direcção só abandona em 2016, tendo produzido e apresentado trabalhos premiados em palcos nacionais e internacionais. Já na Associação Cultural Artes e Engenhos (A+), cuja direcção também integra, tem consistentemente apresentado trabalhos desde 2012. Em Janeiro de 2017, estreia no International Film Festival Rotterdam "António Um Dois Três", que protagoniza, dirigido por Leonardo Mouramateus. Nesse mesmo ano integra o elenco das novas longas metragens do director brasileiro Tavinho Teixeira, e da directora portuguesa Rita Azevedo Gomes. Actualmente desenvolve projectos de longas metragens com Leonardo Mouramateus e Paula Gaitán.

  • Elizabete Agostinho

    Elizabete AgostinhoJornalista

    Elizabete Agostinho was born in Paris, in 1978, but her passion for Portugal brought her to the city of Coimbra, at the age of 18, to enroll in the Journalism course at the University of Coimbra's Faculty of Arts. After achieving her postgraduate degree in Human Rights and Democratization by the Faculty of Law, Elizabete decided to stay in Portuguese lands, where she worked as a journalist for the social media.

  • Marina Estela Graça

    Marina Estela GraçaUniversidade do Algarve

    Investigadora em Análise Crítica em Animação e diretora do curso de Imagem Animada da Universidade do Algarve, Portugal. Autora de duas curtas-metragens, de um livro e de artigos científicos. Tem orientado mestrados e doutoramentos e participado em júris, conferências, seminários e comissões científicas internacionais na sua área de investigação.

  • Gisela João

    Gisela JoãoFadista

    O ano em que se estreou com um disco que depois de ter sido entusiasticamente recebido pela crítica, especializada e não só, foi considerado o melhor álbum nacional do ano por publicações de referência como a Blitz, o Expresso, o Público, a Time Out, o site musical Cotonete e mesmo os Globos de Ouro tendo atingido vendas que já lhe valeram um Disco de Ouro.

  • Ricardo Leite

    Ricardo LeiteRealizador

    Ricardo Leite nasceu em 1978 em Santa Bárbara d'Oeste, estado de São Paulo, no Brasil. Estudou cine-vídeo e teatro na Escola Superior Artística do Porto entre 1998 e 2002. Organizou e participou desde 1999 em variadas Mostras e Exposições dentro da área do Cinema, tendo participado em eventos na Europa, Marrocos, Brasil e Cabo-Verde. Colaborou e trabalhou com instituições como o Cineclube do Porto, Cineclube Amazonas Douro e a Associação de Iniciativas Culturais e Artísticas, no Porto, (AICART). Foi um dos sócios fundadores do projecto Átomo47, o único laboratório de cinema independente do país, inaugurado em 2007. Tendo trabalhado maioritariamente no género experimental e em película, voltou ao género documental com o longa-metragem em vídeo “Mazagão, a água que volta”, subsidiado pelo ICA e RTP em 2011. É também director de fotografia em projectos filmados em película e vídeo. Presentemente trabalha no seu laboratório de cinema independente de estrutura associativa – Átomo47 que colabora com a Casa da Imagem em V.N. de Gaia. A Átomo47 faz parte de uma lista internacional de 40 laboratórios independentes ( www.filmlabs.org ). É doutorando no curso de Educação Artística da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto.

  • Luís Pedro Madeira

    Luís Pedro Madeira

    Luís Pedro Madeira tem um extenso historial de participações em várias bandas portuguesas como musico versátil no Piano, Bandolim e  Acordeon  em bandas como Belle Chase Hotel ou mais recentemente, Pensão Flor. Mas também é conhecido pelo seu trabalho em filmes como Posfácio nas Confecções Canhão (2012), Respirar (Debaixo D'água) (2000) e  Esquece Tudo O Que Te Disse (2002). Ele é o espelho de uma geração de artista multifacetado e transversal à arte.

  • Carla Chambel

    Carla ChambelAtriz

    Carla Chambel nasceu em 1976 na Amadora. Fez Formação de Atores na Escola Superior de Teatro e Cinema. Estreou-se no teatro, em 1995, com A Disputa de Marivaux, encenação de João Perry, no Teatro da Trindade, em Lisboa, e desde aí tem trabalhado com diversas companhias e realizadores portugueses e estrangeiros. Destacam-se Amália, o Filme de Carlos Coelho da Silva e Quarta Divisão de Joaquim Leitão. Recebeu prémio Sophia de Melhor Atriz Secundária pelo filme Se Eu Fosse Ladrão Roubava de Paulo Rocha. É locutora de publicidade, e tem presença regular na televisão, enquanto atriz. Podemos vê-la, atualmente, em Espelho d'Água, na SIC. Fez direção de atores na novela Laços de Sangue, da SIC, que ganhou o EMMY em 2011, e dá formação de atores em diversas escolas e workshops. É cooperadora e vogal da GDA . É vice-presidente da Academia Portuguesa de Cinema desde 2014, onde produz anualmente a participação portuguesa no EFA YOUNG AUDIENCE AWARD.

  • Luís Antero

    Luís AnteroFonografista

    Artista sonoro. Desenvolve desde 2008 um trabalho de recolha e documentação do património imaterial sonoro das zonas da Beira Serra e Serra da Estrela, com base em gravações sonoras de campo e que pode ser acompanhado através dos sites www.luisantero.yolasite.com e www.luisantero.bandcamp.com É curador da netlabel Green Field Recordings, dedicada exclusivamente à edição online de trabalhos sonoros com base em gravações sonoras de campo e do programa de rádio O Coleccionador de Sons (www.ocoleccionadordesons.yolasite.com), na Rádio Zero e Rádio Universidade de Coimbra, de 2009 a 2013. Lugar Sonoro é o seu segundo programa de rádio, com emissões quinzenais a partir da Rádio Boa Nova, em Oliveira do Hospital, com podcast em lugarsonoro.bandcamp.com Foi artista convidado e um dos responsáveis pelas gravações do projecto Sons do Arco Ribeirinho Sul, na cidade do Barreiro, director artístico do Arquivo Sonoro do Centro Histórico de Coimbra, do arquivo Sons da Montanha: Arquivo Sonoro de São Martinho de Anta (a partir de Miguel Torga), entre outros. É licenciado em Estudos Artísticos.

  • Elsa Mendes

    Elsa MendesPlano Nacional de Cinema

    Licenciou-se em História (1983), na F.L.U.L. - Universidade de Lisboa. Concluiu o Mestrado em História de Arte (2000), na F.C.S.H. - Universidade Nova de Lisboa, com um estudo sobre A Obra do arquitecto Rosendo Carvalheira (1863-1919) e obteve o grau de Doutora em Letras, no ramo de Estudos de Cultura e de Literatura - Especialidade em Estudos Americanos - Cinema, na Universidade de Lisboa, com tese subordinada ao tema A Cruz, o Gládio e a Espada: representações da História no cinema de Cecil B. DeMille (1881-1959). É professora do Ensino Secundário na Escola Secundária Dr. José Afonso (Seixal) e é formadora de professores. No presente ano letivo de 2014-15 assumiu a coordenação do Plano Nacional de Cinema. Tem colaborado em artigos que foram publicados no âmbito de projectos mais vastos: Dicionário Biográfico Parlamentar: 1834-1910 (2005), Portugal Património: Guia Inventário (2007). Tem comunicações publicadas no âmbito de História da Arte e de Estudos Fílmicos. Tem como áreas privilegiadas de investigação a História da Cultura Contemporânea, os Estudos Fílmicos e as áreas de Cinema e História e Cinema e Educação.

  • Luís Gaspar

    Luís GasparAtor

    Tem o curso de formação de atores da Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa e frequentou vários workshops da área, da companhia de teatro belga STAN, de Bruce Myers (colaborador de Peter Brook) e de João Fiadeiro, entre outros. Estreou-se em 1997, com Prometeu de Jorge Silva Melo, nos Artistas Unidos.

  • Presidente da E.R. de Turismo do Centro de Portugal

    Presidente da E.R. de Turismo do Centro de PortugalPedro Machado

    Nas palavras de Fernando Pessoa “cultura não é ler muito, nem saber muito; é conhecer muito.” Arriscando uma interpretação pessoal, “conhecer muito” implica viver muito, experimentar muito, arriscar, acertar, errar e aprender. Este é um percurso virtuoso, uma aventura que todos nós, enquanto seres do “penso, logo existo”, devemos encabeçar, na procura incessante de conhecer e aprender cada vez mais. Este é “o” princípio que deverá nortear qualquer indivíduo, mas também, qualquer projeto e/ou organização. (...)

  • Joaquim Leitão

    Joaquim Leitão

    Joaquim Leitão nasceu em Lisboa, Portugal a 21 de Dezembro de 1956. Fez o curso de montagem na Escola Superior de Cinema. Em 1986 realizou a sua primeira longa-metragem “Duma Vez por Todas”. Como reconhecimento da sua carreira, em 2005 recebeu da parte do Presidente da República Dr. Jorge Sampaio a “Ordem do Infante D. Henrique” - Grau Comendador.

  • Maria José Veiga

    Maria José VeigaUniversidade de Aveiro

    É Doutorada em Tradução (2006), pela Universidade de Aveiro e Mestre em Estudos Anglo-Americanos (1997), pela Universidade do Porto e Licenciada em Português-Inglês (1991), pela Universidade de Aveiro. É investigadora do Centro de Investigação do Departamento de Línguas e Culturas da Universidade de Aveiro. Tem desempenhado funções em vários níveis de ensino Secundário (desde 1990) e Superior (1998-2015) nas áreas do ensino das línguas portuguesa e inglesa. Tem apresentado comunicações em encontros científicos nacionais e internacionais. Tem publicações que versam sobre os campos das ciências da linguagem (linguísticas de expressões portuguesa e anglófona, tradução, linguística textual, texto fílmico e metodologias de ensino das línguas), da intercompreensão e aquisição das línguas estrangeiras, das literaturas (portuguesa e anglófona), da tradução interlinguística e para os media.

    Foi Coordenadora do Ensino do Português no Reino Unido, na Embaixada de Portugal, em Londres (2010-2011). Pertence à Transmedia Portugal desde 2011.

  • Sílvia Almeida

    Sílvia Almeida

    Sílvia Almeida nasceu em Aveiro em 1984. Cedo ruma a Lisboa, na sua formação destacam-se: curso intensivo Act- actores Teatro, Cinema e Tv, (de onde se destacam trabalhos com João Canijo, António Pedro Vasconcelos, Dimitry Bogomolov), uma licenciatura em Artes do Espectáculo na FLUL e um Mestrado na ESTC. Iniciou a sua carreira profissional como actriz em 2004, em Lisboa no Teatro Nacional D. Maria II com o espectáculo: “Os Lusíadas Rumo ao Oriente” de António Pires. Durante 10 anos trabalhou em diversos projectos de Teatro, Cinema e TV experimentando diferentes técnicas. Passando por salas como: Teatro Nacional D Maria II Lisboa e Teatro Nacional de São João no Porto, Teatro da Trindade, São Carlos e companhias como: O Bando, Lemon Entertainment, Inestética, Martim Pedroso, Miguel Moreira.

  • Presidente do Conselho Diretivo do ICA

    Presidente do Conselho Diretivo do ICAFilomena Serras Pereira

    Os Caminhos do Cinema Português, uma montra anual da mais recente produção cinematográfica portuguesa, que durante uma semana transforma a cidade de Coimbra num ponto de encontro e celebração entre os criadores e o seu público. Os caminhos são variados, mas o destino pode ser resumido a um objetivo único, o da promoção do cinema português, não somente através da sua exibição, mas também de novos trilhos, o do estímulo da investigação e o da proposta de um serviço educativo. (...)

  • José Santiago

    José SantiagoPortugal

    Licenciado em Comunicação Social no Instituto Superior Miguel Torga, sempre esteve ligado ao ramo da comunicação nos seus mais variados formatos.

  • António Moreira

    António MoreiraUniversidade Aberta

    É Doutorado e Mestre em Ciências da Educação pela Universidade de Coimbra e concluiu programa de Pós-Doutoramento em Tecnologias Educacionais e da Comunicação também na Universidade de Coimbra. É Professor Auxiliar no Departamento de Educação e Ensino à Distância (DEED), da Universidade Aberta.

    É Licenciado em História da Arte pela Universidade de Coimbra e Especialista em Multimédia pela Universidade do Porto.

    Atualmente é Diretor da Delegação Regional do Porto da UAb, Coordenador da Unidade de Desenvolvimento dos Centros Locais de Aprendizagem (UMCLA) e Coordenador Executivo da Unidade Móvel de Investigação em Estudos do Local (ELO) da Universidade Aberta.

    É, ainda, Investigador Integrado no Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS20) da Universidade de Coimbra e formador nas áreas da Educação Online e das Tecnologias Educativas, autor de várias publicações no país e no estrangeiro e membro de Conselhos Editoriais e revisor de revistas científicas na área da Educação.

  • Maria do Céu Marques

    Maria do Céu MarquesUniversidade Aberta

    É Doutorada em Filologia Inglesa pela Universidade de Salamanca. É investigadora do Centro de Estudos das Migrações e das Relações Interculturais, Media e Mediações Culturais (CEMRI) e colaboradora do Centro de Estudos Anglísticos da Universidade de Lisboa (CEAUL).

    É Licenciada em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

    É Professora Auxiliar do Departamento de Humanidades, na Universidade Aberta e coordenadora do Mestrado em Estudos sobre a Europa (MESE), vice-coordenadora da Licenciatura em Estudos Europeus e responsável pela unidade curricular de Literatura e Cinema no Mestrado em Artes e Educação (MAE), tendo participado em vários encontros organizados no âmbito deste Mestrado.

    Tem orientado dissertações de mestrado e teses de doutoramento na área dos Estudos Ingleses e Americanos (Literatura e Cinema) e das Ciências da Educação e tem participado em vários encontros e colóquios em Portugal e no estrangeiro.

    É autora de vários artigos nas áreas da Literatura, Cultura e Cinema publicados em atas de congressos nacionais e internacionais e capítulos de livros. Integra o Comité Técnico Científico do Seminário Histórias de Roteiristas promovido pela Universidade Presbiteriana Mackenzie (S. Paulo), desde 2009, e a Comissão Científica da Conferência Internacional de Cinema de Viana, desde 2012.

  • Ivo Canelas

    Ivo CanelasActor

    Ivo Canelas nasceu em Lisboa a 23 de Dezembro de 1973. Frequentou o The Lee Strasberg Theatre and Film Institute em Nova Iorque, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian. Da sua actividade em teatro destaca o trabalho com encenadores como Diogo Dória, José Wallenstein, Solveig Nordlund, Fernanda Lapa, Luís Assis, Carlos Avilez, Sandra Faleiro ou Almeno Gonçalves. Foi dirigido por Jorge Silva Melo, entre outras, na peça A Queda do Egoísta Johan Fatzer de Bertolt Brecht (1999).

  • Alexandre C. Valente

    Alexandre C. ValenteEquipas, Financiamento e Aspetos Legais

    Produtor, nasceu em Lisboa no ano de 1968, conta com dezenas de filmes e outros projetos ao longo da sua carreira, destacando-se a estreita relação com o Cinema, sendo Diretor de Produção de inúmeros projetos. Exerce, também, funções de Criativo, Argumentista, Realizador e Produtor, e é convidado para intervir em diversas conferências, palestras e workshops, na área de Comunicação e do Marketing.

  • Fernando Moura

    Fernando MouraJornalista

    Exerce a sua actividade profissional nas áreas da comunicação social, publicidade e redes sociais. Foi responsável pela criação e desenvolvimento de vários órgãos de comunicação social, sobretudo nas áreas da imprensa e radiodifusão, tendo alguns destes sido adquiridos por multinacionais. Tem ainda uma vasta experiência no sector da comunicação empresarial e institucional, publicidade e social media, tendo fundado e dirigido vários projectos nestes sectores. É director de Notícias de Coimbra e Diário da Saúde.

  • Denise Duarte

    Denise Duarte

    Denise Duarte é professora, analista de cinema, produtora e apresentadora de programas de rádio sobre Cinema, na Empresa Brasil de Comunicação (EBC). É mestre em Artes Cénicas e especialista em Roteiro para Cinema. Tem-se dedicado ao estudo das relações entre cinema e teatro, sendo sua dissertação de Mestrado intitulada Teatro e Cinema: Deus e O Diabo na Terra do Sol e Terra em Transe. É Professora Assistente em cursos de graduação em Comunicação Social e analista em comunicação na Empresa Brasil de Comunicação (EBC), desde 2004. Publicou diversos artigos científicos, dos quais destacamos Curb Your Enthusiasm: A Reinvenção do Sitcom, Estéticas Realistas Contemporâneas: A Trilogia da Juventude de Gus Van Sant, O Legado de Suso Cecchi D'Amico, entre outros.

  • João Sousa

    João Sousa

    Nos últimos 8 anos teve o prazer e orgulho de colaborar, entre outros, com os estúdios This Is Pacifica, R2 Design e Studio Dobra, com pessoas como André Tentugal, Belinda Baggs e Manel Cruz e marcas como a Parfois, Esquire Magazine, Toyota, Lightning Bolt, Deeply e Optimus.

  • Federação Portuguesa de Cineclubes

    Federação Portuguesa de CineclubesPaulo Martins

    A FPCC - Federação Portuguesa de Cineclubes saúda os Caminhos do Cinema Português e a sua 22ª edição. É com enorme satisfação que a FPCC continua, ano após ano, a apoiar e a divulgar este festival único e imprescindível no panorama cinematográfico nacional. Podemos dizer que é um festival de resistência, feito por resistentes. Um festival ao qual tantas vezes vaticinaram o seu fim e outras tantas vezes se ergueu, orgulhoso do trabalho feito e com os olhos postos no que ainda falta fazer. (...)

  • Rui Veiga

    Rui VeigaCinema Documental

    Obteve o título de Realizador pela École Superieure de Realization Audiovisuelle. Realizou e escreveu filmes curtos e institucionais, produziu publicidade, concebeu e participou nas primeiras experiências de TV periódica e regional (24 Heures du Mans). É membro do painel de Jurados do ICA.

  • Fernando Alle

    Fernando Alle

    Responsável pelas curtas-metragens de grande sucesso internacional Papá Wrestling (2009) e Banana Motherfucker (2011), que, conjuntamente, foram exibidas em mais de 65 festivais, incluindo os prestigiados festivais Sitges, e Frightfest.

  • Sílvio Teixeira

    Sílvio TeixeiraDesigner

    Sílvio Teixeira nasceu em Trás-os-Montes, licenciou-se em Design pela Universidade de Aveiro (com passagem pela Università IUAV di Venezia) e fez o curso Profissional de Fotografia no IPF do Porto. De seguida foi viver e trabalhar para Amsterdão por 1 ano onde percebeu que Portugal era, afinal, um sítio bom para viver. Apesar disso, passou ainda pelo estúdio “Soon in Tokyo” em Barcelona, e mais tarde por Viena, colaborando com o designer Christof Nardin por exemplo no trailer do festival Vienna Design Week ’12. Regressou há cerca de 2 anos para Portugal, vive em Lisboa e trabalha como freelancer, frequentemente para o Canal Q, Produções Fictícias e para o músico Moullinex, a par com outros projectos sortidos. Os projectos que realiza são por tendência multi-disciplinares, dentro das áreas de direcção de arte, design gráfico, interacção, video, fotografia ou cenografia. Os seus projectos foram mencionados/publicados, entre outros, pelos sites: wired, motionographer, underconsideration, designobserver, booooooom, P3 e NME.

  • António Costa Valente

    António Costa ValenteUniversidade de Aveiro

    Doutorado em cinema, é docente nas universidades públicas de Aveiro, Vila Real e dirige o Departamento de Teatro e Cinema da ESAP – Escola Superior Artística do Porto. Produziu e co-realizou a primeira longa-metragem do cinema de animação português “Até ao Tecto do Mundo”. Como realizador e produtor, foi distinguido com mais de três centenas de prémios em festivais nos cinco continentes. Diretor do Festival de Cinema AVANCA desde 1997 (www.avanca.com) e da “AVANCA | CINEMA, Conferência Internacional Cinema – Arte, Tecnologia, Comunicação” desde 2010 (www.avanca.org). É editor do “International Journal of Cinema” (ISSN 2182-2158) e da também revista científica “Persona” (ISSN 2183-1149). Integra os corpos gerentes do Cine Clube de Avanca, da Academia Portuguesa de Cinema e Federação Portuguesa de Cineclubes, entre outros.

  • Margarida Mateus

    Margarida Mateus

    Tem formação em Psicologia Clínica, Cinema e Teatro. É membro do Centro de Estudos Cinematográficos de Coimbra, do Cineclube de Tomar. Entre 2008 e 2013 escreveu sobre Cinema para o programa radiofónico "Grande Écran", emitido por diversas rádios regionais. Em 2010 e 2011 foi Delegada a Júris e Programadora da Secção Oficial do Festival Caminhos do Cinema Português. Em 2011 trabalhou como tradutora no 27º Festróia, Festival Internacional de Setúbal. Em 2012 foi Programadora Da Secção Oficial do Festival Caminhos do Cinema Português. Foi Vice-presidente da Federação Portuguesa de Cineclubes em 2013 e 2014. Em 2013 fez parte do Júri oficial do concurso nacional de curtas-metragens de Setúbal – Curtas Sadinas e do Júri FICC do Festival FIKE. Actualmente faz parte da Direcção do Cineclube de Tomar.

  • Tomás Gamboa

    Tomás GamboaProdutor

    É Designer de Som, Produtor de Música e Compositor na SAE Barcelona. Tem uma Pós-Graduação em Inovação de Produto - ME310 Stanford pela Fábrica de Design do Porto e é Licenciado em Som e Imagem pela Universidade Católica do Porto.

  • Vice-Reitora para a Cultura e Comunicação da Universidade de Coimbra

    Vice-Reitora para a Cultura e Comunicação da Universidade de CoimbraClara Almeida Santos

    Jorge Brum do Canto terá dito um dia que “o cinema português é como a eletricidade - ninguém sabe de que se compõe”, aforismo que seguramente resulta da sua vasta cultura cinéfila e da sua própria experiência como realizador e crítico de cinema desde muito jovem. Mas o cineasta não viveu para assistir às dinâmicas atuais do cinema português. Tendo morrido em 1994, foi seguramente com desgosto que tomou conhecimento dos dados relativos às exibições e sessões de cinema português em Portugal na última década da sua vida. (...)

  • Pedro Janela

    Pedro JanelaBanda Sonora

    Compositor, pianista, autor de vários projectos musicais dos quais se destaca ‘The Casino Royal’ foi também responsável pelas bandas sonora originais dos filmes ‘Quinze Pontos na Alma’ de Vicente Alves do Ó e ‘República’ de Jorge Paixão da Costa. É igualmente autor da banda sonora do documentário ‘Design Atrás das Grades’ de Margarida Leitão e da ‘Dá-me Luz’- curta metragem de animação de Sérgio Nogueira.

  • Paulo Leite

    Paulo LeiteArgumentista, Produtor, Docente

    Paulo Leite é Mestre em Ciências da Comunicação pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, possui o Título de Especialista em Produção de Cinema pelo Instituto Politécnico de Lisboa e é Licenciado em Argumento pela Escola Superior de Teatro e Cinema. É o autor de “Music Licensing For Films: What a Producer Should Know” e é professor da área de produção na Escola Superior de Teatro e Cinema. Trabalha como consultor para produtores e financiadores nas áreas de desenvolvimento e financiamento de projetos nos Estados Unidos e Europa e colabora em eventos promovidos em diversos festivais e mercados de cinema nos Estados Unidos e Europa. É produtor na Bad Behavior, a primeira produtora de cinema em Portugal dedicada ao cinema de horror. Neste momento, prepara duas longas-metragens e o seu Segundo livro “Film Marketing: From Development to Release”.

  • Joana Teles Monteiro

    Joana Teles MonteiroMotion Design & Genéricos

    É Designer Gráfica e faz Direção de Arte. No seu trabalho reconhece-se uma paixão pela tipografia. Para construção de imagens gráficas faz uso e mistura várias técnicas.

  • Ricardo Boléo

    Ricardo BoléoDramaturgo

    É Mestre em Teatro – especialização em Artes Performativas – Escritas de Cena pela Escola Superior de Teatro e Cinema (2013), Licenciado em Estudos Artísticos pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (2011) e frequentou as Faculdades de Comunicação, História e Letras assim como a Escola de Teatro da Universidade Federal da Bahia, Brasil (2009/2010).

  • João Antero

    João AnteroProfessor | Director de Fotografia

    João Antero é professor na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, onde lecciona as cadeiras deOperações de Estúdio e Controlo de Imagem, Direcção de Fotografia e Luminotecnia, Atelier de Imagem, Operações de Câmara, Técnicas de imagem em Movimento nos cursos de Cinema, Vídeo e Comunicação Multimédia e de Comunicação e Jornalismo. É Membro correspondente das Academia Nacional de Belas Artes e Academia de Letras e Artes Portugal.

  • Pedro Figueiredo

    Pedro FigueiredoEscultor

    Nasceu a 22 de Outubro do ano de 1974, na cidade da Guarda. Concluiu o curso profissional de Cerâmica na Escola Artística de Coimbra – ARCA – E.A.C., a licenciatura em Escultura, a pós-graduação em Comunicação Estética e o Mestrado em Artes Plásticas na Escola Universitária das Artes de Coimbra – ARCA – E.U.A.C. Está representado na Galeria São Mamede (Lisboa e Porto), na Galeria de Arte Contemporânea Nuno Sacramento (Ílhavo) e na Shairart (Braga). Expõe regularmente em Bienais de Arte desde 2003. Tem feito várias exposições individuais e colectivas desde 2000. Tem participado em Simpósios, e executado cenários e adereços para teatro e outras áreas do espetáculo. Está representado em diversas coleções públicas e privadas quer nacionais quer estrangeiras. Atualmente, vive e trabalha em Coimbra.

  • João Tordo

    João TordoEscritor

    Escritor, em 2009 venceu o Prémio Literário José Saramago com As Três Vidas (2008), tendo sido finalista, com o mesmo romance, do Prémio Portugal Telecom, em 2011.

    Os seus livros estão publicados em vários países, incluindo França, Itália, Alemanha, Hungria, ou Brasil.

  • Secretário de Estado da Cultura

    Secretário de Estado da CulturaJorge Barreto Xavier

  • Rita Azevedo Gomes

    Rita Azevedo GomesRealizadora

    Nascida em Lisboa, em 1952, Rita Azevedo Gomes tem um percurso variado, ligado às artes visuais. Começou por estudar Belas Artes, ligando-se ao cinema a pouco e pouco. Esteve envolvida, ao longo dos anos, em inúmeros projetos em teatro, ópera, artes plásticas e cinema, tendo ainda desenvolvido, com grande reconhecimento, trabalhos gráficos em diversas edições de cinema da Cinemateca e da Fundação Calouste Gulbenkian. Em 1990, realizou o seu primeiro filme: “O Som da Terra a Tremer”, após o qual escreveu e realizou várias curtas e longas metragens internacionalmente reconhecidas em festivais de todo o mundo. Trabalha atualmente na Cinemateca Portuguesa como programadora onde está também a cargo das exposições.

  • Artur Serra Araújo

    Artur Serra AraújoRealizador

    Born in 1977, Serra Araújo finishes his bachelor's degree in Image and Sound, at the Portuguese Catholic University's Art School, in 2003.

  • Filipe Costa Luz

    Filipe Costa LuzUniversidade Lusófona

    É Doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa. Atualmente, coordena a Licenciatura em Aplicações Multimédia e Videojogos, é vice-presidente da Licenciatura em Animação Digital e do Mestrado em Artes de Animação, da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias. Discursa sobre pós-produção digital para Cinema, Televisão, Videojogos e Animação e faz investigação em projetos de Ciências da Comunicação, Informática e Artes. O seu trabalho no MovLab - Laboratório de Interações e Interfaces, nas áreas do Entretenimento, Design e Comunicação são um exemplo das várias áreas em que está envolvido a nível académico e profissional.

  • Saúl Rafael

    Saúl RafaelMarketing Cinematográfico

    Saúl Rafael trabalha na NOS Lusomundo Audiovisuais desde 2001, tendo iniciado funções na área de Produção e transitado depois para a área de Marketing, onde lidera a equipa de Marketing dedicada à promoção do cinema português e Warner. Tem como objetivo pessoal e profissional colocar a quota de mercado do cinema português em Portugal acima dos 10%.

  • Pedro Azevedo

    Pedro AzevedoDirector de Fotografia

    Pedro Azevedo (1974) tem o Bacharelato em Tecnologia da Comunicação Audiovisual pelo Instituto Politécnico do Porto (2000) e uma Pós-Graduação em Direcção de Fotografia Cinematográfica pela Escola Superior de Cinema i Audiovisuals de Catalunya - UB Universidade de Barcelona (2002). O seu percurso profissional começa no ano de 2002 e conta, até ao presente, com inúmeros trabalhos na direcção de fotografia de longas e curtas-metragens, series tv, publicidade e videoclips musicais. Desenvolve também, paralelamente, uma actividade de criação artística indivídual em cinema experimental, onde já somou importantes presenças em festivais nacionais e internacionais, tendo o seu trabalho “Who’s There?” ganho o Concurso Nacional Jovens Criadores 2002 e seleccionado para integrar a mostra Videocosmos promovida pela Bienal de Jovens Criadores da Europa do Mediterraneo, na Bienal de Veneza, em Novembro de 2003. Em 2005, destaca-se, a sua primeira direcção de fotografia em longa-metragem, no filme “Suicídio encomendado”. Desde 2007 que divide a sua actividade profissional entre Madrid, Porto e Lisboa, apostando na sua carreira professional como director de fotografia. O ano de 2013 marca o seu regresso ao cinema experimental e à criação artística na necessidade de reencontrar outras linguagens  e procurar novos destinos. Ultimamente, tem trabalhado também para televisão onde de destaca a série de época “Vidago Palace” para a RTP e CRTVG 2017. È também autor, como director de fotografia nas series “4play”, RTP2 2017,  “Sal”, SIC 2014, e na série documental “Codigo de bairro” RTP 2011. Actualmente é Professor assistente convidado no  Mestrado em Comunicação Audiovisual, da ESMAD – Escola Superior de Media Arts e Design – IPP, Portugal.

  • Helena Batista

    Helena BatistaCaracterização

    Fascinada desde criança pelo cinema, teatro, fotografia e influenciada pelos mestres com quem conviveu desde cedo, esteve sempre ligada a actividades relacionadas com as artes. Frequentou o curso técnico de Cinema de Caracterização, organizado pelo Instituto Português de Cinema, em 1988.

  • Marta Rebelo

    Marta Rebelo

    Tem 37 anos. Nasceu numa segunda feira de chuva, dia 13 de Fevereiro de 1978.

    Licenciou-se em Direito na FDL, e concluiu o seu mestrado em Ciências Jurídico-Económicas no mesmo sítio, estagiou com o Professor Sousa Franco.

    Publicou muitos livros jurídicos e artigos científicos, foi adjunta, consultora e chefe de gabinete no Governo, líder nacional do Partido Socialista, Deputada à Assembleia da República e Consultora de Comunicação.

    Odeia carneirada e falta de originalidade, verdade, justiça, preconceitos. Preza desmedidamente a gratidão.

    Sente ter o dever de mudar os seus centímetros de mundo.

    Mais recentemente escreve para o seu blog www.thefabulista.net

  • Paulo Castilho

    Paulo Castilho

    Paulo Castilho estudou Técnicas de Comunicação Audiovisual no Instituto Politécnico do Porto.No currículo conta com uma especialização Iluminação na RTP (Rádio e Televisão de Portugal) e um curso intensivo em Direcção de Fotografia no âmbito do Festival de Cinema de Berlim. Já trabalhou ao lado de nomes de grande revalância no panorama mundial como António Ferreira, Manoel de Oliveira, Aki Kaurismaki, Victor Erice, Edgar Pêra ou Peter  Greenaway.

  • António Gouveia

    António GouveiaDirector do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra

    António Carmo Gouveia é diretor do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra e investigador da Cátedra UNESCO em Biodiversidade. Doutorado em Ecologia, os seus interesses de investigação abrangem a diversidade e ecologia das plantas, a história e comunicação da ciência. Coordenou o projecto de divulgação científica "No trilho dos naturalistas

  • Luísa Bebiano Correia

    Luísa Bebiano Correia

    Nasceu em 1978 em Coimbra, onde vive e trabalha. Licenciada em arquitectura pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra em 2006 (Prémio Escolar Quartel Mestre General W. Elsden) e Doutoranda do Curso de Arte Contemporânea da mesma Universidade. Estudou Arquitectura no Politécnico de Torino, Itália (2002/2003), Guitarra Clássica e Composição no Conservatório de Música de Coimbra (1991-2006). Colaborou na Sociedade Cerâmica Antiga de Coimbra de 2001 a 2010. É autora de projectos de arquitectura, design e cenografia em atelier próprio e em estreita colaboração com o arquitecto João Mendes Ribeiro com quem estagiou nos anos 2006/2007. Desde 2009 integra frequentemente a equipa do realizador António Ferreira (Persona non Grata Pictures) na direcção artística de várias curtas e longas-metragens.

  • Sua Excelência O Ministro da Cultura

    Sua Excelência O Ministro da CulturaLuís Castro Mendes

    Na 22ª edição, o festival Caminhos do Cinema Português tem sabido acompanhar a energia e a qualidade que têm marcado a produção cinematográfica nacional. Ano após ano, Coimbra torna-se palco de um evento que cumpre aquele que é hoje um desafio e um objetivo das políticas culturais: democratizar o acesso à cultura, desenhando programas para a captação de novos públicos. A produção cinematográfica portuguesa é cada vez mais reconhecida internacionalmente mas aos Caminhos do Cinema chegam não só as obras que já fizeram percurso pelos (...)

  • Eduardo Nunes

    Eduardo Nunes

    Eduardo Nunes é licenciado em Comunicação e Design Multimédia pela Escola Superior de Educação de Coimbra e Mestre em Design e Multimédia pela Universidade de Coimbra.

  • Alexandre Ramires

    Alexandre Ramires

    Alexandre Manuel Severino Afonso Ramires licenciou-se em Física, ramo educacional, na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) em 1983. É, desde 1998, investigador do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS20), da Universidade de Coimbra.

  • Osvaldo Manuel Silvestre

    Osvaldo Manuel SilvestreProfessor

    Osvaldo Manuel Silvestre é professor do Departamento de Línguas, Literaturas e Culturas da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Doutorou-se em Teoria da Literatura e tem leccionado disciplinas de literatura nas licenciaturas em Línguas e Literaturas Modernas e em Português e nos doutoramentos em Literatura de Língua Portuguesa e em Materialidades da Literatura.

  • Sua Excelência O Presidente da República Portuguesa

    Sua Excelência O Presidente da República PortuguesaMarcelo Rebelo de Sousa

     

  • Pedro Branco

    Pedro BrancoCinema Científico em Contexto Educativo e Artístico

    Licenciado em Design de Equipamento pela Escola Superior de Artes e Design em Matosinhos e em Medicina pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. Especialista em Medicina Física e de Reabilitação e Medicina Desportiva. É Investigador Colaborador na Unidade Móvel de Estudos do Local (ELO) da Universidade Aberta.

  • Presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal

    Presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro de PortugalPedro Machado

  • São José Correia

    São José CorreiaActriz

    Iniciou a sua carreia no teatro e aos 19 anos começou a trabalhar profissionalmente na Companhia de Teatro de Almada. Estreou-se no teatro mas tem participado em novelas de grande sucesso em Portugal, tendo-se destacado a interpretar o papel de Leonor em Ninguém Como Tu. Foi uma das protagonistas em Fala-me de Amor, fez parte do elenco de Paixões Proibidas da RTP, Sentimentos na TVI, Olhos nos Olhos, Sedução, Doce Tentação (TVI), entre outros. Destaca-se a sua novíssima realização de ‘Uma Noite na Praia’ (2014), protagonizando Vitor Norte e Lucinda Loureiro.

  • Hugo Leitão

    Hugo LeitãoSound Designer

    Estudou piano na Academia de Música de Odivelas durante 6 anos. Começou a sua formação académica e profissional na área da música e som em 1998, na Escola Técnica de Imagem e Comunicação (ETIC). No segundo ano de curso, dá os primeiros passos como profissional e tem pela primeira vez contacto com os palcos, estúdio e som ao vivo.

  • Stefano Savio

    Stefano SavioFilmin

  • Luís Campos

    Luís Campos

    Fundador da Squatter Factory em 2014, Luis Campos teve a oportunidade de fazer um programa de intercâmbio na Savage Film na Bélgica com Bart van Langendonck e outro na RT Features em São Paulo com Rodrigo Teixeira. É o criador, promotor e director criativo do GUIÕES – Festival do Roteiro de Língua Portuguesa e do PLOT – Professional Script Lab. Em 2017 Luis foi seleccionado para o Berlinale Talents e para o lançamento do Propellor Film Tech. CARGA, o seu filme mais recente, tem sido exibido em vários festivais internacionais e conquistou o prémio de Melhor Filme no New York Portuguese Short Film Festival 2017.

  • Federação Portuguesa de Cineclubes

    Federação Portuguesa de CineclubesPaulo Martins, Vice-Presidente da Mesa da Assembleia da FPCC

    A FPCC - Federação Portuguesa de Cineclubes saúda a realização da 23ª edição dos Caminhos do Cinema Português. A FPCC sente-se honrada em fazer parte da Comissão de Honra de um festival que segue atentamente há mais de duas décadas, sempre com renovado espírito de missão, comparável à de um serviço público (e para o público) que se presta com desapego pelo lucro e pela vaidade, que caracteriza tantos outros eventos dedicados ao cinema. É – sempre foi, aliás – no ambiente informal e de camaradagem entre realizadores, actores, técnicos, cineclubistas, público, imprensa e equipa dos Caminhos que reside o seu charme e, quiçá, a razão principal para a sua longevidade. Isto porque não foi fácil criar, quanto mais manter vivo, um festival dedicado em exclusividade ao Cinema Português, com todas as condicionantes conhecidas (diríamos antes “estruturais”) a que o festival soube sempre responder com a sua criatividade e perseverança, sempre com a simpatia com que trabalha a equipa dos Caminhos do Cinema Português, que, assim, está redobradamente de parabéns por mais esta concretização. Bem hajam e vida longa aos Caminhos!

  • Vice-Reitora para a Cultura e Comunicação da Universidade de Coimbra

    Vice-Reitora para a Cultura e Comunicação da Universidade de CoimbraClara Almeida Santos

    Nem de propósito para inspirar este texto… Há poucos dias, um contacto com um produtor cultural angolano redundou na conclusão de que este conhecia já Coimbra por ter participado, em mais de uma ocasião, nos Caminhos do Cinema Português.

    Proporcionar este ponto de encontro entre pessoas e culturas que têm em comum dois patrimónios – a língua portuguesa e, claro, o cinema – é um dos grandes presentes que os Caminhos proporcionam a Coimbra. Sobreposição de patrimónios que é também uma associação de linguagens: uma local (ainda que vasta) e outra universal (apesar das suas diversas e diferenciadas manifestações).

    É este cruzamento (que os Caminhos têm todos essa propriedade de se intercetar) que sublinho nesta XX edição do Festival de “todo o cinema português“.

    A Universidade de Coimbra mais uma vez se cruza também com estes Caminhos, como não podia deixa de ser, associando-se ao Festival de muitas maneiras. E com a satisfação de quem assiste ao fim do intervalo e ao retomar da projeção.

  • Bruno Fontes

    Bruno FontesInvestigador

    Bruno Fontes licenciou-se em Estudos Portugueses e Lusófonos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, e concluiu, na mesma instituição, o Mestrado em Estudos Artísticos, na área de estudos fílmicos. Tem desenvolvido atividades em conjunto com diversas associações culturais em Coimbra, no Porto e na Figueira da Foz. As suas áreas de interesse centram-se no diálogo do cinema com as outras artes, das quais se destacam a literatura e a música, e na análise da arte e da cultura de massas na sociedade contemporânea. Está neste momento a frequentar o Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura na Universidade de Coimbra.

  • João Viana

    João VianaAssociação de Produtores de Cinema e Audiovisual

    João Viana nasceu em Angola, em 1966. Entre 1988 e 1994, licenciou-se em direito em Coimbra e estudou cinema no Porto. Trabalhou em produção, som, story-board, realização e finalmente argumento. Em 2007 escreveu “ Olhos Vermelhos” para Paulo Rocha. Entretanto trabalhou com cineastas como José Alvaro, Rob Rombout, Filipe Rocha, Sagueneil, Seixas Santos, Cesar Monteiro, Grilo, Biette, Manuel de Oliveira , Schroeter… Começou a realizar os seus próprios filmes em 2004, ao lado de Iana Ferreira, com o filme A PISCINA(Festival de Veneza, em competição) a que se seguiram A BATALHA DE TABATÔ e TABATÔ ambas premiadas em Berlim 2013. Presentemente trabalha na sua segunda longa metragem, produzida pela produtora que fundou, Papaveronoir. Actualmente é Secretário-Geral da Associação de Produtores de Cinema e Audiovisual.

  • Joana Ferreira

    Joana Ferreira

    Joana Ferreira nasceu em Lisboa em 1973. É diretora e produtora na C.R.I.M. Estudou Antropologia na Universidade Nova de Lisboa e tem vindo a trabalhar na produção de filmes portugueses desde 1998. Desenvolveu e financiou projetos de cinema como gerente de produção. Entre os diretores com quem ela trabalhou encontram-se Manoel de Oliveira, João César Monteiro, João Canijo, João Botelho, Raoul Ruiz, Teresa Villaverde, Paulo Rocha, Catarina Ruivo, Miguel Gomes e Marco Martins. Desde 2006 que tem trabalhado como produtor em tempo integral e diretor-gerente da CRIM com um foco especial em longas de ficção.

  • Magnífico Reitor da Universidade de Coimbra

    Magnífico Reitor da Universidade de CoimbraJoão Gabriel Silva

    Uma palavra de grande incentivo ao festival Caminhos do Cinema Português, pela muito relevante ação que tem tido, e continuará seguramente a ter, na divulgação do cinema que se faz em Portugal.

  • Pedro Ribeiro

    Pedro RibeiroJornalista

    Born in Coimbra, Pedro Ribeiro, from a young age, decided to pursue a journalistic career. His first job was at a pirate radio, and after that followed “Diário de Coimbra”, TSF, “Jornal de Coimbra” and the newspaper “O Jogo”.

  • Sua Excelência O Primeiro Ministro do Governo de Portugal

    Sua Excelência O Primeiro Ministro do Governo de PortugalPedro Passos Coelho

    Os Caminhos do Cinema Português

    O cinema que se faz em Portugal continua, pela sua natureza, a ser um dos principais setores identitários da nossa cultura. Tornou-se visivél ao longo dos nossos quarenta anos de democracia, pela presença que tem registado em todos os festivais e fóruns internacionais e pela boa recepção crítica junto de especialistas nacionais e estrangeiros.

    Os Caminhos do Cinema Português, que se realizam anualmente em Coimbra, são, por conseguinte, uma oportunidade exemplar para informação e formação de públicos que, naquela cidade, já se habituaram a assistir à produção cinematográfica portuguesa mais recente.

    A organização deste acontecimento tem tido ainda o cuidado de preparar ciclos dedicados aos autores, artistas, técnicos ou correntes que, no passado ou mais recentemente, perspectivam a evolução de tendências ou revelam facetas menos divulgadas do nosso cinema, contribuido assim para a sua história viva.

    Congratula-se, pois, mais esta edição dos Caminhos do Cinema Português, esperando o maior sucesso para os seus organizadores e para o público."

  • Presidente do Conselho Diretivo do Instituto do Cinema e do Audiovisual, I.P.

    Presidente do Conselho Diretivo do Instituto do Cinema e do Audiovisual, I.P.Filomena Serras Pereira

    Coimbra e os Caminhos do Cinema Português

    Coimbra é um importante centro nevrálgico do ponto de vista social e estudantil porque congrega uma das unidades hospitalares mais importantes do país, servindo quase um terço da população portuguesa, e é também um local de grande concentração de jovens universitários.

    É, além disso, um pólo de cultura com tradições nas áreas da literatura, da fotografia, das artes plásticas em geral e, porque esse é o nosso campo, no Cinema.

    Se bem pensarmos na cidade de Coimbra visualizada nos filmes nacionais, são vários os exemplos em que múltiplas facetas da urbe nos são narradas, desde, por exemplo, “Capas Negras” de Armando de Miranda, até ao mais recente “Rasganço” de Raquel Freire.

    Torna-se, por conseguinte, muito importante que um acontecimento anual sobre o cinema português tenha lugar em Coimbra, numa época do ano em que se regista uma maior vocação de públicos para assistirem às sessões que, não só divulgam os exemplos mais recentes da cinematografia nacional, mas também se debruçam na reflexão sobre aspectos específicos daquela arte: ciclos dedicados a autores ou a tendências, actuais ou passadas, da nossa história do cinema.

    O Instituto do Cinema e do Audiovisual, empenhado em prosseguir um desígnio de divulgação da produção cinematográfica nacional, congratula-se com mais uma edição dos Caminhos do Cinema Português, estimando que constitua um êxito para a organização e para o público.

  • Tiago R. Santos

    Tiago R. SantosArgumentista

    Tiago R. Santos nasceu em 1976 e, depois de uma curta carreira como jornalista, iniciou o seu trabalho de argumentista em 2007 com Call Girl.

  • Fernando Vendrell

    Fernando VendrellProdutor e Realizador

    Fernando Vendrell nasceu em 1962, Lisboa. Estudou no Liceu Pedro Nunes. Em 1985 formou-se em Montagem na Escola Superior de Teatro e Cinema/IPL no Conservatório Nacional. Foi assistente de realização e trabalhou com realizadores, como: Manoel de Oliveira, João César Monteiro, José Fonseca e Costa, Raoul Ruiz, João Canijo, Manuel Mozos, Luís Alvarães, etc. .

  • Director do Teatro Académico de Gil Vicente

    Director do Teatro Académico de Gil VicenteFernando Matos Oliveira

  • Lauro António

    Lauro António

    Licenciado em História, pela Faculdade de Letras de Lisboa. Realizador de cinema (Manhã Submersa e O Vestido Cor de Fogo), e de televisão (séries Histórias de Mulheres (ficção), Prefácio a Vergílio Ferreira, O Zé Povinho na Revolução, Vamos ao Nimas, José Viana, Maria Sobral Mendonça, A Paródia, Novo Elucidário Madeirense, Humberto Delgado: Obviamente, Demito-o!, (documentarismo), Cantando Espalharei… (poesia). Presença em centenas de Festivais e Semanas de Cinema Português. Diversos prémios, nacionais e internacionais. Filmes vendidos para circuitos comerciais e televisões de dezenas de países – Europa, EUA, África e América Latina.

  • Ana Saragoça

    Ana SaragoçaTradução e Legendagem

    Frequentou o curso de Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses e Ingleses, da Faculdade de Letras de Lisboa e formou-se como actriz na Escola Superior de Teatro e Cinema. Em 2003, depois de uma formação com a Dra. Teresa Sustelo, responsável pelo departamento de Tradução e Legendagem da RTP, inicou a atividade de tradutora/legendadora, que mantém até hoje.

  • João Braz

    João BrazMontagem 1 e 2

    Aprendeu montagem na Escola Superior de Teatro e Cinema. Montou dezenas de longas-metragens, documentários, assim como séries de ficção e publicidade. Entre eles, “Os Maias”, ”Alice", "Noite Escura", “Sangue “do Meu sangue, "Linha Vermelha", "Sangue do meu Sangue" e “Os filhos do Rock”.

  • Afonso Pimentel

    Afonso Pimentel

    Estreou-se com catorze anos numa longa-metragem de Luís Filipe Rocha, Adeus Pai (1996), que lhe valeu o Prémio de Melhor Actor Jovem do Festival Internacional de Moscovo (1997). Desde então teve participação em várias séries, novelas e telefilmes portugueses. Em 2003 foi dirigido por João Lourenço no Teatro Aberto, em Demónios Menores de Bruce Graham, trabalhando com o mesmo encenador em Galileu Galilei de Bertolt Brecht, em 2006. Participou também na peça Pedras Rolantes de Pedro Ribeiro, numa encenação de António Pires (2004).

  • Katherine Sellar

    Katherine SellarCinema For All

    É curadora da Cinema For All desde 2011, assumindo o papel de presidente entre 2014 e 2016. A Cinema For All apoia a organização nacional do Reino Unido para o Cinema, liderado pela comunidade: cinemas comunitários, clubes de cinema e sociedades.

  • Cristina Faria

    Cristina FariaEscola Superior de Educação de Coimbra

    Cristina Faria, diretora da licenciatura em Teatro e Educação na ESEC. Doutora em Psicologia e Ensino da Música é, desde 2009, investigadora no CESEM (Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical) da Universidade Nova de Lisboa. É docente da área de Música na ESEC, lecionando nos Cursos de Música, Teatro e Educação, Comunicação Social e Gerontologia Social.

  • Elsa Margarida Rodrigues

    Elsa Margarida RodriguesUniversidade de Coimbra

    Elsa Margarida Rodrigues é investigadora do Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos e do Instituto de Psicologia Cognitiva Desenvolvimento Humano e Social da Universidade de Coimbra. É licenciada em Filosofia e Jornalismo e doutorada em Sociologia da Cultura pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra com a tese Alteridade, Tecnologia e Utopia no Cinema de Ficção Científica Norte Americano: o Caso Alien. Publicou em 2012 os livros Ecos do Mundo Zero: Guia de interpretação de Futuros, Aliens e Ciborgues e Do Oitavo Passageiro ao Clone Número Oito. Ao longo dos anos tem leccionado em diversas instituições de ensino secundário, politécnico e superior.

  • Caterina Cucinotta

    Caterina CucinottaDireção de Arte

    É Doutorada em Ciências da Comunicação na Universidade Nova de Lisboa (2015). Defende que a união entre a prática e a teoria na profissão é fundamental para estimular a criatividade, enriquecer um filme com ideias e citações e compreender a fundo os conceitos que o realizador quer transmitir.

  • Edgar Feldman

    Edgar Feldman

    Montagem para cinema:
    2015 – Montagem de A Fábrica, longa‐metragem, realização Pedro Pinho, produção Terratreme. Em execução; 2014 – Montagem de Montanha, longa‐metragem, realização João Salaviza, produção Filmes do Tejo; 2013 – Montagem de A Batalha de Tabatô, longa-metragem, realização João Viana, produção Papavarenoir; Special Mention Best First Film Berlinale 2013; 2013 – Montagem de Tabatô, curta‐metragem, realização João Viana, produção Papavarenoir; DAAD Schort Film Award Berlinale 2013;

  • Cláudia Marques Santos

    Cláudia Marques SantosJornalista

    Licenciada em Ciências da Comunicação e Mestre em Cultura contemporânea e Novas Tecnologias pela FCSH/ Universidade Nova de Lisboa, Cláudia Marques Santos é uma jornalista freelancer que trabalha na área da cultura. Tem artigos publicados em imprensa – começou a carreira no semanário O Independente, passou pela Notícias Magazine (DN/ JN) e Vogue Portugal, colabora actualmente com as revistas Máxima, UP Inflight Mag, Visão – e tem um vasto know how editorial em magazines de cultura para televisão (Pop Up/ RTP 2, Blitz TV/ SIC Notícias, Fuzz/ SIC Radical, Lisboa Mistura TV/ SIC Notícias) e em documentários (‘Não Me Obriguem a Vir Para a Rua Gritar’, sobre Zeca Afonso, RTP). Tem também um projecto de entrevistas online chamado If You Walk the Galaxies (.com).

  • Lynn Alves

    Lynn AlvesUniversidade do Estado da Bahia

    Lynn Rosalina Gama Alves, atualmente Bolsista de Produtividade Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora do CNPq - Nível 2, possui graduação em Pedagogia pela Faculdade de Educação da Bahia (1985), Mestrado (1998) e Doutorado (2004) em Educação pela Universidade Federal da Bahia. O Pós-doutorado foi na área de Jogos eletrônicos e aprendizagem pela Università degli Studi di Torino, na Itália.

  • João Lopes

    João LopesCrítica Cinematográfica

    Crítico de cinema do Diário de Notícias e da SIC Notícias e argumentista dos filmes Lá Fora (2004) e 98 Octanas (2006), ambos de Fernando Lopes.

    É realizador de Fernando Lopes Provavelmente (2008) e professor da Escola Superior de Teatro e Cinema.

  • Luís Miguel Oliveira

    Luís Miguel OliveiraCrítico

    Nasceu em Setembro de 1970, em Tomar. Licenciou-se em Comunicação Social pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Integra o departamento de programação da Cinemateca desde 1993, tendo sido seu director entre 2009 e 2015. É crítico de cinema do Público desde 1994. Colaborou com várias publicações especializadas, nacionais e internacionais, e cumpriu o papel de jurado em diversos festivais de cinema (IndieLisboa, Festival de Cinema Luso-Brasileiro, PlayDoc, entre outros).

  • Magnífico Reitor da Universidade de Coimbra

    Magnífico Reitor da Universidade de CoimbraProf. Doutor João Gabriel Silva

    O festival Caminhos do Cinema Português exerce uma função essencial no cinema português, quer divulgando a produção existente quer abrindo caminho a novos interessados nesta atividade, que é tão potenciadora da dinâmica de uma sociedade que tem de ser proativa. Estou certo que esta edição vai estar à altura desta missão, abrindo mais portas, sempre renovadas.

  • Tomás Baltazar

    Tomás BaltazarMontador

    Tomás Baltazar possui uma licenciatura em Som e Imagem pela Universidade Católica do Porto, uma pós-graduação em Edição de Cinema e Televisão pela Escola de Cinema e Televisão Septima Ars de Madrid, tendo ainda frequentado o Cumbria Institute of the Arts, em Carlisle, Reino Unido. Estreou a curta metragem “um dia cabouqueiros” no IndieLisboa2015, competição nacional. A sua segunda curta-metragem, “Descalço” (2010) estreou no Festival Luso-Brasileiro de Santa Maria da Feira, onde venceu o prémio “Onda Curta RTP2”. Com uma já longa carreira em montagem , montou cerca de 40 filmes desde 2005, entre longas, curtas, documentários e ficção de realizadores como Edgar Pêra, Rodrigo Areias, Miguel Clara Vasconcelos, Raquel Freire, Aya Koretzky, André Gil Mata, João Trabulo, Vincent Lefort,  Sofia Marques, Albano Silva Pereira, Júlio Alves ou Jorge Quintela, João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, Tiago Afonso, António Borges Ferreira, Nathalie Mansoux, Pilar Palomero, Manel Raga Raga. Estes filmes foram exibidos e premiados em festivais como Doclisboa, IndieLisboa , Roterdão, Visons du Réel, Rio de Janeiro, São Paulo, Chicago, Cinesul, Guadalajara, Sevilha, Vila do Conde, Festival Internacional de cinema Curitiba, Fantasporto ou Documenta Madrid, Seul, Berlim.

  • Teresa Tavares

    Teresa TavaresAtriz

    Estreou-se como atriz em 2000 e desde então trabalha em teatro, cinema e televisão.

    Frequentou o Curso de Atores da Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa, o Shakespeare Course, da Lamda, em Londres, e fez ainda formação em Method Acting no Lee Strasberg Institute, enquanto bolseira da Gulbenkian.

  • Pedro Alves

    Pedro AlvesUniversidade Católica Porto

    Doutor em Comunicação Audiovisual pela Faculdade de Ciências da Informação da Universidade Complutense de Madrid. Docente do Departamento de Som e Imagem da Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa (Porto). Investigador do CITCEM-FLUP desde 2012 e membro da Associação Científica ICONO14 (Espanha) desde 2010. Formador do Plano Nacional de Cinema desde 2015. Participação em vários congressos e variadas publicações sobre cinema, narrativa, ficção e a pragmática fílmica, com particular incidência na aprendizagem através do cinema.

  • João Mário Grilo

    João Mário GriloUniversidade Nova de Lisboa

    João Mário Lourenço Bagão Grilo (Figueira da Foz, 8 de Novembro de 1958) é um professor universitário, ensaísta e cineasta português. É licenciado em Sociologia (1983) e doutorado em Ciências da Comunicação (1987). É Professor Catedrático do Departamento de Ciências da Comunicação da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Tem publicado artigos de crítica, história e teoria do cinema e da imagem. Foi autor de uma coluna intitulada Imagens, publicada na revista Visão. Realizador, sua primeira longa-metragem, A Estrangeira (1983), recebeu o Prémio Georges Sadoul no Festival de Veneza.

  • Paulo D’Alva

    Paulo D’AlvaRealizador de Animação

    Paulo Alexandre D´alva Baptista nasceu em Avanca em 1980. É Licenciado em artes plásticas – ESAP – Escola Superior Artística do Porto e Mestre em Ensino das Artes Visuais pela Universidade de Aveiro.

  • João Antunes

    João AntunesHistória e Linguagem do Cinema

    Nascido em Lisboa, em 1958. Professor e crítico cinematográfico, trabalha na Cinemateca Portuguesa desde 1983. Júri do AVANCA em 2007, tem sido membro de júris, convidado por festivais de vários continentes.

  • Carlos Gaio

    Carlos GaioCinanima

    Carlos Luís Gaio, nasceu em Espinho em 15 de abril de 1980. É licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade do Porto, exerceu advocacia e atualmente trabalha como jurista. No que respeita a atividades desenvolvidas em regime de voluntariado e num espírito de dinamização cultural: Colabora com o CINANIMA regularmente desde 1997, tendo estado ligado a várias áreas do festival, desde a produção de conteúdos editioriais, secretariado de júris, a programação, entre outras atividades operacionais do festival, integrando atualmente a sua Comissão Organizadora (desde 2004); Foi redator do jornal local "Maré Viva" entre os anos de 1998 a 2002, tendo assumido as funções de editor de cultura deste semanário de fevereiro de 2005 a julho de 2006; Entre 1999 e 2003 foi redator no Jornal "A Tribuna" da FDUP; É ator no Teatro Popular de Espinho desde 1992; Desde 1994 que é ativista regular da "Nascente, Cooperativa de Ação Cultural", tendo feito parte da direção em diversos mandatos; Participa regularmente em sessões de poesia em Espinho e no Porto; e colabora pontualmente com diversos agentes criativos na produção de conteúdos e escrita criativa. É um amante da sétima arte em geral e do cinema de animação em particular, marcando presença em vários festivais de cinema no nosso país e estrangeiro.

  • Francisco Amaral

    Francisco Amaral

    Produtor e realizador de audiovisuais. Actual director da ESEC TV (RTP 2). Autor de vários programas de rádio entre os quais "Íntima Fracção" (Antena 1, TSF, RUC, RCP, Expresso Online). Director de Produção em televisão. Docente universitário na área da Comunicação e das Artes. Formação inicial universitária em Artes Visuais, Arquitectura e História da Arte. Estágios em Cinema de Animação com Gaston Roch - Instituto Superior de Artes Visuais de Bruxelas. Bolseiro em França da Federação Portuguesa de Cinema e Audiovisuais.

  • Rita Salema

    Rita SalemaAtriz

    Atriz conhecida do público essencialmente pelo seu trabalho televisivo, foi no teatro que se iniciou no ano de 1987. De então para cá, representou inúmeras peças onde se destacam textos originais portugueses como Feira Vicentina, O Destino Morreu de Repente de Alves Redol, A Pécora de Natália Correia ou Perdição de Hélia Correia.

  • Anabela Teixeira

    Anabela TeixeiraActriz

    Anabela Teixeira nasceu em 1973. Possui o Curso de Actores do Instituto de Formação, Investigação e Criação Teatral de Lisboa – IFICT (1990/1991) bem como o Curso de Actores da Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa (1992/1995). Em 1993 estreia-se profissionalmente em televisão como protagonista da mini-série Viúva do Enforcado, dirigida pelo brasileiro Walter Avancini ao mesmo tempo que faz parte do elenco principal do filme de António de Macedo, Chá Forte com Limão. De então para cá participou em inúmeros filmes, telenovelas e mini-séries, bem como em outros programas de televisão.

  • Alexandra Assis Rosa

    Alexandra Assis RosaFaculdade de Letras da Universidade de Lisboa

    É Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, Estudos Ingleses e Alemães (FLUL, 1989), Mestre em Literatura Alemã (FLUL, 2004) e Doutorada em Estudos de Tradução (FLUL, 2004), com uma tese à negociação do poder, ideologia e da retórica interpessoal na narrativa Dickensiana traduzida para português (1950-1999).

  • Paulo Cunha

    Paulo CunhaProfessor/Investigador/Programador

    Paulo Cunha é Doutor em Estudos Contemporâneos pela Universidade de Coimbra, docente de Cinema na Universidade da Beira Interior, investigador do CEIS20-UC e programador no Cineclube de Guimarães e nos festivais internacionais de cinema Curtas Vila do Conde e Porto/Post/Doc.

  • David Bonneville

    David BonnevilleRealizador, Argumentista

    David Bonneville é um realizador português. Licenciado em Som e Imagem pela Universidade Católica, fez o curso de realização com a Academia de Cinema de Berlim / Fundação Gulbenkian e é mestre em Argumento pela Universidade de Westminster. Iniciou a carreira assistindo ao centenário realizador Manoel de Oliveira e dá formações regulares a atores no The Actors Centre em Londres. O seu filme “Heiko” ganhou o Prémio de Melhor Curta-Metragem no MixCopenhagen, na Dinamarca. A atriz da sua curta “L’Arc-en-Ciel”, ganhou o Prémio de Melhor Atriz, em Coimbra, no Festival Internacional de Cinema em Língua Portuguesa.

  • Carlos Antunes

    Carlos AntunesCírculo de Artes Plásticas de Coimbra

    Licenciado em arquitetura pela FAUP e doutorando em arte contemporânea pelo Colégio das artes da UC.
    Arquiteto do Atelier do Corvo e diretor do CAPC, condição dupla que partilha com a arquiteta Désirée Pedro.

  • Doutor Francisco Ferreira

    Doutor Francisco FerreiraUniversidade do Minho

    Francisco Ferreira, arquitecto, licenciado pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto - FAUP em 1991. Mestrado em Arquitectura Metrópolis com a dissertação “Silent Witness - Introdução ao Imaginário Arquitectónico e Urbano de John Hejduk”, pela Escola Técnica Superior de Arquitectura de Barcelona - ETSAB, em 2000. Doutorado pela Escola de Arquitectura da Universidade do Minho - EAUM sob o tema The Capsule and Postwar Architectural Avant-Garde, circa 1956, em 2010.

    Desde Outubro 1997, é docente na EAUM, onde tem leccionado as unidades curriculares Movimentos da Arte e da Arquitectura Contemporânea (1º ano), Projecto III e IV (2º ano) e Cidades e Cinema(5º ano).

    É Investigador do LAB2PT/UM. Co-fundador da revista de cultura arquitectónica Laura, editada pela EAUM, entre 2003 e 2005. Em 2013 escreveu e realizou uma curta-metragem de ficção sobre arquitectura intitulada Panorama. Panorama teve selecção oficial em vários festivais de cinema nacionais e internacionais e venceu o prémio de Melhor Curta-Metragem de Ficção Nacional no Arquitecturas Film Festival, Lisboa, em 2013. A convite da criadora de moda Anabela Baldaque, escreveu e realizou, em 2014, a curta-metragem de ficção Anywhere.

  • Presidente do Conselho Directivo do Instituto do Cinema e Audiovisual – I.P.

    Presidente do Conselho Directivo do Instituto do Cinema e Audiovisual – I.P.Luís Chaby Vaz

    Os festivais tomam uma posição cada vez mais importante no panorama cultural português, quer ao nível da diversidade da programação, quer como dinamizadores culturais, ou como pólos de reflexão e de convergências artísticas. Foi neste cenário que o Caminhos do Cinema Português se projectou como referência no contexto do cinema nacional. Destacando-se pelo importante papel que tem vindo a desempenhar enquanto descentralizador do acesso à cultura, aquele que, na sua 23.ª edição, se apresenta ainda como o único festival dedicado a todo o cinema português, é hoje um acontecimento incontornável e imperdível no panorama dos festivais de cinema em Portugal. O festival Caminhos do Cinema Português reveste-se de grande singularidade, pautada pelo profissionalismo de todos os que o compõem e que se reflete na qualidade da programação que ano após ano tem vindo a apresentar. Sem esquecer o contributo que este festival tem dado ao debate e à discussão sobre o Cinema (pela organização do Simpósio) ou a sua aposta na formação (com o curso Cinemalogia e os frutos que daí já recolheu), é com enorme satisfação que, mais uma vez, fazemos parte desta concretização.

  • Ana Catarina Pereira

    Ana Catarina PereiraUniversidade da Beira Interior

    Ana Catarina Pereira é docente na Universidade da Beira Interior. Doutorada em Ciências da Comunicação pela mesma universidade, com tese intitulada “A mulher-cineasta: Da arte pela arte a uma estética da diferenciação”, é também investigadora do LabCom, co-organizadora do livro “Geração Invisível: Os novos cineastas portugueses” e assistente editorial do International Journal of Cinema.

  • Catarina Maia

    Catarina MaiaInvestigadora

    Catarina Maia é licenciada em Estudos Artísticos, variante de Cinema, pela Universidade de Coimbra, onde fez também o curso de especialização em Estudos Fílmicos e da Imagem. Integra o Grupo 6 - Correntes Artísticas e Movimentos Intelectuais do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX. Actualmente prepara o seu doutoramento com uma tese sobre “A Moral no Cinema de João César Monteiro”. É crítica de cinema na Revista METROPOLIS e colabora regularmente com o Curso de Estudos Artísticos nas disciplinas de Análise de Filmes e Crítica Cinematográfica.

  • Malek Shafi’i

    Malek Shafi’iDiretor de Festival de Cinema

    Malek Shafii é o fundador e director executivo do Afghanistan International Human Rights Film Festival (AIHRFF).

    Shafii é um realizador de documentários premiado, sediado no Kabul, que tem vindo a trabalhar neste país destruído pela guerra e no estrangeiro nos últimos 17 anos. Shafii completou os seus estudos no Baagh Ferdaws Filmmaking Center em Teerão e na Universidade de Kateb em Kabul (nesta última na área dos estudos sociológicos). Para além disto, participou em cursos de produção de filmes e administração de artes na Holanda e nos Estados Unidos. Malek regressou ao Afeganistão após 20 anos de exílio e em 2006 fundou o Afghanistan Cinema Club BASA, uma organização sem fins lucrativos que promove o desenvolvimento de projetos culturais e artísticos com o objetivo de treinar e produzir o trabalho de realizadores afegãos em emergência no Afeganistão. Outros projetos culturais com os quais tem vindo a colaborar de forma exclusiva são: o Festival Internacional de Documentários e Curtas-Metragens de Kabul; e o Second Take Film Festival 2008 um festival de cinema que justapõe o tema género, cinema e sociedadeno Afeganistão.

    Malek também trabalhou como Chefe de Média e Conselheiro de Comunicação para a Rádio e Televisão do Afeganistão, em diferentes ONGs e organizações internacionais, assim como com o sistema de agências das Nações Unidas no Afeganistão, implementando filmes e projetos de comunicação social para a promoção da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Shafii realizou e produziu mais de 35 filmes, alguns dos quais ganharam prémios internacionais em diversos festivais internacionais em anos anteriores. Foi membro do júri do Tolo TV Film Festival, Kabul Film Festival, Amnesty Award of CPH-DOX, MyView Video competition for ADB (Asian Development Bank) e o Movies that Matter Film Festival. Malek fez parte do 2012 ArtsLink Residencies no âmbito do programa Fellow in Visual Arts and Media, um programa que envolve  comunidades através de parcerias internacionais artísticas. Com o objectivo de usar meios de comunicação tradicionais e modernos para influenciar a realização e produção de filmes, criar impacto nos direitos humanos e ligar a situação atual do Afeganistão a assuntos dos direitos humanos de outras partes do mundo e com a necessidade de criar uma plataforma para ajudar os realizadores afegãos a mostrar o seu talento e o os conhecimentos dos apreciadores de cinema e do público internacional a viver no Afeganistão, Malek lançou a primeira edição do Afghanistan Human Rights Film Festival em Kabul, assim como noutras províncias do país, em 2011, com o principal objectivo de fazer chegar as histórias dos direitos humanos a uma maior audiência e ao contexto real do Afeganistão.

  • Director do Teatro Académico de Gil Vicente

    Director do Teatro Académico de Gil VicenteFernando Matos Oliveira

    O Teatro Académico de Gil Vicente tem mantido uma relação estreita e empenhada com o projecto Caminhos do Cinema Português, uma iniciativa do Centro de Estudos Cinematográficos/AAC. Em 2014, o TAGV saúda o regresso auspicioso dos Caminhos, um evento que acolhe desde a primeira hora.

    Em nenhum outro lugar pode o público da cidade e do país conhecer e confrontar, a cada ano, a mais recente cinematografia portuguesa, nos seus diversos formatos e tradições expressivas, desde projetos de formação, passando pela animação, pelo documentário, pela curta e longa-metragem.

    Num país marcado pela síndrome do inacabado e por uma vida cultural com dificuldades em manter projetos no tempo, esta vigésima edição é prova da perseverança dos seus organizadores, que assim contribuem para tornar pública e visível a força criativa e produtiva do cinema português.

  • Fausto Cruchinho Pereira

    Fausto Cruchinho PereiraUniversidade de Coimbra

    Doutor em Estudos Artísticos, área de especialização em Estudos Fílmicos e da Imagem, pela Universidade de Coimbra Professor Auxiliar da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Curso de Estudos Artísticos. Investigador Integrado do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS20) da Universidade de Coimbra. Grupo Correntes Artísticas e Movimentos Intelectuais.

  • Carlos Coelho

    Carlos CoelhoProfessor

    Carlos Campos Coelho é professor na Escola Superior de Tecnologia de Abrantes (I. P. Tomar) onde criou e dirigiu o curso de licenciatura em Vídeo e Cinema Documental. É dirigente do cineclube espalhafitas, sócio da Bonifrates – Cooperativa de Produções Teatrais e da Livraria Ler Devagar. Foi membro da direcção da Federação Portuguesa de Cineclubes. Intervém em projectos artísticos, como o Animaio e Viagens Literárias.

  • João Correia Martins (Joni)

    João Correia Martins (Joni)Director de Arte

    João Correia Martins (Joni) nasceu em Lisboa em 1953 num quarto com vista para o Tejo. A água sempre teve uma grande importância na forma de estar e ser. É Aquario e Dragão. Teve um percurso normal de estudante, frequentou o curso de Arquitectura da ESBAL (não tendo concluído o Bacharelato por diversas razões de vida, e, vidas), experimentou outros terrenos; artes gráficas (Paramount do Brasil, Revista Desportos 1976 ), fotógrafo ( Livro sobre Minas de Morro Velho, MG, Brasil), circo com Tété, mas sempre próximo do cinema por relações familiares e de amizade.

  • Sua Excelência O Presidente da Assembleia da República

    Sua Excelência O Presidente da Assembleia da RepúblicaEduardo Ferro Rodrigues

    Com o seu Alto Patrocínio:


    A cidade de Coimbra acolhe este ano o XXIII Festival Caminhos do Cinema Português. Ao fim de 23 edições podemos dizer que o Festival já representa uma marca incontornável na vida cultural da cidade e no panorama cinematográfico nacional. O Festival, promovido pela Associação de Artes Cinematográficas de Coimbra e do Centro de Estudos Cinematográficos da Associação Académica de Coimbra, constitui-se como mostra da pluralidade do Cinema português,garantindo o reconhecimento artístico e popular do trabalho que se vai desenvolvendo e a necessária renovação da sétima arte em Portugal. Em nome da Assembleia da República, saúdo a Associação Caminhos do Cinema Português, desejando os maiores sucessos para a edição deste ano.

  • Fernando Moura

    Fernando MouraJornalista

    Fernando Moura carries on his business in the areas of media, advertising and social networks. He was responsible for the creation and development of various media, mostly in the areas of press and broadcasting.

  • Sara Santos

    Sara SantosComunicação Digital

    Consultora em Marketing Digital e e-commerce em empresas nacionais e internacionais. Colabora com a agência Internacional iTrends na otimização para motores de busca (SEO) da loja online portuguesa da ZARA. Docente convidada no Ensino Superior Público em Coimbra e em Viseu.

  • Doutora Mirian Tavares

    Doutora Mirian TavaresUniversidade do Algarve

    Mirian Estela Nogueira Tavares é Professora Associada da Universidade do Algarve. Com formação académica nas Ciências da Comunicação, Semiótica e Estudos Culturais (doutorou-se em Comunicação e Cultura Contemporâneas, na Universidade Federal da Bahia, diploma reconhecido pela Universidade Nova de Lisboa), tem desenvolvido o seu trabalho de investigação e de produção teórica, em domínios relacionados com o Cinema, a Literatura e outras Artes, bem como nas áreas de estética fílmica e artística. Atualmente é Coordenadora do CIAC (Centro de Investigação em Artes e Comunicação - e Diretora da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve.

  • Mário Augusto

    Mário AugustoJornalista

    Nasceu no lugar de Espinho, Vila Nova de Gaia, em Março de 1963. Começou a carreira de jornalista em 1985, estagiando no jornal O Comércio do Porto, vindo posteriormente a colaborar regularmente, sempre na área do cinema, no semanário Sete e nas revistas Sábado, Cosmopolitan, Nova, Caras, Invista e Focus.

  • Francisco Cordeiro Filho

    Francisco Cordeiro FilhoUniversidade Federal do Rio de Janeiro

    É Doutorado em Educação Brasileira (1992) e Mestre em Educação (1983) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É Professor Associado da Universidade Federal do Rio de Janeiro e vice-coordenador do Laboratório de Pesquisa em Tecnologias da Informação e da Comunicação (LATEC/UFRJ).

  • Nelson Zagalo

    Nelson ZagaloUniversidade de Aveiro

    Nelson Zagalo é professor de media interativos na Universidade do Minho, onde co-dirige o grupo de investigação engageLab. É membro-fundador da Sociedade Portuguesa de Ciências dos Videojogos. É editor do blog Virtual Illusion, autor dos livros "Emoções Interactivas, do Cinema para os Videojogos" e "Videojogos em Portugal - História, Tecnologia e Arte", e editor de Virtual Worlds and Metaverse Platforms: New Communication and Identity Paradigms” (2011) e “Creativity in the Digital Age” (2015).

  • Cleia Almeida

    Cleia AlmeidaAtriz

    Atriz portuguesa e brasileira formada pela Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa e pela Real Escuela Superior de Arte Dramático de Madrid. Apaixonada pelo que faz, aos 15 anos fez a sua primeira curta-metragem com o realizador conimbricence António Ferreira e aos 17 anos saiu de Coimbra para estudar teatro.

  • Diretor do Teatro Académico de Gil Vicente

    Diretor do Teatro Académico de Gil VicenteFernando Matos de Oliveira

  • Leandro Silva (Lee Fuzeta)

    Leandro Silva (Lee Fuzeta)

    Lee Fuzeta, em 2005 entrou no curso de Cinema da Universidade da Beira Interior. Concluiu a licenciatura em 2009 e no mesmo ano começou a trabalhar na área do audiovisual onde tem feito, sobretudo, trabalhos de edição e fotografia. Em 2009 estreia-se na realização com o documentário "Embargado". Em 2018 no filme "O Labirinto da Saudade" como Director de Fotografia

  • António Vitorino de Almeida

    António Vitorino de AlmeidaMaestro

    É Compositor, Maestro, Pianista, Escritor e Apresentador, sendo um dos compositores portugueses que mais obras produziu..

    Dedica-se esporadicamente a outras atividades, como a realização de programas de televisão sobre música.

  • Odd Vaagland

    Odd VaaglandProfessor

    Nasceu em Arendal, uma pequena cidade norueguesa de cerca de 42 000 habitantes. Em idade muito precoce ficou emocionado pela magia do cinema no teatro local. (É por isso que ainda ama a nostalgia do "Cinema Paradico" e “Last Picture Show”) Recorda-se de rir sem parar com os seus amigos com a pantomima de Chaplin em “Easy Street”, partilhavam o suspense sem fôlego enquanto viam o Tarzan a lutar com os leões e crocodilos da selva. E os filmes da Disney com a sua beleza e sentimentalismo. Consumia tudo sem resistência crítica, isto era a idade da inocência. Ás vezes ainda deseja voltar a esse tempo. Na sua juventude dourada não sabia nada sobre como manipular imagens e sons, era neste campo que estava autorizado a ser sentimental.

  • Miguel Monteiro

    Miguel MonteiroAtor

    Cinco meses depois de ter estado a viver em Coimbra para rodar o filme “Pedro e Inês” de António Ferreira, o ator Miguel Monteiro regressa à cidade para integrar o grupo de jurados de mais uma edição do Caminhos Film Festival. Nascido em Lisboa em Maio de 1965, Miguel Monteiro viveu os primeiros anos da sua vida profissional como jornalista. Passou pelo Expresso, fez parte das equipas fundadoras da TSF em 1988 e da SIC em 1992, ao lado de Emídio Rangel, foi director-adjunto do semanário de espetáculos Se7e, fez parte da equipa do programa “Cinemagazine” (RTP) de Fernando Matos Silva, colaborou ocasionalmente em várias publicações, onde escreveu sempre sobre a sua paixão: o cinema. Foi o primeiro jornalista português a fazer a cobertura em Los Angeles de uma cerimónia dos Óscares, em 1989 e repetiu a experiência por mais cinco vezes. Participou em eventos como os Spirit Awards, a grande celebração dos 80 anos de Frank Sinatra, entrevistou grandes figuras da velha Hollywood como Billy Wilder, Lauren Bacall, Robert Mitchum, Maureen O’Hara ou Anthony Quinn. Em 2005 aceitou o convite de João Botelho para participar no filme “O Fatalista” e começou um percurso de ator que nunca mais parou. Ao longo destes anos, Miguel Monteiro voltou a filmar com Botelho “Corrupção”, “A Corte do Norte” e “Os Maias – Cenas da Vida Romântica”, trabalhou com Peter Greenaway em “3X3D: Just in Time”, rodou “Giacomo Variations” de Michael Sturminger ao lado de John Malkovich, “Mistérios de Lisboa” de Raul Ruiz, “Linhas de Wellington” de Valeria Sarmiento, “Call Girl” de António-Pedro Vasconcelos, “Duas Mulheres” de João Mário Grilo, “Em Câmara Lenta” de Fernando Lopes, “Pó” e “Encontradouro” ambos de Afonso Pimentel, “Ao Deus Dará” de Tiago Rosa-Rosso, “Axilas” de José Fonseca e Costa ou “A Mãe é que Sabe” de Nuno Rocha, entre vários outros trabalhos.

  • Daniel Valente

    Daniel ValenteDirector de Marketing

    Licenciado em Cinema pela Escola Superior de Teatro e Cinema com especialização em Produção, colaborou, entre outros, na produção da curta-metragem Rhoma Acans, que integrou a competição “Ensaios Visuais”, da XIX edição do festival Caminhos do Cinema Português (2012). É, desde 2015, gestor de produto na NOS Audiovisuais, integrando a equipa de marketing do catálogo independente.

  • António Pedro Pita

    António Pedro PitaUniversidade de Coimbra

    António Pedro Pita é doutorado em Filosofia Contemporânea ("A experiência estética como experiência do mundo") com interesses na área da cultura portuguesa dos séculos XIX e XX e tem-se ocupado das relações entre a arte e a política. Na sua permanência de seis anos como Diretor Regional de Cultura do Centro (2005-2011) foram especialmente importantes os problemas referentes ao ordenamento cultural do território e às relações entre a tradição e a modernidade como eixo da identidade cultural.

  • Silvia Grabowski e Kati

    Silvia Grabowski e Kati

    Nascida em 1962 em Munique estudou Faculdade de Munique de Ciências Políticas. Começou a trabalhar em cinema em 1982, estreou-se no filme O nome da Rosa como assistente de Gabriella Pescucci. Trabalhou até 1989 em vários filmes e programas de televisão na Alemanha, destacando-se nesta fase o filme Cobra Verde de Werner Herzog. Em 1989 mudou-se para Lisboa, e a partir de 1993 iniciou o seu trabalho no cinema português, trabalhando com realizadores como Manoel de Oliveira, João César Monteiro, José Álvaro Morais, João Botelho, João Mário Grilo, Alberto Seixas Santos, José Fonseca e Costa, Jorge Paixão da Costa, Teresa Villaverde, Marco Martins, Miguel Gomes, João Nicolau.

  • Maria do Socorro Carvalho

    Maria do Socorro CarvalhoUniversidade do Estado da Bahia

    É Doutorada em História Social pela Universidade de São Paulo, com Pós-Doutoramento pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-Rio). É Professora Titular da Universidade do Estado da Bahia, no programa de Pós-Graduação em Estudo de Linguagens (PPGEL) e na graduação em Comunicação Social.

  • Pedro Adamastor

    Pedro Adamastor

    Pedro Adamastor começou a trabalhar como sonoplasta no teatro no final dos anos 90 e em poucos anos era responsável pela captação e pós-produção do som de grandes produções cinematográficas e televisivas.Tem uma carreira profissional abrangente dedicada ao som para cinema, televisão e teatro. Do seu currículo cinematográfico como Director de Som, destacam-se as longas metragens: Balas e Bolinhos 3 (2012), Mau Mau Maria (2014) e Video Vigilância (2013) e o trabalho em muitas curtas e médias metragens premiadas nos principais festivais de cinema nacionais e internacionais: 3x3D - Just in Time (2012) de Peter Greenaway, Land of my Dreams (2012) de Yann Gonzalez, Bicicleta (2013) realizado por Luís Vieira Campos e escrito por Valter Hugo Mãe, Novo Mundo (1999) de Jorge Neves.

  • Conservatório de Música de Coimbra

    Conservatório de Música de CoimbraManuel Rocha

    Quando o Cinema não era ainda som, em fita magnética, o som do cinema era Música. Talvez por causa da memória desses dias felizes, e iniciais, falar de Cinema e de Música - fazer Cinema e Música – é, muitas vezes, falar da mesma coisa: o desafio total dos sentidos e da inteligência dos humanos. Andréi Tarkóvsky, para o trabalho de montagem, esperava sempre pela partitura – era o “escultor do tempo” à procura do reagente sonoro em que havia de misturar os seus “bonecos” de luz. E quem diz este, diz os cineastas todos e os músicos todos, os pintores, os atores, os bailarinos, os encenadores, o público - a Arte é um lugar indispensável do nosso mundo.

    Por isso é que a entrada do Cinema numa Escola é sempre uma boa notícia. Mesmo que não haja, num primeiro momento, a curiosidade de ver além do postigo da prime-time; mesmo que o trabalho de procurar significados assuste; mesmo que seja o de Sísifo o exemplo seguido por aqueles que organizam, que promovem, que lutam (e, por isso, merecem toda a admiração).

    Para o Conservatório de Música de Coimbra é uma honra abrir a porta de casa para que o Cinema entre!

  • Jorge Pelicano

    Jorge PelicanoDireção de Fotografia 1 e 2

    Frequenta o mestrado de Comunicação e Jornalismo, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Em 2012, deixou o Jornalismo e está atualmente a trabalhar como Realizador de Documentários na produtora Até ao Fim do Mundo onde acabou recentemente o seu último trabalho - Pára-me de repente o pensamento.

  • Maria João Mayer

    Maria João MayerProdutora

    Maria João Mayer é produtora cinematográfica há mais de 10 anos e já trabalhou com alguns dos cineastas mais reconhecidos em Portugal — casos de Manoel de Oliveira, Fernando Lopes, Margarida Cardoso, entre muitos outros. Em relação às obras mais recentes, destacam-se Montanha e Rafa, de João Salaviza, Yvone Kane, de Margarida Cardoso, e Um Dia Frio, de Cláudia Varejão. Em 2015 foi uma de cinco mulheres distinguidas nos Prémios “Mulheres Criadores de Cultura" promovido pelo Gabinete de Estratégia, Planeamento e Avaliação Culturais do Ministério da Cultura.

  • Soraia Ramos

    Soraia Ramos

    Jornalista. Formou-se na Universidade de Coimbra, na Universidade Católica e na Universidade de Bamberg (Alemanha). Já fez reportagens aos microfones da SIC, da RTP, da Antena1, da SIC Notícias e da VISÃO. Já trabalhou em 78 países. Foi a primeira repórter mulher e a primeira jornalista portuguesa a fazer a cobertura da Guerra no Leste da Ucrânia.

  • Soraia Chaves

    Soraia ChavesActriz e Modelo

    Soraia Chaves nasceu em Besteiros, concelho de Paredes, a 22 de Junho de 1982. Depois de ter ganho o concurso Elite Model Look Portugal aos 15 anos, em 1997, Soraia foi modelo durante 8 anos. A sua estreia no cinema e nas luzes da ribalta deu-se com o seu papel da protagonista Amélia no filme O Crime do Padre Amaro. A sua interpretação no filme, que foi um sucesso em Portugal, deu-lhe fama imediata e virou as atenções nacionais para a ex-modelo.

  • Vicente Alves do Ó

    Vicente Alves do ÓRealizador

    Assinou o primeiro argumento em 2000, “Monsanto”, um telefilme da SicFilmes realizado pelo moçambicano Ruy Guerra. Este projecto abriu-lhe as portas da televisão e do cinema. Mudou-se para Lisboa, vivia em Sines, no Alentejo, e rapidamente começou a trabalhar com outros realizadores.

  • Daniela Barros

    Daniela BarrosUniversidade Aberta

    É Doutorada em Educação pela Universidade Federal de São Paulo, com um Pós-Doutoramento pela UNICAMP. É Mestre em Educação pela UNESP-BRASIL e Mestre em Engenharia dos Media para a Educação Euromime (Erasmus Mundus - Portugal, Espanha e França).

  • Isabel Silva

    Isabel Silva

    Formada em Produção de Cinema pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Actualmente exerce funções de Direcção de Produção em cinema e é Professora Adjunta Convidada na Escola Superior de Teatro e Cinema. Fez Direcção de Produção de filmes realizados por Miguel Gomes, Sandro Aguilar, Fernando Vendrell, Jorge Cramez, Miguel Fonseca, Verónica Castro e Helena Invernos, Mariana Gaivão, Raquel Jacinto e Paulo Guilherme.

  • Com o Alto Patrocínio de Sua Excelência A Presidente da Assembleia da República

    Com o Alto Patrocínio de Sua Excelência A Presidente da Assembleia da RepúblicaAssunção Esteves

  • José Alberto Pinheiro

    José Alberto PinheiroHistória e Linguagem do Cinema

    Realizador e produtor de cinema com percurso que vai da curta-metragem experimental à longa-metragem comercial, passando pelo documentário e televisão. Especialista em Artes da Imagem e mestre em Comunicação Audiovisual - Produção e Realização, pela Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo. Professor do ensino superior nas áreas de estudos visuais, vídeo e cinema.  Desenvolve trabalho de investigação nos campos da imagem em movimento, cultura popular e filosofia.

  • Gonçalo Galvão Teles

    Gonçalo Galvão Teles

    Filho do cineasta Luís Galvão Teles, Gonçalo formou-se em Direito pela Universidade de Lisboa antes de viajar para os Estados Unidos onde concluiu o Mestrado em Escrita de Argumento para Cinema e Televisão na Universidade do Sul da Califórnia. Regressado a Portugal, o seu primeiro argumento a ser produzido, a curta-metragem de animação “A Suspeita”, ganhou o Cartoon D’Or para melhor filme de animação europeu do ano 2000.

  • Paulo Montes

    Paulo Montes

  • Filipe Costa Luz

    Filipe Costa LuzUniversidade Lusófona de Humanidades e Tecnologia / Universidade Nova de Lisboa

    Filipe Costa Luz é doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa e professor de disciplinas de Pós-produção de imagem para cinema, animação e videojogos.. É director da licenciatura em Aplicações Multimédia e Videojogos e sub-director dos ciclos de Design da Universidade Lusófona. Co-dirige o laboratório MovLab (Laboratório de Interacções e Interfaces) no qual desenvolve actividade de investigação e organiza eventos de formação especializada (H2020, projecto Media e Erasmus+). Publicou o livro "Jogos de Computador e Cinema" e paralelamente à actividade lectiva, participa em projectos de comunicação visual para os mercados de entretenimento e publicidade.

  • Luísa Sequeira

    Luísa SequeiraJornalista, Realizadora e Programadora Cultural

    Formada em Ciências da Comunicação com especialização em realização de documentários, iniciou a carreira em Moçambique na TVM. Durante 10 anos trabalhou em televisão produzindo e coordenando vários projectos na área dos programas e documentários. Coordenou, produziu e apresentou o “Fotograma” da RTP, o único programa exclusivamente dedicado à promoção do cinema em língua portuguesa.

  • Cláudia Clemente

    Cláudia Clemente

    Claudia Clemente, arquitecta de formação, divide o seu trabalho actual entre a escrita e a realização cinematográfica, entre a ficção e os documentários. Nascida no Porto em 1970, estudou arquitectura nessa cidade e cinema em Lisboa e Barcelona. Licenciou-se em arquitectura na FAUP em 1995. Publicou o seu primeiro livro de contos, “O caderno negro” em 2003, na Editora Tinta Permanente, e o Segundo, “A fábrica da noite”, na Editora Ulisseia, em 2010. A sua peça ""Londres"" foi vencedora do Grande Prémio de Teatro S.P.A./Teatro Aberto 2011, e editada pela Imprensa Nacional Casa da Moeda. Publicou o seu primeiro romance, ""A casa azul"", em 2014. Concluiu o curso de Escrita de Argumentos para Longas-metragens da Gulbenkian, com a London Film School, em 2006. Terminou o curso de cinema na Restart, em 2007. Os seus contos foram editados em Portugal, Espanha e Itália. Realizou 4 curtas metragens e um documentário. Foi responsável pelos argumentos, storyboards, realização, direcção de arte, montagem e (na maioria dos casos) produção dos seus próprios filmes. Estes já foram exibidos em Portugal, no Brasil, no Uruguai, na Índia, em Cuba e em Itália, tendo sido premiados em diversos festivais.

  • Rita Loureiro

    Rita Loureiro

    Nasceu em Lisboa em 1969, concluiu o curso de formação de Actores da Escola Superior de Teatro e Cinema em 1991. Iniciou a sua atividade profissional num espectáculo encenado por Filipe La Féria no Centro de Arte Moderna.Tem participado ao longo dos anos em vários espectáculos na companhia de Teatro da Cornucópia, com os encenadores Luis Miguel Cintra e Christine Laurent.

  • Pedro Magano

    Pedro MaganoRealizador

    Pedro Magano (Ílhavo,1981), estudou Tecnologias da Comunicação Audiovisual no Porto, na Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo (ESMAE) acabando a licenciatura em 2007. Entre 2003 e 2008 colabora com a RTP como operador de câmara.

    Como Diretor de Fotografia participou nos documentários "O Vício da Liberdade", (2011) e "Manuel António Pina - Um sítio onde pousar a cabeça" (2012), ambos produzidos pela Terra Liquida Filmes. Em 2014 colaborou no projeto ArtMénia”, da Fundação Gulbenkian, e em 2015 nas suas duas primeiras longas-metragens documentais como realizador, “Irmãos” e “A um mar de distância”.

    Como realizador, Pedro estreou-se em 2007, com a curta-metragem no âmbito escolar “Logo hoje”,obtendo o Prémio Competição de Avanca, no Festival Internacional de Cinema de Avanca. Seguiu-se a média-metragem documental "Era Uma Vez no Iraque" (2014) sobre o atentado à base militar em Nassíria, em 2003. “Irmãos” é a primeira longa-metragem de Pedro, um documentário sobre as romarias de São Miguel, que obteve o Grande Prémio do Festival Caminhos do Cinema Português (PT, 2015), o Lince de Ouro de Melhor Documentário no Fest – New Directors FilmFestival  (PT, 2016), foi selecionado em vários festivais, entre eles, no Festival Filmes do Homem(PT) e no Festival Internacional de Cinema Documental de Ciudad de México - DOCS MX. “Irmãoschegou também a Cabo Verde, Moçambique e EUA, foi convidado a participar no Mercado do Festival Visions du Réel  (2016) e recentemente foi lançado em DVD pela Real Ficção.  Em 2016 foi a estreia de “A um mar de distância”, segundo documentário, rodado entre o Canadá e Portugal, sobre as sepulturas esquecidas dos pescadores de bacalhau portugueses. Este filme recebeu uma Menção Honrosa no Festival Caminhos do Cinema Português, foi exibido na Mostra de Cinema Português Contemporâneo de São Paulo (BR), no Festival de Curtas-metragens dos Açores (PT)  e no Festival de Cinema Português de Moscovo (RUS), antes de ter a sua estreia na RTP Internacional e no Portuguese TV Channel (EUA). 

    Atualmente, o realizador está a finalizar a pós-produção da curta-metragem de ficção, “Luana”, e a desenvolver um novo documentário para 2018 entre Portugal e EUA.

  • David Santos

    David SantosCompositor/Músico

    Noiserv, a quem já chamaram "o homem-orquestra" ou "banda de um homem só", tem um percurso marcado pela composição e interpretação musical de temas que viajam entre a memória, sonho e a realidade. Conta com o bem sucedido disco de estreia “One Hundred Miles from Thoughtlessness” em 2008, o EP “A Day in the Day of the Days” em 2010 e em Outubro de 2013 editou “Almost Visible Orchestra”, distinguido em 2014 como "Melhor Disco de 2013"pela Sociedade Portuguesa de Autores. Em 2016 editou o seu disco mais recente de nome “00:00:00:00”. Com mais de 500 concertos em Portugal e no estrangeiro, integra uma série de outras colaborações musicais, nomeadamente como os You Can’t win Charlie Brown, dos quais é membro fundador. Contribui também para o panorama do cinema e teatro nacional, a destacar as colaborações em teatro com Marco Martins, Nuno M. Cardoso e Rui Horta, e em cinema com Miguel Gonçalves Mendes e Paulo Branco, entre outros.

  • Manuel Pinto Barros

    Manuel Pinto BarrosDirector de Fotografia

    Manuel Pinto Barros, licenciado em Cine-Video pela Esc. Superior Artística do Porto (Esap), em 2008. Após a conclusão dos seus estudos, integrou diversos projectos como Director de Fotografia, passando por publicidades, curtas-metragens e videoclips. Em cada filme procura incutir um estilo estético único, utilizando variadas técnicas sempre em articulado com as especificidades de cada produção, que o levaram a trabalhar algumas das mais importantes marcas do mercado Português entre as quais, F.C.Porto, Sonae/Continente, Mcdonalds ou TAP. Em 2014 finalizou as curtas-metragens “Bicicleta” e “Amélia & Duarte”. “Bicicleta”, realizado por Luís Vieira Campos, venceu o Prémio TAP (Curtas Vila do Conde 2014 ) e Melhor Curta-metragem no Caminhos do Cinema Português. “Amélia & Duarte”, animação realizada por Mónica Santos e Alice Guimarães, teve estreia Nacional no Curtas Vila do Conde 2015, tendo vencido o Prémio do Publico SPA e o Prémio Canal+, foi ainda seleccionada para mais de 100 festivais internacionais, tendo sido considerada pela direcção do Festival de Annecy uma das melhores obras a concurso no festival de Annecy 2015. Em 2015 terminou a curta-metragem "Longe" de José Oliveira, que estreou no Festival de Locarno de 2016. Em 2016 foi responsavel pela direcção de fotografia de segunda unidade da série "Vidago Palace", a primeira co-produção entre a RTP e TVGalicia, uma produção HOP! e Portocabo. Para além de diversos projectos de publicidade, encontra-se a finalizar a animação "Entre Sombras" de Alice Guimarães e Mónica Santos, a curta-metragem "Inverno" de Pedro Magano e "O Sapato" de Luís Vieira Campos.

  • David Badalo

    David BadaloDirector de Som

    David Badalo é Director de Som com experiência em ficção e documentário. Colabora regularmente com André Badalo e com a Original Features. É bacharel (BASc) em Produção de Som no Instituto SAE de Madrid. Frequentemente lecciona na ETIC - Escola de Tecnologias Inovação e Criação. Ao longo destes anos tem feito Direcção de Som, Perche e Pós Produção de Áudio em vários projectos de Cinema, Televisão e Publicidade. Trabalhou em diversas longas metragens tais como, "As 1001 Noites" de Miguel Gomes , "As Variações de Casanova" , ""Axilas" de José Fonseca e Costa, "Portugal Não Está À venda" de André Badalo, "Tous Les Rêves du Monde" de Laurance Ferreira Barbosa, etc. Em Televisão fez captação de som para telenovelas Portuguesas e Angolanas, para a série Americana "In Search of Aliens" para o Canal História, entre outros.

  • Daniel Ribas

    Daniel RibasProgramador / Investigador

    Nasceu e vive no Porto. É diretor e programador do Porto/Post/Doc. É também colaborador do Curtas Vila do Conde. Atualmente, é professor de cinema da Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa e membro do CITAR – Centro de Investigação em Ciência e Tecnologia das Artes. É Doutor em Estudos Culturais pelas Universidades de Aveiro e do Minho. Tem escrito diversos artigos e capítulos de livros sobre cinema português contemporâneo, cinema experimental e documentário. Membro fundador e Presidente da atual direção da AIM - Associação de Investigadores da Imagem em Movimento.

  • Sua Excelência O Primeiro Ministro do Governo de Portugal

    Sua Excelência O Primeiro Ministro do Governo de PortugalPedro Passos Coelho

  • José Maças de Carvalho

    José Maças de CarvalhoUniversidade de Coimbra

    Doutoramento em Arte Contemporânea (2014) no Colégio das Artes da Universidade de Coimbra. Estudos em Línguas e Literaturas (1978-83) e Gestão de Artes (1997-98). Professor no Departamento de Arquitetura da Universidade de Coimbra. Artista Plástico (fotografia e vídeo).Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação Oriente, Instituto Camões e Centro Português de Fotografia .

  • Eduardo Condorcet

    Eduardo Condorcet

    Nasceu em Coimbra em 1972. Licenciado em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa (especialização em Cinema) em 1995, obteve o grau de Master of Arts in Film na Leeds Metropolitan University (Reino Unido) em 2001, com uma tese dedicada à Narrativa e Novos Media. Efectuou um período de especialização na Hochschule für Film und Fernsehen –Konrad Wolf, antiga Escola Superior de Cinema da Ex-RDA, em Potsdam-Babelsberg, arredores de Berlim. Presentemente está em doutoramento em Arquitectura e Imagem em Movimento na Universidade de Cambridge, em Inglaterra, dedicando a sua tese à intermedialidade, performance e participação do espectador em cinema, teatro e multimedia. Faz trabalho ainda como Realizador, Encenador, Transmedia, Argumentista, Editor, Músico e Actor.

  • José Cardoso

    José CardosoEdição de Som

    Nasceu em 1975 e iniciou-se no audiovisual em meados de 1990, na já extinta produtora Atlantida. Desde essa altura, trabalhou em todo o tipo de projetos: Novelas, Séries, Filmes, Documentários, Entretenimento, Magazines, Sitcoms, entre outros.

  • Doutor Luís Marques Alves

    Doutor Luís Marques AlvesUniversidade do Porto

    É Professor Associado com agregação do Departamento de História e de Estudos Políticos e Internacionais da Faculdade de Letras do Porto. Docente de História Contemporânea de Portugal, História da Educação e Didática da História. Investigador do CITCEM- Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória. Coordenador do grupo - Memória, Património e Construção de Identidades. Responsável na FLUP pela acção “Literacia Fílmica: Estéticas e Poéticas” no âmbito da formação do Plano Nacional de Cinema desde 2015. Participação em vários congressos e variadas publicações sobre história contemporânea, história da educação, didática da História, Educação Histórica e cinema.

  • Paulo Peralta

    Paulo PeraltaCrítico/Blogger

    Com formação académica na área da Ciência Política e Relações Internacionais, é desde 2009 Crítico de Cinema no espaço CinEuphoria, que fundou.

    Integra a Online Film Critics Society - EUA e participa em diversos projetos relacionados com festivais de cinema.

  • Simão Cayatte

    Simão CayatteArgumento 1 e 2

    É Argumentista, Realizador e Ator. Estudou teatro na Goldsmiths University em Londres e desde então trabalhou com realizadores como Werner Schroeter, Ivo Ferreira, Carlos Saboga e Stan Douglas. Completou o Mestrado em Cinema na Universidade de Columbia em Nova Iorque como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian. Também em Nova Iorque estagiou como script reader na Protozoa Pictures.

  • Sara Dias Trindade

    Sara Dias TrindadeUniversidade de Coimbra

    Doutora em História - Didática da História. Professora Auxiliar Convidada no Departamento de História, Estudos Europeus, Arqueologia e Artes da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Investigadora no Grupo Humanidades Digitais e no Núcleo de Estudos em Pedagogia no Ensino Superior do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS20-UC) da Universidade de Coimbra, integrando, atualmente, a equipa de coordenação do referido Centro. É também investigadora na Unidade Móvel de Investigação em Estudos do Local da Universidade Aberta e em vários grupos de pesquisa de diferentes universidades brasileiras. Tem participado em diferentes projetos internacionais relacionados com as Tecnologias Educativas e com a Formação de Professores. As suas áreas de interesse e investigação são as da Didática, da Formação de Professores, das Tecnologias Educativas e do Cinema na Educação, tendo participado em diferentes publicações nacionais e internacionais e sido oradora convidada, tanto em Portugal como no estrangeiro, nessas mesmas áreas.

  • Vítor Ferreira

    Vítor FerreiraDiretor do Festival

      Vítor Ferreira nasceu em Heidelberg na Alemanha, em 1975. É Licenciado em Línguas Modernas Alemão pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Mestre em Política Cultural Autárquica, especializou-se igualmente em Gestão e Programação do Património Cultural, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

      [email protected]

       

  • Abílio Hernandez

    Abílio HernandezUniversidade de Coimbra

    Abílio Hernandez é doutorado em Literatura Inglesa pela Universidade de Coimbra com dissertação sobre James Joyce, intitulada De Ítaca a Dublin: Ulysses ou a odisseia da palavra. Foi Presidente do Secretariado do curso de Estudos Artísticos da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Coordenador da área de Cinema no mesmo curso. Foi igualmente Presidente Capital Nacional da Cultura Coimbra 2003. Pró-Reitor da Cultura, Diretor do Teatro Académico de Gil Vicente e Diretor do Colégio das Artes da UC. 

  • Carlos Fragateiro

    Carlos FragateiroUniversidade de Aveiro

    Carlos Manuel Branco Nogueira Fragateiro concluiu, em 1976, o Curso Superior em Teatro da Escola Superior de Teatro no Conservatório Nacional. Em 1988 Concluiu uma Maîtrise em Educação - especialidade em Expressão Dramática na Universidade de Montreal, Canadá. Entre 1996 e 1999 foi vice-presidente do INATEL, de 1997 a 2006 Diretor Artístico do Teatro da Trindade e de 2006 a 2008 Diretor Artístico e Presidente do Conselho de Administração do Teatro Nacional Dona Maria II.

  • Daniel Catalão

    Daniel CatalãoRTP

    Daniel Catalão é Jornalista e Apresentador da RTP. Especializou-se em novas tecnologias e internet. É professor de Computação Multimédia e Interactividade na Universidade Lusófona do Porto.

  • Eduardo Santos

    Eduardo SantosUniversidade de Coimbra

    Doutorado em Psicologia e com Agregação em Aconselhamento Psicológico, é Professor Associado da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, colaborando com outras instituições, nomeadamente a State University of New York, USA (Adjunct Professor) e a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Brasil (Pesquisador Associado). É o Coordenador Científico da unidade de R&D Instituto de Psicologia Cognitiva, Desenvolvimento Humano e Socialda Universidade de Coimbra/FCT. Os seus atuais interesses focam-se nos processos de constituição de novas subjetividades e intersubjetividades, com relevo particular para as identidades digitais, encontrando-se neste momento a desenvolver um projeto sobre “screen time” e “e-minds”.

  • Clara Almeida Santos

    Clara Almeida SantosUniversidade de Coimbra

    É Doutorada em Ciências da Comunicação pela Universidade de Coimbra e Professora Auxiliar no Departamento de Filosofia, Comunicação e Informação da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Participou em diversos projetos europeus relacionados com o diálogo intercultural. Foi consultora do Conselho da Europa no âmbito da campanha “Speak Out Against Discrimination”. Jornalista, trabalhou no Canal de Notícias de Lisboa e na SIC. Diretora da UCV - Televisão Web da Universidade de Coimbra –, foi editora da revista Rua Larga. Trabalhou como diretora de comunicação da Interacesso.

  • Ana Cristina Almeida

    Ana Cristina AlmeidaUniversidade de Coimbra

    Doutorada em Psicologia da Educação pela Universidade de Coimbra é Professora Auxiliar na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação desta Universidade, onde desempenha funções de docência, investigação e prestação de serviços à comunidade. Colabora em projetos comunitários de capacitação da população e de grupos especiais, pelo lúdico e expressões. Interesses de investigação e de intervenção na promoção da aprendizagem e do desenvolvimento dialogicamente em ambientes formais e não-formais. Participa em projetos europeus relacionados com inclusão social e diálogo intercultural em contextos de educação. Coordena e equipa portuguesa do projeto «Lend a Hand» de inclusão de crianças e jovens imigrantes / refugiados. É membro da Unidade de Investigação Instituto de Psicologia Cognitiva, Desenvolvimento Humano e Social, curadora do Laboratório de Inovação em Psicoterapia e Sistemas (LIPS) com foco na intervenção comunitária para apoio de pessoas em situação desfavorecida. É curadora da Fundação Graça Gonçalves, entidade instituidora do Lugar dos Afetos®. Coordena uma plataforma de investigação e de intervenção assente na exploração e análise sistemática de jogos / lúdico para a promoção de literacias diversas e de competências. É autora de trabalhos publicados. Integra Comissões Científicas de Encontros anuais como «Jogos e Mobile Learning» ou «European Conference on Game Based Learning».

  • Victor Cayers

    Victor CayersUniversidade Federal da Bahia

    Victor Cayres é doutor em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), Brasil, com estágio doutoral na Université de Lorraine, França. Atualmente desenvolve pesquisa ligada ao desenvolvimento de jogos na Universidade do Estado da Bahia (UNEB) e na empresa Sinergia Games.

  • Sebastiano Caroni

    Sebastiano CaroniBellinzona Film Society

    É Mestre em Ciências Sociais (2003) e Mestre em Ciências Humanas (2006). Em 2013, tirou o Doutoramento em Estudos Interculturais na University College London.

    Nos últimos três anos, tem estado envolvido no Ensino Secundário e numa variedade de atividades de pesquisa na área das Humanidades.

  • Liliana Lasprilla

    Liliana LasprillaProdutora

    LILIANA S. LASPRILLA (Venezuela, 1987) licenciada em Novas Tecnologias da Comunicação em Aveiro (2008), especializou-se posteriormente em Produção Cinematográfica na ECAM - Escuela de Cinematografia de Madrid. Em Espanha participou em longas-metragens internacionais tais como "Death of a Pilgrim", "The Cold Light of Day" e na produção de curtas-metragens, entre elas "Verbenas" de Ana Rodriguez, "El Secreto del Circo", "The beach" de Elisa Cepedal ou “Estocolmo”, de Juan Viruega. Em 2011 começa a sua trajetória na área documental com "Tánger Gool", de Juan Gautier, rodado entre Espanha e Marrocos. Em Portugal continuou o seu percurso na Red Desert Films, dedicada ao desenvolvimento e à internacionalização dos documentários em mercados tais como o do Festival Clermont Ferrand ou o Cross Video Days (FR). Desde 2014, a Liliana é a produtora da PIXBEE, sócia da EDN – European Documentary Network e recentemente foi Júri no Festival de Cinema Luso-Brasileiro (2016).

  • Francisco Dias

    Francisco DiasProfessor

    Francisco Dias é Professor Adjunto no Instituto Politécnico de Leiria (Portugal), exercendo aí funções de docente e de coordenador da Licenciatura em Animação Turística no seu Campus 4 - Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar (ESTM), em Peniche. Também colabora como docente na Pós-Graduação Internacional de Branding e Business na UNIVATES, em Lajeado, Rio Grande do Sul, Brasil.

  • Carlos Coelho

    Carlos CoelhoEspecialista em Criação e Gestão de Marcas

    Carlos Coelho, uma das grandes referências portuguesas no domínio da construção e gestão de marcas, , ao longo de 32 anos, conduziu centenas de projectos de algumas das marcas mais relevantes em Portugal, como o Multibanco, Telecel/Vodafone, Yorn, Galp Energia, RTP, Tv Cabo, CTT Correios, Sumol, TAP Portugal, Sata , Leya, Sonae, Delta, Fidelidade, Sogrape, The Navigator Company, Portugal Sou Eu,  entre muitas outras. É autor de diversos estudos sobre tendências e modelos teóricos de marcas. É activista sobre as causas e as marcas de Portugal e autor do livro ”Portugal Genial’’. É co-autor do livro “Brand Taboos” e tem participado com ensaios em diversos livros tais como: “Gestão sustentada”, “Portugal Vale a Pena”, “TAP, a imagem de um povo.”  É professor, colunista, comentador de televisão , foi autor e apresentador do programa de TV Imagi-Nação e colaborador de inúmeras publicações nacionais e estrangeiras, sendo reconhecido pelas suas múltiplas abordagens inovadoras e desafiantes sobre estas matérias. Como conferencista proferiu nos últimos cinco anos mais de 200 palestras, a convite de diversas instituições: Governos, Universidades, Associações empresariais e Empresas, em diversos Países.

  • Francisco Dias

    Francisco DiasProfessor

    Francisco Dias works as an adjunct professor for the Polytechnic Institute of Leiria (Portugal), where he holds the positions of teacher and coordinator of the Bachelor's degree in Tourist Entertainment in its Campus 4 - Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar. He also collaborates as a teacher for the International post graduation of Branding and Business at UNIVATES, located in Lajeado, Rio Grande do Sul, Brazil.

  • Emidio Buchinho

    Emidio BuchinhoDesigner, Montador e Operador de Som

    Licenciado em Cinema, no ramo de Som, pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Diplomado em música e guitarra pela Academia de Música e Belas Artes Luísa Todi e pelo Conservatório Municipal de Château-Thierry. Especialista em Som para Audiovisual e Multimédia. Doutorando em Ciência e Tecnologia das Artes – Informática Musical, na Universidade Católica Portuguesa. Professor universitário e formador credenciado em Som para Cinema, Audiovisual e Multimédia, Música Electrónica e Experimental. Co-fundador e co-director da associação Granular. Desde 1991, trabalha regularmente em composição, execução e produção de música; design, montagem e operação de som para filme, documentário, teatro, dança, instalação, intermedia e publicidade televisiva. + Info: www.emidiobuchinho.com

  • Fátima Lacerda

    Fátima LacerdaJornalista / Programadora

    Fátima Lacerda é carioca, radicada em Berlim desde 1988 e testemunha ocular da queda do Muro. Entre 1998 e 2004 atuou como cantora no projeto “Fátima Lacerda & Band” incluindo uma premiação do Ministério da Cultura do Brasil no edital “Copa da Cultura” em 2006 resultante com apresentações no Sesc de São Paulo. Estudou Letras, Português e Literatura Americana na Universidade Santa Úrsula no Rio de Janeiro, curso básico de Ciências Políticas na Faculdade Livre de Berlim e Estudo de Gestão Cultural e de Mídia, na Faculdade de Música Hanns Eisler com especialização em Patrocínio Cultural e Assessoria de Imprensa. Atuou como Assessora de Imprensa na exposição a céu aberto em Alexanderplatz, “20 Jahre Mauerfall” no contexto do aniversário de 20 anos da queda do Muro de Berlim. Entre 2010 e 2014 atuou como Curadora da Mostra "Perspectiva America Latina" na Oficina das Culturas em Berlim (Werkstatt der Kulturen). É jornalista Free lance para os principais meios de comunicação da imprensa brasileira (O GLOBO, A FOLHA, Estado de São Paulo). Desde 2013 mantém um Blog no portal do "Estadão": "Todos os caminhos levam a Berlim". Desde Abril de 2016 é colaboradora para o portal "Melhor Futebol do Mundo" do Esporte Interativo. É integrante da equipe de redatores do Blog inberlin.de, que consta na lista dos dez mais lidos Blogs da capital alemã com as pautas cinema, gastronomia italiana, música e festivais em geral. Desde Agosto atua como apresentadora e coordenadora da Q & A da Mostra "Cinema na Embaixada" em Berlim.

  • Luciana Rodrigues de Lima

    Luciana Rodrigues de LimaUniversidade Federal do Rio de Janeiro

    É Doutorada em Linguística Aplicada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e especializada em Psicologia da Propaganda e Marketing pela Faculdade de Humanidades Pedro II. É investigadora no Laboratório de Pesquisa em Tecnologias da Informação e da Comunicação (LATEC/UFRJ).

  • Margarida Leitão

    Margarida LeitãoRealizadora

    Margarida Leitão formou-se em montagem de cinema e é mestre em Desenvolvimento de Projeto Cinematográfico, na especialidade Dramaturgia e Realização, pela Escola Superior de Teatro e Cinema. Além de se dedicar à realização, trabalha regularmente como montadora e anotadora. Atualmente é professora na área da montagem na Escola Superior de Teatro e Cinema, e do documentário na ETIC- Escola de Tecnologias Inovação e Criação.

    A sua primeira curta "Kilandukilu/Diversão" ganhou uma menção honrosa no Festival Internacional de Curtas de Vila do Conde. Realizou várias curtas metragens de ficção e documentários que foram exibidos em festivais por todo o mundo e na televisão. Os filmes “A Ferida” e “Muitos Dias tem um Mês” tiveram estreia comercial. O seu último filme, "Gipsofila", além de outros prémios nacionais e internacionais, recebeu o Prémio Especial do Júri no Festival Internacional de Turim. O seu trabalho recente explora imagens de arquivo familiar ou cinematográfico, perscrutando as fronteiras do ensaio audiovisual. "Gestos do Realismo" é citado na lista dos melhores ensaios audiovisuais de 2016 pela Fandor.

  • Susana Jacobetty

    Susana JacobettyStylist

    Susana Jacobetty trabalha em Comunicação e na indústria da Moda há mais de 15 anos.Ganhou o Prémio de Melhor Guarda Roupa na XVII edição do Festival “Caminhos do Cinema Português” com o filme Kinotel. Costumizou uma peça para a exposição Boomshirt no Estoril Fashion Art Festival em conjunto com as Artistas Joana Vasconcelos e Catarina Pestana. Foi Responsável pela Comunicação da 1ª visita do Dalai Lama a Portugal. Colaborou nas obras da Exposição no Palácio Nacional de Mafra, do artista João Bacelar e na Campanha “O teu bairro é a tua cara” no MUDE. Foi Comentadora dos Prémios Aquila, Cerimónia de Televisão e Cinema Português, trabalhou como Comentadora televisiva e teve várias rubricas de Moda e Beleza em diversos programas de Televisão. Foi Editora de Moda e Beleza da revista de cultura Urbana, DIF e Responsável de Moda na revista Cosmopolitan, para além de colaborar com várias publicações nacionais e internacionais. Há vários anos que colabora com o curso de Cinemalogia, do Festival dos Caminhos do Cinema Português, onde lecionou o módulo de Guarda Roupa e Caracterização para Cinema.

  • Marco Amaral

    Marco AmaralColorista

    Marco Amaral é um colorista baseado em Lisboa. Tem trabalhado principalmente em curtas e longas-metragens. Esteve envolvido em mais de 50 filmes de vários países, filmados em 16mm, 35mm e nos vários formatos de video,muitos deles selecionados para os maiores festivais por todo o mundo.

  • Tiago R. Santos

    Tiago R. SantosArgumentista

    Tiago R. Santos was born in the year of 1976, and after a short attempt at a journalistic career, he started his work as a scriptwriter in 2007 with the movie Call Girl.

  • João Carlos Relvão

    João Carlos RelvãoUniversidade Aberta

    João Carlos Relvão Caetano é licenciado em Direito (1993) e mestre em Economia Europeia (1997) pela Universidade de Coimbra. Estudou Direito Constitucional Comparado (1996) na Universidade de Tilburg, na Holanda. É doutor em Ciências Políticas (2007) pela Universidade Aberta, com a tese intitulada “A Harmonização de Direitos no Direito Europeu”.

    É professor auxiliar no Departamento de Ciências Sociais e de Gestão da Universidade Aberta, instituição onde desempenha as funções de Pró-reitor para o Desenvolvimento Institucional e os Assuntos Jurídicos.

  • Francisco Moura Relvas

    Francisco Moura RelvasRealizador

    Realizador, Produtor, Argumentista e Editor, é Licenciado em Som e Imagem - vertente de Vídeo (2008) pela Universidade Católica Portuguesa e concluiu o Mestrado em Som e Imagem - especialização em Televisão e Argumento (2010) na mesma instituição.

  • Nuno Gonçalves

    Nuno GonçalvesCinemundo

    Nuno Gonçalves é licenciado em Ciências Históricas pela Universidade Lusíada de Lisboa. Iniciou o percurso profissional numa empresa multinacional, da área do grande consumo em Madrid, Amesterdão, Colónia, e mais tarde em Portugal. Foi Diretor de Marketing da Edivideo (representante dos catálogos das Majors americanas Paramount, Universal, Dreamworks e 20th Century Fox). Posteriormente foi Director Comercial de Distribuição e Exibição da Filmes Castello Lopes, representante à época dos catálogos da 20th Century Fox e Miramax na distribuição para cinema. A partir de 1999 integra os quadros da Lusomundo, inicialmente como Director de Marketing e posteriormente como Director Comercial, tendo mais tarde sido nomeado Director Geral. Com a compra da Lusomundo pela PT Portugal e com o posterior split para a ZON, é nomeado Administrador Executivo da ZON Lusomundo Audiovisuais. Desde janeiro de 2015 é partner da Cinemundo.

  • João Silva (Jorri)

    João Silva (Jorri)Músico

    Músico, compositor, produtor e instrumentista, nasceu em Coimbra a 20 de Abril de 1979, mas cresceu em Alcobaça até Ingressar na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Em 1999, surge em Coimbra, o projecto “a Jigsaw”, do qual é um dos membros fundadores. Banda essa, que além de músico e compositor, assume também o papel de Produtor. Embora sem nunca ter feito uma banda sonora para um filme, com a Jigsaw musicou vários, um dos quais durante o Festival Caminhos do Cinema Português. Já trabalhou com vários realizadores, não com bandas sonoras, mas com vídeos de música, dos quais destacaria António Ferreira. “The Wolf and The Rose” e “Objectosfera” são também dois espetáculos criados de raiz com o Marionetista Rui Sousa (Marionetas da Feira) onde a música faz a banda sonora da peça de Teatro de Marionetas. Mais recentemente esteve envolvido na peça de Teatro “Tomeo – Histórias Perversas” da Escola da Noite, onde concebeu todo o universo sonoro. Neste momento além de fazer parte de a Jigsaw, colabora com varias outras bandas da Cidade, Birds Are Indie, The Parkinsons, The Twist Connection, etc… bem como trabalha na Blue House, uma espécie de casa da criação, onde colabora principalmente com bandas da cidade de Coimbra.

  • Nuno Garcia

    Nuno GarciaColorista

    Nuno Garcia nasceu em Lisboa onde se formou em Realização de cinema, mas tendo começado a estagiar na antiga CEE centro de edição especial, rapidamente se apaixonou pela pós produção. Começa como assistente de Telecinema e durante 2 anos tem a função de auxiliar o colorista senior na colocação dos rolos de película 16mm e 35mm, fazer grading one light para os editores montarem. Passado esse tempo e já como sénior colorista tira vários cursos na Rank Cintel e DaVinci com Stuart Black Jones, Davinci 888 dui, DaVinci 2k e SpiritTelecine na empresa LightFilm. Executando trabalhos para todas as produtoras nacionais e estrangeiras de publicidade, cinema, telefilmes, clipes de musica. Trabalhando directamente com as equipas de edição, composição de imagem e 3D.

  • Joana Emídio Marques

    Joana Emídio MarquesObservador

    Jornalista de Cultura e Lifestyle do jornal Observador. Foi jornalista no Diário de Notícias e na revista Notícias Magazine. É mestre em Jornalismo e Cultura Contemporânea, pela FCSH.

  • Sua Excelência o Primeiro Ministro do Governo de Portugal

    Sua Excelência o Primeiro Ministro do Governo de PortugalAntónio Costa

  • Flávio Ferreira

    Flávio Ferreira

    Flávio Ferreira (Portugal, 19 de Novembro de 1992) é um jovem cineasta, realizador de várias curta metragens, apresentadas mais de 30 vezes, entre festivais e mostras de cinema, inclui-se "Pele de Cordeiro" (2015) vencedor da Bolsa EDP Manoel de Oliveira e "Terras de quem sou" (2015), documentário realizado no âmbito do "Plano Frontal", residência artística integrada no festival "Filmes do Homem" (e com estreia na abertura do mesmo). Foi também primeiro assistente de realização do filme "O Guardador" (2015) de Rodrigo Areias. Recentemente foi seleccionado para um workshop em Cuba com Werner Herzog onde desenvolveu a curta documental "Norley y Norlen", vencedora do Prémio FAMU de Melhor Filme dos Verdes Anos no Doclisboa, e para um workshop em Ourense (Espanha) com Victor Erice onde realizou uma curta de ficção. Também esteve no Brasil onde realizou um curso extensivo de Assistência de Realização na Academia Internacional de Cinema do Rio de Janeiro.

  • Mário Martins

    Mário MartinsIndependente

    É atualmente Assessor de Comunicação. Foi Jornalista durante 40 anos, em exclusividade durante 22 anos. Lecionou durante 13 anos, no Ensino Primário, na Educação de Adultos e no Ensino Superior.

  • João Bacelar

    João Bacelar

    João Bacelar nasceu em Lisboa em 1972, estudou Design no IADE e foi fotógrafo oficial de backstage e still life da Moda Lisboa durante 15 anos. O interesse pela ilustração, design e fotografia levo-o a trabalhar na empresa Novo Design (Brandia) e, em 1995, à montagem de um atelier com Ricardo Mealha. Esteve também em empresas como a Young & Rubicam, BMZ/PARK, BBDO, Saatchi e Ogilvy & Mather. Trabalha como fotografo à 15 anos, tendo colaborado com várias publicações portuguesas e internacionais.

  • André Parente

    André Parente

    André Parente é artista e teórico do cinema, dos novos media e da arte contemporânea. Em 1987 obtém o Doutoramento na Universidade de Paris 8, sob a orientação de Gilles Deleuze. Em 1991 funda o Núcleo de Tecnologia da Imagem (N-Imagem) da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Entre 1977 e 2016, realiza inúmeros vídeos, filmes e instalações, nos quais predominam a dimensão experimental e conceitual. Os seus trabalhos foram apresentados em festivais, mostras e exposições no Brasil e no exterior (Alemanha, França, Espanha, Suécia, Espanha, México, Canadá, Portugal, Argentina, Colômbia, China, entre muitos outros). É autor de vários livros, entre os quais destacamos: Imagem-máquina. A era das tecnologias do virtual (1993), Sobre o cinema do simulacro. Cinema existencial, cinema estrutural e cinema brasileiro contemporâneo (1998), Narrativa e modernidade. Os cinemas não narrativos do pós-guerra (2000), Cinema et narrativité (L’Harmattan 2005), Cinema em trânsito. Cinema, arte contemporânea e novas midias (2012), Cinemáticos (2013), Cinema/Deleuze (2013), Passagens entre Fotografia e Cinema na Arte Brasileira (2015), entre outros.

  • Glória Marques Ferreira

    Glória Marques FerreiraProfessora

    Natural de Coimbra, é Doutorada em Língua Portuguesa (Investigação e Ensino) pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra (Novembro de 2012), com a tese "O Percurso do Mito Inesiano da Literatura ao Cinema: exercício de transposição didática de A Trança de Inês". Na sequência desse trabalho, colabora com o realizador António Ferreira na adaptação para cinema da obra A Trança de Inês, de Rosa Lobato de Faria, a estrear em 2018.

  • Ruben Miranda

    Ruben MirandaAlemanha

    Ruben Miranda works as active member of the municipal cinema since (Kommunales Kino-Freiburg) 2012 where he acts as reviewer and initiator of cultural events. Besides Rubens local cineastic engagement he is involved with KAN-KAN Media since 2012 which is a visual art project that promotes and creates new scenarios and platforms for the exchange of the visual culture and arts around the world.

  • Presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro de Portugal

    Presidente da Entidade Regional de Turismo do Centro de PortugalPedro Machado

    A cidade de Coimbra recebe mais uma edição do único festival exclusivamente dedicado ao cinema português. A vigésima edição do “Caminhos do Cinema Português” percorre vários espaços culturais urbanos e promove o conhecimento de novos nomes da filmografia portuguesa.

    Expressão artística e meio comunicacional extraordinariamente eficaz, o cinema incorpora a abstração das viagens imaginárias e a magia das contínuas possibilidades. Do cinematógrafo à era digital, do cinema clássico à estética contemporânea, o fascínio pela imagem animada permanece inalterado. Assim como subsiste a certeza do valor cinematográfico inerente à região Centro. Território onde a diversidade é uma constante, o património natural, arquitetónico, as cidades, as aldeias, as vivências e histórias são um desafio contínuo para os criativos nas diversas expressões artísticas. Neste contexto, a Turismo Centro de Portugal dá as boas vindas aos participantes do Caminhos’14 e desafia os diferentes públicos a observar, sentir e expressar o destino Centro de Portugal.

  • João Caetano

    João CaetanoUniversidade Aberta

    Pró-Reitor para os Assuntos Jurídicos e Diretor da Delegação de Coimbra da Universidade Aberta. Professor Auxiliar do Departamento de Ciências Sociais e de Gestão da mesma Universidade. Doutor em Ciências Políticas pela Universidade Aberta. Mestre em Economia Europeia e licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra.

  • Rui Tendinha

    Rui Tendinha

    Jornalista de cinema de diversas publicações nacionais, colabora ainda para o Telecine, canal de cinema brasileiro. Foi crítico da Ousar(suplemento inserido no Público), O Jornal, Blitz e Elle. Em televisão, foi autor de programas de cinema na SIC Radical, SIC Comédia e SIC Mulher. Desempenhou funções de Vice-Presidente da FIPRESCI e trabalhou na área de cinema de Guimarães 2012 - Capital Europeia da Cultura. Actualmente, é crítico do DN e apresenta o magazine de cinema CineTendinha nos canais SIC.

  • Vice-Reitora para Cultura e Comunicação da Universidade de Coimbra

    Vice-Reitora para Cultura e Comunicação da Universidade de CoimbraClara Almeida Santos

    Se os “Caminhos do Cinema Português” fossem um filme (ou um conjunto de filmes) e fazendo uma retrospetiva rápida, podemos olhar para os primeiros anos como curtas metragens, para a consolidação do festival como longas metragens e, atualmente, podemos considerar que estamos na presença de uma saga de culto com vários episódios. Nesta 23ª edição, haveria já direito a uma “box premium” com espaço para os vários extras que os Caminhos (como quem acompanha gosta de chamar) já comportam, além do Festival: o Ciclo Fusões, o Simpósio, o curso Cinemalogia... Os cenários onde se desenrola esta saga alargaram-se, e bem, para fora de Coimbra, epicentro dos Caminhos. Mais um sinal de crescimento. Mais há outros sinais bem interessantes a acompanhar a resiliência e porfia deste Festival – a cidade e a região têm sido intensamente procuradas para a produção cinematográfica. Estaremos num momento de viragem? Se se verificar que sim, seguramente que os Caminhos desempenharam um importante papel. Um papel químico, se quiserem, de elemento que revela os efeitos da luz. Com a química a encontrar a magia, como na origem do cinema.

  • Elizabete Agostinho

    Elizabete AgostinhoJornalista

    Nasceu em Paris, em 1978, mas a paixão por Portugal trouxe-a a Coimbra, quando fez 18 anos, para tirar o curso de jornalismo da Faculdade de Letras. Depois da pós-graduação em Direitos Humanos e Democratização, da Faculdade de Direito, foi ficando em terras lusas onde exerceu jornalismo em diversos órgãos de comunicação social.

  • Presidente da Direcção da Federação Portuguesa de Cineclubes

    Presidente da Direcção da Federação Portuguesa de CineclubesNatacha Moreira

    A Federação Portuguesa de Cineclubes saúda, após um ano de interregno, o regresso do Festival Caminhos do Cinema Português, um evento único a promover e divulgar a cinematografia nacional .

    O Festival, organizado pelo Centro de Estudos Cinematográficos, um dos mais antigos cineclubes em Portugal, é um exemplo do papel vital que os cineclubes desempenham na promoção do cinema nacional. A actividade cineclubística, quer no âmbito das suas sessões regulares, quer na organização e realização de festivais, como o caso do Caminhos, aproxima o cinema nacional do público, contribuindo de forma fundamental para a formação de públicos e para a diminuição dos desequilíbrios territoriais na distribuição das salas de cinema.

    Em Coimbra, mais uma vez, celebra-se o Cinema Nacional.

  • Carlos Gago

    Carlos Gago

    Carlos Gago, diretor artístico de Ilídio Design em Coimbra e Figueira da Foz, conta com 30 anos de experiência em corte, styling e coloração. Especialista em corte personalizado, desenha e executa o corte em função da textura do cabelo, forma da cabeça, rosto, corpo, estilo, profissão e hobbies da pessoa. Um corte de cabelo deve ter mais do que uma leitura, ou seja, um styling adaptado a cada ocasião.

  • Joaquim Escola

    Joaquim EscolaUniversidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

    Licenciado e Mestre pela Universidade de Coimbra, doutor em Educação pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Professor Auxiliar com nomeação definitiva da UTAD, professor auxiliar convidado na Universidade do Porto entre 2007 e 2014.

  • António Dias Figueiredo

    António Dias FigueiredoPedagogo

    António Dias de Figueiredo é professor catedrático aposentado de Engenharia Informática e investigador do Centro de Informática e Sistemas da Universidade de Coimbra. Foi vice-presidente do Programa Intergovernamental de Informática da UNESCO, Paris, e membro do NATO Special Program Panel on Advanced Educational Technology, Bruxelas. Participou em vários projectos europeus e atuou em várias ocasiões como consultor da Comissão Europeia para questões de educação. Recebeu o grau de Doutor Honoris Causa pela Universidade Aberta e o Sigillum Magnum da Universidade de Bolonha. É autor e coautor de cerca de três centenas de artigos e capítulos de livros publicados no país e no estrangeiro e membro dos conselhos editoriais de várias revistas nacionais e estrangeiras. Tem em curso projetos do âmbito das relações mutuamente generativas entre tecnologias e sociedade, com destaque para as pedagogias, retóricas e epistemologias de nova geração.

  • António Morais

    António MoraisDirector de Fotografia

    Bragança, Portugal, 1985. Terminou seu curso de Fotografia Profissional no Instituto Português de Fotografia do Porto em 2005. Obteve a Licenciatura em Som e Imagem na Universidade Católica Portuguesa do Porto em 2008. Concluiu o Mestrado em Comunicação Audiovisual com especialização em Produção e Realização Audiovisual no Instituto Politécnico do Porto em 2010. Desde o início do seu percurso académico, que fez parte de diversas equipa de rodagem inúmeros curtas-metragens, filmes, documentários e programas de TV como Diretor de fotografia. Trabalhou em todo o tipo de produções no Médio Oriente (Jordânia, Yemen, Palestina, Israel). Os últimos projectos a salientar: a longa-metragem "Oversized Coat" para a produtora Nawras Media; o Documentário de longa duração para TV "Camera and the City - Yemen" para a produtora, Vision, cliente Al Jazeera Documentary; o programa de comédia "The Rania Show" para a produtora Green Bananas, cliente Roya TV; a série de televisão "The Asphalt Color" para a produtora Pan East Media, cliente Abu Dhabi TV (ADTV) e o documentário "Born in 48" para produtora, Vision, cliente Al Jazeera Documentary. Em 2016 e 2017 fez a direção de Fotografia cineasta da série documental para TV, "Expats" para Al Jazeera Documentary. Filmada em todo o mundo (Inglaterra, Canada, Brasil, Noruega e Australia). Mais recentemente devido ao trabalho que tem vindo a desenvolver na última década como Cinematógrafo e Diretor de Fotografia foi reconhecido pela Sony, como Independent Certified Expert (ICE). Hoje em dia faz parte da plataforma de formadores ICE da Sony.

  • Vereadora da Cultura do Município de Coimbra

    Vereadora da Cultura do Município de CoimbraCarina Gomes

    A Câmara Municipal de Coimbra congratula o Centro de Estudos Cinematográficos da Associação Académica de Coimbra por mais uma edição deste importante festival. O certame, que, através do cinema português, promove as relações entre os estudantes e a cidade, irá oferecer, durante sete dias, um programa rico e variado, ao mesmo tempo que será um local único para debate, intercâmbio e reflexão. Assim, na sua XXIII edição, quero felicitar todos os que tornaram possível a realização deste festival, bem como dar as boas vindas aos que visitam Coimbra para partilhar desta experiência cultural.

  • Carla Paiva

    Carla PaivaUniversidade do Estado da Bahia

    É Doutora em Multimeios pela Unicamp e Mestre em Educação e Contemporaneidade, com especialidade em Relações Públicas. É Professora Assistente no curso de Jornalismo em Multimeios na UNEB. Pesquisa, desde 2003, as representações do Nordeste e as relações de género no audiovisual, através da perspetiva dos estudos culturais.

  • Ângela Cerveira

    Ângela CerveiraDirectora de Produção

    Ângela Cerveira encontra-se neste momento a trabalhar no novo projecto de Joaquim Pinto e Nuno Leonel. Começou a trabalhar em cinema em 1986. Desde 1990, como Directora de Produção trabalhou com realizadores como João César Monteiro, Manuel Mozos, José Álvaro Morais, Miguel Gomes, Jeanne Waltz, Leão Lopes, Flora Gomes, Jorge Silva Melo, João Canijo, Christine Laurent, João Salaviza entre outros. Produtora executiva da 9ª edição do Festival Internacional de Cinema Independente de Lisboa – Indielisboa.
    Directora de produção dos conteúdos audiovisuais do Pavilhão de Portugal na EXPO’98, e Directora técnica de Monumental’95/Mistérios de Lisboa. Foi ainda directora de produção da semana de moda “ModaLisboa” entre 1997 e 2001.

  • Joaquim Pinto

    Joaquim PintoDireção de Som 1 e 2

    É Cineasta e Produtor português. Trabalha entre 1979 e 1987 como Engenheiro de Som em mais de 40 títulos cinematográficos de diferentes realizadores, desde Manoel de Oliveira a Alain Tanner, entre outros.

  • Com o Alto Patrocínio de Sua Excelência O Presidente da República Portuguesa

    Com o Alto Patrocínio de Sua Excelência O Presidente da República PortuguesaAníbal Cavaco Silva

  • Luísa Sequeira

    Luísa SequeiraJornalista, Realizadora e Programadora Cultural

    Holding a degree in Communications Science with specialization in documentary films, Luísa initiated her career in Mozambique at TVM (Mozambique TV). For 10 years she worked on TV producing and coordinating numerous projects in programmes and documentary films. Coordenated, produzed and hosted RTP’s “Fotograma”, the only show exclusively dedicated to portuguese language cinema.

  • Luís Vieira Campos

    Luís Vieira CamposRealizador / Produtor

    Luís Vieira Campos nasceu no Porto em 1964. Terminou o curso de Cine e Vídeo da ESAP- Escola Superior Artística do Porto em 1989 e foi estagiário de Realização de Manoel de Oliveira na rodagem do filme Divina Comédia. Foi colaborador da RTP- Radiotelevisão Portuguesa como Operador de Control de Imagem e pertenceu aos quadros da Socivídeo e da Alfândega Filmes onde produziu e realizou um vasto trabalho de filmes de carácter promocional e institucional. Desenvolveu a actividade de Formador na área de Produção Audiovisual e Multimédia na Escola das Artes- Universidade Católica Portuguesa, na Alquimia da Côr e no Instituto Multimédia, entre outros. Foi Programador de Cinema da Sala Estúdio do TCA- Teatro do Campo Alegre, no Porto. Em 2008 fundou a Filmes Liberdade.

  • João Pinhão

    João PinhãoDireção de Atores e Casting

    Começou a trabalhar em Cinema como Assistente de Realização, em 2000. Ao longo do tempo, foi alargando o seu raio de ação, fazendo também Direção de Casting em alguns dos seu trabalhos. É Assistente de Realização em Cinema e Publicidade.

  • Artur Serra Araújo

    Artur Serra AraújoRealizador

    Nascido em 1977, Serra Araújo completa a licenciatura de Som e Imagem na Escola das Artes da Universidade Católica em 2003. Depois de realizar as curtas metragens Uma Comédia Infeliz e Frio, com as quais recebeu excelente aceitação por parte do público e da critica, aventura-se na escrita de teatro com a peça Alter Ego, levada à cena pelo Teatro Bruto em 2006. No ano seguinte, apresenta a primeira longa metragem, Suicidio Encomendado, sendo-lhe atribuído, entre outros, o prémio especial do júri do Fantasporto 2007.

  • Pedro Lopes

    Pedro LopesArgumentista / Docente

    Pedro Lopes. Licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Mestre em Comunicação, Cinema e Televisão, e doutorando em Ciências da Comunicação pela Universidade Católica de Lisboa. Desde 2007 exerce funções como Director de Conteúdos da produtora SP Televisão. Professor no Mestrado de Audiovisual e Multimédia e na pós-graduação em Storytelling, da Escola Superior de Comunicação Social de Lisboa e no Mestrado de Comunicação, Televisão e Cinema, da Universidade Católica de Lisboa. Ainda no âmbito académico é Investigador do Centro de Estudos de Comunicação e Cultura, da Universidade Católica de Lisboa, e vice-coordenador da equipa portuguesa do Observatório Ibero-Americano da Ficção Televisiva. Em 2011 venceu o prémio especial do júri com a série Cidade Despida, no International Festival of Detective Films And Television Programs, em Moscovo, e um Emmy na categoria de Melhor Telenovela Internacional com Laços de Sangue, atribuído pela Academy of Television Arts & Sciences. Em 2013 foi nomeado para os prémios Sophia, da Academia Portuguesa de Cinema, na categoria de melhor argumento original com a longa-metragem Assim Assim. Em 2016 venceu com Coração d’Ouro a medalha de ouro de melhor telenovela internacional no New York Festival’s World’s Best TV & Films.

  • Marco Martins

    Marco MartinsRealizador

    Marco Martins (1972) estudou na Escola Superior de Teatro e Cinema, tendo depois completado a sua formação nos Estados Unidos, em escrita de argumento, na Tisch School of Arts. Em 1999 co-fundou a Ministério dos Filmes, produtora de publicidade distinguida com vários prémios e menções nacionais e internacionais e com quem se estreia na produção de ficção para televisão com SARA, uma série de oito episódios com estreia marcada para Outubro de 2018, na RTP2. Os dois primeiros episódios desta série foram exibidos, pela primeira vez, no festival IndieLisboa 2018. O trabalho de Marco Martins abrange diversas áreas incluindo cinema, artes plásticas e teatro. Os seus filmes têm sido apresentados nos principais Festivais Internacionais, tendo ganho em 2005 a Quinzena dos Realizadores no Festival de Cannes (Prix Regard Jeune) com “Alice”. Foi premiado também em festivais como Mar del Plata, Rotterdam ou London Raindance Film Festival, entre outras distinções como o Fassbinder Award (European Discovery of the Year). Em 2006 realizou a curta-metragem “Um ano mais longo”, escrita em parceria com Tonino Guerra, presente na Competição Oficial do Festival de Veneza. “São Jorge”, o seu filme mais recente, esteve em competição no Festival de Veneza, onde o actor Nuno Lopes ganhou o Leão de Ouro (Horizons Award) tendo depois estreado comercialmente em vários países. Foi, tal como “Alice”, pré-seleccionado para concorrer ao Óscar de melhor filme estrangeiro, e ainda para o Prémio Goya. Em Portugal, “São Jorge” foi galardoado com vários prémios da Sociedade Portuguesa de Autores, incluindo o de Melhor Filme Português de 2017 e recebeu sete prémios Sophia da Academia Portuguesa de Cinema. No campo das artes plásticas colaborou com vários artistas, destacando-se a vídeo-instalação multicanal “Twenty One - The Day the World Didn’t End”, co-realizada com o artista italiano Michelangelo Pistolletto e exibida no Museu do Louvre, integrando a retospectiva Year One - Earthly Paradise, e também o filme “Insert”, co-realizado com a artista portuguesa Filipa César, trabalho que venceu o Prémio BES Arte e Finança e o prémio de Melhor Realizador no Festival IndieLisboa (2011). No Teatro fundou, em 2007, com Beatriz Batarda, a companhia Arena Ensemble que, desde então, tem apresentado espetáculos de forma regular nos principais teatros nacionais. A sua obra para palco divide-se entre o trabalho clássico de texto com uma forte componente coreográfica e projectos comunitários, como é o caso do seu último projecto, “Provisional Figures Great Yarmouth”, estreado recentemente no Festival de Norwich & Norfolk.

  • Nuno Madeira Rodrigues

    Nuno Madeira RodriguesRealizador / Editor / Argumentista

    Nuno Madeira Rodrigues é um realizador premiado em festivais como o “New York International Film & Video Festival”(EUA) e o “Premio Europeo Massimo Troisi” (Itália). Em 2013, terminou a longa-metragem “Regret”, que realizou, montou, co-produziu e co- escreveu, da produtora Castaway Entertainment, que entretanto assinou um acordo de distribuição para os EUA e Canadá com a distribuidora Anderson Digital para estreia em 2014.

  • Tariq Porter

    Tariq PorterEspanha

    Tariq Porter (Barcelona, 1988). Licenciado em Belas Artes na Universidade de Barcelona e um Mestre em Ficção Cinema e Televisão na Universidade Ramon Llull.

  • Miguel Martins

    Miguel Martinssound designer e recording mixer

    Miguel Martins (1975, Lisboa) sound designer e recording mixer. Desde 2001 trabalhou em mais de 80 filmes entre curtas e longas metragens. Trabalhou também como director musical (filmes, séries) fez sound design para rádio, publicidade, animação e cinema. Os seus últimos trabalhos de sound design estão nos filmes El Dorado XXI de Salomé Lamas e Rio Corgo de Sérgio Costa e Maya Kosa presentes na Berlinale. Em 2015 trabalhou também com Miguel Gomes na trilogia “ As Mil e Uma Noites” tendo sido distinguido pela European Film Association com o prémio Best Sound Design 2015. Ao longo do deste tempo trabalha com realizadores como Manoel de Oliveira, Fernando Lopes, Raoul Ruiz, João Nicolau,João Vladimiro todos eles presentes e/ou premiados nos mais diversos festivais de cinema. Trabalha regularmente em Lisboa, Genebra e Paris.

  • Ricardo Pugschitz de Oliveira

    Ricardo Pugschitz de Oliveira

    Nasceu em Cascais em 1977. Começou desde logo, aos dois anos de idade, a participar em filmes de publicidade institucional que lhe incutiram a vontade de não mais se separar do mundo das câmaras e das luzes. Foi com a oferta da sua primeira câmara de fotografar Canon AE-1 que descobriu a manipulação da câmara e o efeito disso na retenção de imagens, que iam para além disso e induziam interpretações e emoções. E percebeu que, acima de tudo, era o cinema e a câmara que lhe interessavam. O enquadramento, a iluminação, o que se quer dizer através da composição, são o universo que o atrai e desafia a compreendê-lo, replicá-lo e, se assim o conseguir, contribuir para a sua inovação.

  • Presidente do Conselho Diretivo do Instituto do Cinema e do Audiovisual, I.P.

    Presidente do Conselho Diretivo do Instituto do Cinema e do Audiovisual, I.P.Filomena Serras Pereira

    Os Caminhos do Cinema Português, montra da mais recente produção cinematográfica portuguesa e que dedica igualmente grande atenção a ciclos do passado, constitui um importante encontro anual para a celebração do nosso cinema e dos seus criadores.

    Entre os dias 27 de Novembro e 5 de Dezembro, serão exibidas várias obras cinematográficas, desde o cinema de escola ao profissional, proporcionando um ponto de encontro entre pessoas e culturas que têm em comum dois patrimónios – a língua portuguesa e, claro, a linguagem cinematográfica.

    O Instituto do Cinema e do Audiovisual, empenhado em prosseguir a divulgação da produção cinematográfica nacional, congratula-se com mais uma edição dos Caminhos do Cinema Português, desejando que constitua um êxito para a organização e para o seu público.

  • Federação Portuguesa de Cineclubes

    Federação Portuguesa de CineclubesPaulo Martins

    A Federação Portuguesa de Cineclubes saúda os Caminhos do Cinema Português e a sua 21ª edição.

    Na génese do festival está o espírito cineclubista dos membros do Centro de Estudos Cinematográficos, que lhe dedicam há tantos anos tal dedicação, espírito de missão e de sacrifício pessoal, e que, por isso, merecem a nossa admiração e justo reconhecimento.

    O seu papel na divulgação e promoção do Cinema Português é fundamental, num país privado, há décadas, de uma política de Cultura estruturante e do apoio efectivo das entidades tutelares responsáveis.

    A Federação Portuguesa de Cineclubes marca historicamente presença nos Caminhos e, como tal, sabe dos verdadeiros “milagres” que, ano após ano, foram sendo operados pela equipa que os organiza.

    Os Caminhos do Cinema Português, pelo seu exemplo de persistência e de amor pelo Cinema, merecem toda a atenção do Estado, da comunicação social, dos produtores, dos distribuidores e do público desta maravilhosa cidade de Coimbra que, por estes dias se transforma em Capital de Portugal, através do Cinema Português.

    Continuem a desbravar Caminhos!

  • Lídia Muñoz

    Lídia MuñozAtriz

    Tem o curso de Interpretação da Escola Profissional de Teatro de Cascais e a Licenciatura em Teatro – Ramo Atores pela Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa. Foi assistente de encenação de Diogo Infante, em O Ano do Pensamento Mágico, e de Marta Dias, em Vénus de Vison.

  • Joana Pais de Brito

    Joana Pais de BritoActriz

    Joana Pais de Brito nasceu em Lisboa, em 1983, e teve a sua formação,como actriz, na escola William Esper Studio, em Nova Iorque, onde concluiu o curso de dois anos.

    Antes iniciar a sua viagem como actriz, Joana foi Terapeuta Ocupacional, e trabalhou dois anos, num serviço de reabilitação psicosocial, do qual guarda gratas memórias. 

    A partir de 2011, torna-se actriz profissional, e desde essa data tem participado nos mais diversos projectos em teatro, televisão e cinema, entre os quais se destacam, o programa “Camada de Nervos” (Canal Q), a curta-metragem “Celeste” e a longa-metragem “A Mãe é que Sabe”.

    Em 2014 ganhou o prémio melhor de melhor actriz, no Shortcutz Lisboa, com a curta-metragem “Chico Malha”, e em 2017, o de melhor actriz secundária com a longa-metragem “A Mãe é que Sabe”, no festival Caminhos do Cinema Português.

    Mais recentemente, fez parte do elenco principal do programa “Donos Disto Tudo” (RTP1), integrou o elenco da longa metragem “A Fábrica de Nada”, e participou nas séries “Madre Paula” (RTP1) e “Os Idiotas” (RTP2).

    Neste momento, está entre Paris e Lisboa, e encontra-se a preparar as personagens das três curtas-metragens, em que participará ainda este ano, respectivamente, dos realizadores José-Maria Norton, Nuno Rocha e Diogo Lopes.  

    Foi com grande entusiasmo que recebeu o convite para integrar o júri do festival Caminhos do Cinema Português, o único que festival do país que celebra, exclusivamente, o Cinema nacional.

  • Manuel Halpern

    Manuel HalpernJornalista

    Jornalista e crítico do JL – Jornal de Letras Artes e Ideias desde 1998 e colaborador regular da revista Visão, Manuel Halpern nasceu em Lisboa no ano da Revolução dos Cravos.

  • Nuno Rocha

    Nuno Rocha

    Licenciou-se pelo Instituto Politécnico do Porto no Curso de Comunicação Audiovisual. Em 2009 estudou Advanced Directing na Universidade do Texas, nos Estados Unidos. A sua curta-metragem “3x3” foi a grande vencedora da primeira edição do Prémio Zon e alcançou desde então mais 19 prémios em todo o mundo.

  • Telmo Martins

    Telmo MartinsRealização

    É Realizador de Cinema e Televisão. Estudou na Universidade da Beira Interior onde se licenciou em Design e Multimédia com frequência de disciplinas dos cursos de Cinema e Electromecânica. Como Realizador ganhou vários prémios internacionais, de onde se destacam os três prémios arrebatados na XVII edição dos Caminhos do Cinema Português, com o filme Um Funeral à Chuva.

  • Fernando Miguel Oliveira

    Fernando Miguel OliveiraMotion Design & Genéricos

    Músico, Ator e Designer Multimédia. Participou no filme Esqueçe tudo o que te disse e na curta Supervodka. Colabora com a DEMO.

  • Massimo Bernardoni

    Massimo Bernardoni

    Nasceu a 7 de Março de 1942, em Roma onde concluiu, em Junho de 1960, a escola secundária. Depois de dez meses em Londres, estudou língua e literatura alemã-italiana em Munique e Frankfurt/M. Para além de pequenos textos traduziu para italiano a história literária não-ficcional, do livro “Das Abenteuer der deutschen Literatur “por K. H. Horst.

  • Ruben Miranda

    Ruben MirandaAlemanha

    Ruben Miranda trabalha como um membro activo do cinema municipal (Kommunales Kino-Freiburg) desde de 2012, como revisor e iniciador de eventos. Para além do seu compromisso cinematográfico local, está envolvido com o KAN-KAN Media, também desde de 2012, um projecto de artes visuais que promove e cria novos cenários e plataformas para a permuta de cultura e artes visuais por todo o mundo.

  • Vice-Presidente e Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Leiria

    Vice-Presidente e Vereador da Cultura da Câmara Municipal de LeiriaGonçalo Lopes

    A promoção das artes é uma aposta do Município de Leiria que não poderia deixar de se associar ao festival Caminhos do Cinema Português. Acreditamos que a aposta na democratização do acesso à arte e a formação de novos públicos é a receita certa para a criação de condições de sustentabilidade da produção cultural e para que esta se afirme, nas suas diversas expressões, como um pilar estruturante de uma sociedade moderna, culta, tolerante e solidária. (...)

  • Vasco Mendes

    Vasco MendesRealizador

    Vasco Mendes nasceu no Porto em 1987. Começou desde cedo a fazer vídeos caseiros com pequenas historias onde incluía a família e amigos, até ao dia em que começou a filmar e a editar concertos de música o que fez com que a sua relação com a música, ritmo e montagem começasse a crescer a partir dai.

  • Ana Rocha

    Ana Rocha

    Ana Rocha de Sousa é mestre em cinema pela London Film School e licenciada em pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Ao longo do caminho tem vindo a cruzar, no seu trabalho, técnicas de linguagem artística como a fotografia, artes plásticas, direcção de arte, cenografia, interpretação e realização.

  • Nicolau Breyner

    Nicolau BreynerActor e Realizador

    Nicolau Breyner nasceu em 1940 e é um dos mais conceituados e acarinhados actores portugueses.Para além de actor é também autor (foi co-autor da primeira novela portuguesa – Vila Faia), realizador e produtor.

  • João Fonseca

    João FonsecaDireção de Produção

    É licenciado em Cinema pela Escola Superior de teatro e Cinema e graduado pelo European Audivisual Entrepeneurs (EAVE 2000). Começou a sua actividade profissional em 1987, tendo trabalhado em diversas funções relacionadas com a produção e realização de Cinema, Publicidade e Televisão.

  • Com o Alto Patrocínio de Sua Excelência O Presidente da República Portuguesa

    Com o Alto Patrocínio de Sua Excelência O Presidente da República PortuguesaAníbal Cavaco Silva

  • Com o Alto Patrocínio de Sua Excelência O Presidente da Assembleia da República

    Com o Alto Patrocínio de Sua Excelência O Presidente da Assembleia da RepúblicaEduardo Ferro Rodrigues

    O direito à Cultura é um direito essencial ao desenvolvimento humano. Cabe ao Estado incentivar e regular as atividades culturais. Mas o papel dos agentes culturais e da sociedade civil é insubstituível, quer na criação, quer na organização dos eventos relacionados com as diferentes manifestações da Cultura.

    É o caso do Cinema, e é o caso do Festival Caminhos do Cinema, de Coimbra, que entra este ano na sua 21ª edição. Ao ultrapassar as vinte edições, podemos dizer que o Festival é já uma referência da vida cultural da cidade, enquanto encontro de expressões artísticas e verdadeira plataforma de reconhecimento de valores consagrados e de lançamento de novos valores do cinema.

  • Dinarte Branco

    Dinarte Branco

    Frequentou o Curso de Formação de Actores da ESTC. Participou como actor em espectáculos encenados por Luís Miguel Cintra, Jorge Silva Melo, Joaquim Benite, Ana Nave, Sandra Faleiro, Nicolau dos Mares, Francisco Salgado, Pedro Carraca, Ricardo Aibéo, Miguel Seabra, Tiago Rodrigues, Christine Laurent, Carlos J.Pessoa, Marco Martins, Adriano Luz, Solveig Noderlund, Pedro Marques, Nuno M Cardoso e Beatriz Batarda. Participou no espectáculo “Point Blank”, da companhia belga STAN.

  • Jorge António

    Jorge AntónioProdutor

    Divide a sua vida particular e profissional entre Portugal e Angola. Cedo se dedicou ao cinema, desenvolvendo uma atividade cineclubista e realizando filmes amadores em Super 8. Formado pela Escola Superior de Teatro e Cinema, especializou-se na área de Produção, em 1988.

  • Ana Padrão

    Ana PadrãoAtriz

    Actriz com uma invulgar beleza, é um dos rostos referência no panorama da cultura e do cinema português. Formada na Escola Superior de Teatro e Cinema, depressa se afirmou como actriz, fluente em vários idiomas em 1993 teve o privilégio de fazer parte do elenco do filme Der Blier Familien de Susanne Biera primeira mulher realizadora que mais tarde vem a receber o Oscar para melhor filme estrangeiro. Participa em muitos outros filmes com elencos de diversas nacionalidades, trabalhando​ com realizadores como George Sluizer Joaquim Leitão, Jorge Silva Melo, João César Monteiro, José Fonseca e Costa, Fernando d´Almeida e Silva, António-Pedro Vasconcelos, Fernando Lopes, Raoul Ruiz, Carlos Coelho da Silva, Mário Barroso, Carlos Saboga, Cristèle Alves Meira, Patrícia Sequeira e Bruno de Almeida, entre muitos outros. Em simultâneo, é uma presença constante no elenco de​ vários canais nacionais e internacionais, participando em séries, mini-séries, novelas e telefilmes. Com o sucesso do telefilme da SIC Amo-te Teresa (2000), no qual foi protagonista, seguiram-se muitos outros projectos na TV, como se pode constatar no seu vasto currículo.

  • Maria Vieira

    Maria Vieira

    Estreou-se como atriz no extinto Teatro Adóque, com a peça Paga as favas (1981); interpretação que lhe valeu, de imediato, o Troféu Nova Gente como Revelação do Teatro de Revista, tendo no ano seguinte sido agraciada com o Prémio da Imprensa, na categoria de Teatro Ligeiro. Na televisão, começa por colaborar com Júlio Isidro no programa Festa é Festa, iniciando depois uma longa relação profissional com Herman José, que a leva a integrar o elenco dassitcoms Hermanias (1984), Humor de Perdição (1987), Casino Royal (1989), Crime na Pensão Estrelinha (1990), Herman SIC (2000/06), Serafim Saudade - o regresso do herói (2001), O Fabuloso Destino de Diácono Remédios (2002) ou Hora H (2007). Participa ainda no popular concurso apresentado por Carlos Cruz 1, 2, 3 (1985), nos espetáculos para televisão Grande Noite (1990), de Filipe La Féria, nas séries Alentejo sem Lei (1991) de João Canijo, e Encontros Imediatos(1993), e fez rábulas no talk show da tarde da RTP, Portugal no Coração(2007/2008).

  • Cristina Haguenauer

    Cristina HaguenauerUniversidade Federal do Rio de Janeiro

    É Professora Titular da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e coordenadora do Laboratório de Pesquisa em TIC (LATEC/UFRJ). Consultora em projetos de capacitação profissional envolvendo o uso das TIC, Sistemas Multimédia, Realidade Virtual e Educação à Distância.

  • Manuel Halpern

    Manuel HalpernJornalista

    Manuel Halpern was born in Lisbon in the year of 1974. He is best known for his journalistic and critic career for “Jornal de Letras e Ideias”, where he works since 1998, and for regularly collaborating with “Visão” magazine.

  • Fernando Vasquez

    Fernando Vasquez

    Natural da cidade do Porto, Fernando Vasquez licenciou-se em Cinema na Buckinghamshire Chilterns University College e tirou uma Pós-Graduação em jornalismo na London School of Journalism. Após trabalhar em diversas produções cinematográficas, passou a dedicar-se ao jornalismo e critica de cinema para diversas publicações no Reino Unido, Portugal e Brasil, como o "Independent on Sunday", "Bulb Magazine" e Revista Sai. Desde 2010 que trabalha no FEST - Novos Realizadores | Novo Cinema (www.fest.pt) como Director de Programação Cinematográfica. Entre 2012 e 2016 acumulou também diversas funções na Nisi Masa - Rede Europeia de Cinema Jovem, onde foi Director do Departamento de Debate e Chefe de Redacção da revista "Nisimazine", onde orientou diversas workshops de crítica de cinema em festivais como Cannes, Roterdão, Veneza e San Sebastian, entre muitos outros. Fernando Vasquez também trabalha frequentemente com várias produtoras e realizador independentes a definir estratégias de distribuição internacional de cinema. Nos últimos anos Fernando Vasquez foi membro de diversos júris de competições de filmes, projectos e sessões de pitching em eventos como Kort Film Festival (Noruega), Shortwaves (Polónia), Valleta Film Festival (Malta), Primer Test e Rec Film Festival (Espanha).

  • Jerónimo Rocha

    Jerónimo RochaRealizador/Produtor

    Jerónimo Rocha nasceu no Porto em 81 e desde miúdo, por não gostar de jogar futebol, arquiteta estórias com quem o quiser acompanhar. Trabalha em Lisboa na produtora de filmes TAKE IT EASY desde 2005, onde realiza e dirige o laboratório criativo EASYLAB. Com mais de uma dezena de curtas metragens – entre as quais Breu (2010), Les Paysages (2012), Dédalo (2013), Macabre (2015), Arcana (2015) – selecionadas e premiadas nos mais diversos festivais do panorama nacional e internacional (Motelx, Cinanima, Indie Lisboa, Annecy, Guadalajara, Morbido, PiFan, Leeds, TIFF, entre outros), Jerónimo tem um particular fascínio pelo lado mais obscuro daquilo que nos rodeia. Foi o director de animação e editor da série da RTP, Odisseia (2013). É o primeiro português a receber o prémio Brigadoon no Festival Internacional de Cinema de Sitges

  • Magnífico Reitor da Universidade de Coimbra

    Magnífico Reitor da Universidade de CoimbraJoão Gabriel Silva

  • Victor Ferreira

    Victor FerreiraDirector do Festival

    Victor Ferreira est né à Heidelberg en Allemagne, en 1975. Diplômé en langues vivantes allemand par Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Master en agences de politiques culturelles, spécialisée également dans la programmation et la gestion du patrimoine culturel à la Faculté des lettres de l'Université de Coimbra.

  • Luís Nogueira

    Luís NogueiraUniversidade da Beira Interior

    Luís Nogueira é Professor Auxiliar no Departamento de Comunicação e Artes da Universidade da Beira Interior, onde foi diretor da licenciatura em Cinema, entre 2008 e 2015. Leciona ou lecionou unidades curriculares como Géneros Cinematográficos, Laboratório de Guionismo, Montagem, História do Cinema, Cinema de Animação, Cinema e Outras Artes ou Teoria dos Cineastas. Doutorou-se com a tese Narrativas Fílmicas e Videojogos. Articulações e dissensões. A dissertação de mestrado denomina-se Violência e Cinema. Monstros, soberanos, ícones e medos. A relação do cinema com as demais artes e média, como a literatura, a pintura, o teatro, a fotografia, a banda desenhada, o videoclip ou os novos meios, bem como a intertextualidade, a intermedialidade e a transmedialidade são outros temas do seu interesse. Publicou diversos manuais de cinema como Laboratório de Guionismo, Géneros Cinematográficos, Planificação e Montagem, Os Cineastas e a sua Artee Histórias do Cinema. Outros textos sobre temas diversos da sétima arte estão compilados nos livros Cinema e Digital: Ensaios, Especulações, Expectativase Cinema Múltiplo: Figuras, Temas, Estilos, Dispositivos (todos eles disponíveis em livroslabcom.ubi.pt).

  • Vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Coimbra

    Vereadora da Cultura da Câmara Municipal de CoimbraCarina Gomes

    A XXI edição do festival Caminhos do Cinema Português volta a colocar Coimbra no primeiro plano de uma das suas paixões, a 7ª Arte. O festival afirmou-se, por méritos próprios, como um evento de relevo no calendário cultural da cidade, aguardado com expectativa pelas oportunidades que proporciona de conhecer os trabalhos cinematográficos recentes realizados em Portugal. Dinamizado em contexto académico, pelo Centro de Estudos Cinematográficos da Associação Académica de Coimbra, o certame estimula as relações entre os estudantes e a cidade e reforça a universalidade do acesso à cultura cinematográfica portuguesa. É, portanto, com grande satisfação que a Câmara Municipal de Coimbra saúda e apoia este projeto, que celebra a rica e longínqua relação entre a cidade, os cinéfilos e o cinema português.

  • Fouad Nejmeddine

    Fouad NejmeddineUniversidade Aberta

    É Doutorado em Ciências Biomédicas pela Universidade de Paris 13, com Pós-Doutoramento em Biologia na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa. É investigador no Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX (CEIS20) da Universidade de Coimbra e tem organizado diversos seminários e congressos na área do Cinema Científico.

  • Presidente da Câmara Municipal de Coimbra

    Presidente da Câmara Municipal de CoimbraManuel Machado

  • Leonel Caseiro Morgado

    Leonel Caseiro MorgadoUniversidade Aberta

    É Doutorado pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. É Professor Auxiliar com Agregação da Universidade Aberta, onde leciona nos cursos de Informática, nas áreas de Métodos de Investigação, Mundos Virtuais e Programação. Foi também coordenador de diversos projetos de investigação.

  • Vice-Reitora para a Cultura e Comunicação da Universidade de Coimbra

    Vice-Reitora para a Cultura e Comunicação da Universidade de CoimbraClara Almeida Santos

    Os Caminhos do Cinema Português voltam à cidade. Com uma programação que oferece cada vez mais novidades, com a vontade de abarcar sempre mais público. As propostas estendem-se a várias comunidades: são os caminhos a encontrar novos caminhos, a estimular a investigação, a propor serviço educativo.

    O lugar ocupado por este festival é lugar comum, no melhor sentido da expressão - um lugar onde todos nos podemos rever e encontrar. E, assim, a Universidade de Coimbra junta-se a esta festa do cinema português e em português.

    Encontramos motivos para nos juntarmos a esta festa, em toda a linha, como num filme: com princípio, meio e fim. Porque na origem destes Caminhos está a academia, na sua força criativa e de organização; porque é um momento cultural distintivo e único; porque a sua finalidade é, no fim do dia, a promoção e difusão da língua e cultura portuguesas, objetivo que comunga da própria matriz identitária da Universidade de Coimbra.

  • Leonardo Mouramateus

    Leonardo MouramateusRealizador

    Leonardo Mouramateus nasceu em 1991 em Fortaleza, Brasil. Escreveu e dirigiu uma dezena de premiados curta-metragens exibidos em festivais como Locarno, Cinema du Réel, Festival dei Popoli e Indielisboa, entre muitos outros. Seus filmes também foram mostrados em museus como o Centre Pompidou em Paris ou MASP em São Paulo. Recentemente, retrospectivas de seu trabalho foram apresentadas em importantes instituições, mais notavelmente na Cinemateca Francesa. Leonardo é sócio da produtora Praia à Noite. António Um Dois Três, seu primeiro longa-metragem, estreou na sessão Bright Future do Festival de Cinema de Rotterdam, e foi posteriormente exibido em festivais como o BAFICI, Indielisboa e CPH:PIX.

  • Catarina Burnay

    Catarina BurnayUniversidade Católica Portuguesa

    Pós-Doutorada em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (2015) e Doutora na mesma área, com a tese "A Açorianidade na Ficção da RTP-Açores (1986-2007)", pela Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa, Instituição onde iniciou a sua carreira académica, em 2002.

  • Catarina Alves Costa

    Catarina Alves CostaRealizadora / Investigadora

    Catarina Alves Costa é realizadora e antropóloga. Realizou, entre outros filmes, Senhora Aparecida (1994), Swagatam (1998) Mais Alma (2000), O Arquitecto e a Cidade Velha(2004), Nacional 206 (2009) Falamos de António Campos (2010) Pedra e Cal (2016). Estudou Antropologia Social, fez o Mestrado em Antropologia Visual no Granada Centre for Visual Anthropology da Universidade de Manchester, como bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian e o Doutoramento na Universidade Nova de Lisboa com a tese Camponeses do Cinema. Representações da Cultura Popular no Cinema Português. Em 2000 fundou, com Catarina Mourão, a produtora Laranja Azul onde produziu filmes de Daniel Blaufuks, Sílvia Firmino e João Ribeiro, entre outros. É Professora Auxiliar da Universidade Nova de Lisboa e Coordenadora do Mestrado em Antropologia – Culturas Visuais. Coordena o NAVA (Núcleo de Antropologia Visual e da Arte), Linha temática do Centro em Rede em Antropologia / CRIA. Ensina também nos mestrados e doutoramentos da Universidade de São Paulo, no Brasil, e na Faculdade de Ciências Sociais da Universidade de Barcelona, assim como no Lisbon Docs, Fórum para a Produção de Documentários.

  • Marcantónio del Carlo

    Marcantónio del Carlo

    Dias que ele pode: 18, 24, 25, blocos de 8 + 3 = 11 horas por dia? Horários Alargados

  • Directeur du Teatro Académico de Gil Vicente

    Directeur du Teatro Académico de Gil VicenteFernando Matos Oliveira

    Le Teatro Académico de Gil Vicente a entretenu des relations étroites et commis avec la Caminhos cinéma portugais du projet, une initiative du centre d'études de film/AAC. En 2014, le TAGV accueille avec satisfaction le bon augure retourne les chemins d'accès, un événement qui accueille depuis le début.

    Nulle part ailleurs peut le public de la ville et pays rencontrer et affronter chaque année les dernières images portugaise, dans leurs diverses formes et traditions expressives, depuis les projets de formation, animation, documentaire, court et long métrage.

    Dans un pays marqué par le syndrome de l'inachevé et une vie culturelle avec des difficultés à maintenir des projets à l'heure, cette 20e édition témoigne de la persévérance de ses organisateurs, qui contribuent à rendre public et visible de la force productive et créative du cinéma portugais.

  • Sua Excelência O Presidente da Assembleia da República

    Sua Excelência O Presidente da Assembleia da RepúblicaEduardo Ferro Rodrigues

    Com o Alto Patrocínio de Sua Excelência

    Foi com gosto que recebi o convite para integrar a Comissão de Honra da 22ª edição do Festival Caminhos do Cinema Português. O acesso à cultura e a divulgação das artes dependem das políticas públicas, mas não funcionam sem a iniciativa dos agentes e das associações culturais. É graças a esse espírito de iniciativa que o Direito à Cultura chega aos territórios e às pessoas. Os Caminhos do Cinema Português são uma dessas iniciativas da sociedade civil, que há já mais de vinte anos leva a arte cinematográfica a Coimbra. Por isso faço questão de deixar aqui, nesta breve mensagem, o meu reconhecimento público.

  • Sara Barros Leitão

    Sara Barros LeitãoAtriz

    Sara Barros Leitão, nasceu no Porto em 1990 e formou-se em Interpretação pela Academia Contemporânea do Espetáculo. Trabalha regularmente em Televisão, e o seu trabalho na mini-série “Mulheres de Abril” valeu-lhe, em 2014, a nomeação para Melhor Atriz Secundária nos Prémios Áquila e Prémios Fantastic Televisão.

  • Pedro Melo

    Pedro MeloDirector de Som

    Pedro Melo é Director de Som e possui formação em música, tendo frequentado o conservatório nacional de música. Em miúdo foi chamado para interpretar pequenos papéis em cinema e publicidade. Foi aos 8 anos que teve o primeiro contacto com rodagens profissionais.

  • Tiago Baptista

    Tiago BaptistaDirector Arquivo Nacional das Imagens em Movimento

    Tiago Baptista é diretor do Arquivo Nacional das Imagens em Movimento, o centro de conservação da Cinemateca Portuguesa-Museu do Cinema. É doutorado em Film and Screen Media pela Universidade de Londres (Birkbeck College) e investigador integrado do Instituto de História Contemporânea-NOVA FCSH.

  • João Torres

    João TorresDiretor de Arte

    Desenvolveu actividade artística nos domínios das artes plásticas, teatro, performance, poesia visual, fotografia e cinema.Dedica a sua actividade profissional à área da Direcção de Arte em Cinema. Nesse âmbito trabalhou com empresas de produção de filmes, tele-filmes e filmes publicitários de vários países (Portugal, França, Alemanha, Espanha, Inglaterra e Estados Unidos da América). Trabalhou com realizadores como Raoul Ruiz, Riccardo Freda, Bertrand Tavernier, Jean Louis Bertoucelli, Jean Claude Missien, Serge Moari, Denys Granier-Deferre, Michaela Watteaux, Serge Korber, Paolo Marinou Blanco, Joaquim Leitão, Ranier Eurler, Billy August, António Pedro Vasconcelos, Patrick Timsit, Imanol Arias, Tom Carirns, Tom Donnely, Alain Tanner, entre muitos outros.

  • Pedro Chagas Freitas

    Pedro Chagas FreitasEscritor

    Pedro Chagas Freitas escreve cenas variadas. Romances, novelas, contos, crónicas, guiões, letras de música, textos publicitários e outras imbecilidades. Publicou mais de duas dezenas de obras. Está na lista dos mais vendidos de 2014 em Portugal. Estudou linguística e criou jogos didácticos para estimular a produção escrita. Foi nadador-salvador, barman, operário fabril, porteiro de discoteca, jogador de futebol. Acredita que o país perfeito é a Lamechalândia. E vive por lá todos os dias.

  • Alvaro Rodrigues de Lima

    Alvaro Rodrigues de LimaUniversidade Federal do Rio de Janeiro

    É Doutorado em Educação Brasileira (1992) e Mestre em Ciências em Arquitetura pela FAU/Universidade Federal do Rio de Janeiro. É vice-coordenador do Laboratório de Pesquisa em Tecnologias da Informação e da Comunicação (LATEC/UFRJ) e coordena o grupo de Educação Ambiental e Ensino de Ciências (GEA/UFRJ).

  • Fátima Chinita

    Fátima ChinitaEscola Superior de Teatro e Cinema

    Fátima Chinita é licenciada em Línguas e Literaturas Modernas (Português e Inglês), pela UL; bacharel em Cinema (Montagem), pela Escola Superior de Teatro e Cinema, do antigo Conservatório Nacional; mestre em Ciências da Comunicação (Cultura e Novas Tecnologias), pela FCSH-UNL e doutora em Estudos Artísticos (Cinema e Audiovisuais) pela UL. É Professora Adjunta na Escola Superior de Teatro e Cinema (IPL) e encontra-se a efectuar a investigação pós-doutoral “O cinema como a arte das artes: a alegoria da criação no cinema de autor como projecto discursivo e sinestésico intermedial”, alojada nos centros de investigação Labcom.IFP (UBI, Portugal) e IMS - Intermediality and Multimodality Forum (Universidade de Linnaeus, Suécia). É autora do livro O Espectador (In)visível – Reflexividade na Óptica do Espectador em INLAND EMPIRE, de David Lynch (Covilhã: Livros LABCOM, 2013). 

  • Miguel Alves

    Miguel AlvesStoryboard

    É Mestre em Ilustração e Banda Desenhada pela Escola Superior Artística de Guimarães. Deu diversas formações na área do Audiovisual e trabalhou em áreas como Storyboard Artist, Ilustração e Design de Marketing, Ilustração Editorial, Ilustração Infantil, Desenho de Reportagem e Ilustração de Produtos Culturais e Turísticos.

  • Doutor Carlos Capucho

    Doutor Carlos CapuchoUniversidade Católica Portuguesa

    Carlos Capucho é Pós-Graduado em Comunicação Audiovisual (U. Católica de Lyon, França); Mestre em Comunicação Educacional Multimedia (U. Aberta); Doutor em Ciências da Comunicação – Especialidade Estudos Fílmicos (U. Católica Portuguesa). É Professor Auxiliar aposentado da Faculdade de Ciências Humanas da UCP, foi Coordenador Pedagógico da licenciatura em Comunicação Social e Cultural da FCH da UCP entre 2006 e 2011 e, ainda, responsável por disciplinas da área do cinema na referida licenciatura. Foi também, na mesma Faculdade, coordenador Científico da Pós-Graduação em Cinema e Televisão. Atualmente é docente, na área do cinema, nos mestrados e doutoramentos em Ciências da Comunicação e Estudos de Cultura da FCH.

  • Presidente da Entidade Regional Turismo do Centro de Portugal

    Presidente da Entidade Regional Turismo do Centro de PortugalPedro Machado

    A Turismo Centro de Portugal é, em 2017, o Destino Preferido da ECTAA - European Travel Agents' and Tour Operators' Associations. Cientes da importância de que todos os associados desta organização (mais de 30 Países emissores e mais de 80.000 Agências de Viagens) conheçam e promovam esta região, bem como, a importância da imagem para esse efeito, em 2016 foi produzido o “Turismo Centro Portugal – Preferred Destination ECTAA 2017”. O filme, com a duração de 2 minutos e 10 segundos, pretende traduzir a riqueza e a diversidade desta grande região, tem granjeado um conjunto de reconhecimentos e prémios nacionais e internacionais, ocupando neste momento um lugar de grande destaque no ranking mundial de filmes de turismo do CIFFT – Comité Internacional de Festivais de Filmes de Turismo: é 4.º classificado, entre 154 concorrentes, apenas atrás de filmes dos Emirados Árabes Unidos, Áustria e Dinamarca. Este ranking do CIFFT é elaborado por pontos, atribuídos pelos prémios conquistados em festivais da especialidade. Estamos cientes, que este prémio vem reforçar o processo de internacionalização da marca Centro de Portugal. O facto de estar a ser premiado num conjunto de festivais internacionais permite o alargamento para mercados que até aqui não estavam nas prioridades da promoção externa do Centro de Portugal. Com a promoção turística e, em particular, com a projeção e a notoriedade que a região Centro de Portugal está a alcançar com este filme, pretende-se criar a expetativa e o motivo para que turistas de todo o mundo visitem o nosso destino.