Flutuar-Img-Pst-1.jpg

Além Variações, sexta é o dia da comunidade LGBTI+!

As exibições com abordagens às temáticas  LGBTI+, começam na quinta-feira, dia 29 de novembro. António Joaquim Rodrigues Ribeiro é o protagonista e dá pelo nome de António Variações. Um ícone da música portuguesa e um dos primeiros portugueses a assumir-se como homossexual, deixou marcas e abriu caminhos a várias gerações de artistas. Um filme biográfico que levou mais de 15 anos a estar de pé, pelo realizador João Maia. As perguntas e respostas desta sessão são moderadas por Sandra Bettencourt.

Para além deste já icónico filme, a Seleção Caminhos, seleção competitiva do festival, transmite ainda outros, na sexta-feira, dia 30, no Teatro Académico Gil Vicente. Às 15:00, entra “Quero-te Tanto!”, uma longa ficção assinada por Vicente Alves do Ó.

Ás 17:30 será exibida, em primeiro lugar, uma produção de Tiago Afonso. “O Desvio” conta a história de dois percursos peculiares, cuja única semelhança é passar-se tudo ao mesmo tempo e num raio limitado. Um filme sem julgamentos, onde o único objetivo é contar duas histórias ao mesmo tempo e a única proibição é serem feitas analogias entre elas. Em segundo lugar, a curta-metragem “Casa de Vidro”, de Filipe Martins, que mostra a vida de Carlos, um homem sem-abrigo e toxicodependente, que vive na cidade do Porto.

As duas últimas exibições da tarde são da autoria de Rui Simões e de Rui Gonçalves Rufino. O primeiro assinou “Teus Olhos Castanhos de Encantos Tamanhos”, que conta a história de um sem-abrigo e o seu caminho. Aquele acaba por ser uma projeção de todos nós e representa a nossa impotência primordial. O segundo, produziu “Bela Vista – Ilha Habitada”, que regista a reabilitação da ilha da Bela Vista, na cidade do Porto, entre os anos de 2015 e 2017. Um processo registado pelas memórias das diferentes gerações residentes, que revelam anos de dificuldade e lutas por melhores condições de vida.

A animação de Alexandre Siqueira dá as boas-vindas à sessão das 21:45. “Purpleboy” é Óscar, uma criança que nasceu no jardim dos pais. Ninguém sabe qual o seu sexo, mas ele sabe que quer ser um menino. Quando Óscar sai da terra, descobre que, afinal, tem um corpo feminino. A questão é, depois da dolorosa descoberta, será que ele vai obter o reconhecimento da identidade que deseja?

Artur Serra Araújo leva ao festival duas jovens que, sobre a banalidade do discurso e o absurdo das suas ações, flutuam no mar, algures entre o erotismo e a violência. “Flutuar”, uma curta ficção passada numa noite de lua cheia.

A última exibição da noite é da autoria de Vicente Alves do Ó. A longa ficção “Golpe de Sol” conta a história de quatro amigos de longa data que passam um fim-de-semana numa casa de campo de um deles, na Costa Alentejana. Tudo está tranquilo, até que David, um amigo e amante dos quatro, com quem não falavam há 10 anos, telefona. De repente, a tranquilidade acaba e a tensão impera, motivada pelos segredos, verdades escondidas e questões que ficaram sem resposta.

Na Seleção Ensaios vão ser transmitidos, nos Cinemas NOS, no Alma Shopping, às 17:30 de sexta-feira, seis filmes. A animação de João Monteiro e Luís Vital, “Ode à Infância”, conta a história de uma tímida rapariga que, numa visita ao parque com o seu pai protetor, conhece uma outra muito energética. Juntas vivem uma aventura, descobrindo algo que as mudará para sempre.Sentir-me, também ela uma animação, conta a história de um homem que fuma inquieto, numa varanda. Quando regressa ao interior, uma mulher desconhecida provoca-o, dirigindo-o para uma viagem introspetiva que, apesar da insegurança, o encaminha para o seu verdadeiro eu.

Aurora é uma artista criada por Carlota Flor. Oriunda de uma pequena vila no norte de Portugal, vive em Lisboa, onde procura singrar nas artes performativas e quebrar preconceitos, através das suas criações. E ainda a curta de Pedro Gama, “Homens que Inventam Mulheres”.

Os dois últimos documentários da sessão são assinados por Pietra Baraldi e André p. Amaral e por Akira Kamiki. Os dois primeiros contam a história de Dennis, em Black – Retrato de uma Metamorfose. O filme mostra a preparação da personagem para um espetáculo de Drag, a relação dela com este universo e a transformação de Dennis em Lexa Black. O segundo, diretor da curta ficção Infinito Enquanto Dure”, conta a história de Danny e Seiji, que se apaixonam numa festa. No entanto, Danny acredita que as diferenças entre eles podem ser mais fortes que os seus sentimentos.

Uma programação extensa e diversa que mostra que nos Caminhos todos têm lugar.