Tag Vítor Ferreira

warm-up.jpg

Warm-Up: Conversa, Galeria V, Caminhos!

Desbravando caminho para a XXV edição, os Caminhos do Cinema Português, em conjunto com a Galeria V, promovem um warm-up: revelando a programação e todas as novidades desta edição.

Com o objectivo de dar a conhecer e explorar as dinâmicas do Festival Caminhos do Cinema Português, no dia 15 de novembro, às 21H45, vai decorrer  no Salão Brazil, um “warm-up” para a XXV edição. Colocam-se em evidência os  25 anos de história, com uma exposição de cartazes de cada edição, bem como se revelará a programação e actividades paralelas desta edição do festival.

saber mais

31105719707_db33edf0aa_k.jpg

Mensagem do Diretor

Próximos do Jubileu que com certeza marcará a vida deste evento, orgulhamo-nos de trazer a Coimbra de forma ininterrupta e contínua o melhor do que se faz no cinema português. Consideramos que ao longo de 24 edições alcançamos um equilíbrio programático que reflete todos os géneros e feitios que caracterizam a produção de cinema no país, procurando de forma equitativa dar-lhe um espaço e públicos, que anseiam por ele, ou que lhes permite a descoberta do mesmo. Sem seccionismos, elitismos ou proselitismos tentamos manter coerente a identidade que nos caracteriza desde sempre: mostrar todo o cinema português.

saber mais

46822476_197475144526605_6207687460369989632_n.jpg

Cerimónia de abertura dos 24 Caminhos: da comédia ao drama

Nesta primeira noite da 24ª Edição de “Caminhos do Cinema Português”, o ponto de encontro foi o Teatro Académico Gil Vicente (TAGV). Com as portas abertas ao público, não demorou muito até que a multidão começasse a convergir para o que seria o início de um belo serão. De estudantes a profissionais, dos mais curiosos aos mais experientes, o festival acolheu, de braços abertos, cinéfilos de todas as idades. Da mesma forma, a sétima arte viria, como se percebeu pelo ambiente vivido, a ser acarinhada por todos os seus amantes que por cá passaram. Acabada de chegar à cidade dos estudantes, sua velha conhecida de edições anteriores, a magia do cinema português voltou a fazer-se notar.

saber mais

simposio-a3-horizontal.png

Programa das Fusões no Cinema

O V Simpósio Fusões no Cinema,  integrado no programa do festival Caminhos do Cinema Português, irá  ocorrer nos dias 23 e 24 de novembro no Museu da Chapelaria em São João da Madeira. Serão apresentadas e debatidas perspectivas sobre as Fusões das Artes no Cinema mediante o prisma dos estudos dos média, tecnologia e educação.

O Simpósio é dirigido ao público em geral, com particular interesse na temática do cinema, em particular, con­vi­dando-se todos os educadores e docen­tes dos ensi­nos básico e secun­dá­rio a par­ti­ci­par, permitindo o acesso à acreditação da Ação de Curta Duração Cinema e Educação: Abordagens Multidisciplinares. A participação do público é gratuita mas carece de inscrição obrigatória.

saber mais

pic-anuncio-juri-caminhos-mesmo.jpg

Cerimónia de Abertura da 23.ª edição

Esta ses­são de índole pro­to­co­lar marca o iní­cio for­mal desta XXIII edi­ção. Nela são rece­bi­das todas as enti­da­des envol­vi­das no Fes­ti­val e são nome­a­das em gesto de agra­de­ci­mento. É tam­bém feita uma pequena apre­sen­ta­ção da pro­gra­ma­ção geral do Fes­ti­val e do grupo de jura­dos das mais diver­sas cate­go­rias. Tam­bém marca a estreia em grande écran da curta metra­gem – A Costureirinha – pro­du­zida no âmbito do 6.º curso de cine­ma­lo­gia pro­mo­vi­dos pela orga­ni­za­ção. Há ainda espaço para a música com a actuação do Grupo de Cordas da Secção de Fado da Associação Académica de Coimbra.

saber mais

MG_0642.jpg

Programa Oradores Convidados do IV Simpósio Fusões no Cinema

Já se encontra disponível o programa das comunicações de oradores convidados do IV Simpósio Internacional Fusões no Cinema. O simpósio decor­rerá nos dias 17 e 18 de novem­bro de 2017, em São João da Madeira, com o apoio da Câmara Muni­ci­pal de São João da Madeira, sendo co-organizado pelo festival Caminhos do Cinema Português e pela Unidade de Desenvolvimento dos Centros Locais de Aprendizagem (UMCLA) da Universidade Aberta.

saber mais

20150330_-_Cinemalogia-Rodagem-Nunca-é-Tarde__408_de_600.jpg

‘Nunca é Tarde’ seleccionado na 7.ª edição do FARCUME

O percurso de ‘Nunca é Tarde’ pelos festivais de cinema continua. Depois de Avanca, Figueira da Foz, Famalicão, Coimbra e Leira, passando primeiro por Mulvane no estado do Kansas, eis que o filme chega a Faro. A curta-metragem produzida no âmbito da 4.ª do Curso de Cinema Cinemalogia ‘da ideia ao filme’ promovido pelo Festival Caminhos Cinema Português, foi seleccionada pelo FARCUME – Festival Internacional de Curtas-Metragens de Faro -conjuntamente com outros 58 trabalhos proveniente de 17 países, na categoria de Ficção. A sétima edição deste festival realizar-se-á de 21 a 26 de de Agosto.

saber mais

IMG_0292-e1479645612462.jpg

Discurso de Abertura

Encontramo-nos na abertura da XXII Edição do Festival Caminhos do Cinema Português, este ano no Mosteiro de Santa Clara a Nova, como marca da união entre o nosso festival e a história cultural da cidade de Coimbra.

Apesar de todas as dificuldades que sempre marcam a organização de um evento como este, foi conseguida inaugurar mais uma edição graças ao constante apoio da nossa organização e parceiros.

saber mais

simposio-id.png

“Fusões no Cinema” em Leiria

O Cinema, sendo uma das manifestações artísticas mais recentes, nasceu e cresceu numa época dinâmica e tecnológica, funcionando muitas das vezes como instrumento pedagógico e educacional. Com um forte relevo no contexto da aprendizagem das novas tecnologias, tem sido fundamental como veio de passagem de informação e conteúdo formativo, implementando e fundindo todas as outras correntes artísticas que, com o Cinema, passaram a ser passíveis de ser registadas com o espírito devido. Qualquer área académica e científica pode ser inspirada pela arte e manifestada pela imagem em movimento, criando uma simbiose entre aquilo que quer ser mostrado e como se quer que se mostre. O foco da câmara passa por vezes a representar aquilo que a boca daquele que ensina quer transmitir, inaugurando muitas das vezes um diálogo que – tendo o filme como plúmula – se torna mais transversal. Estimulando a discussão esperta-se cumulativamente o conhecimento, que é assim analisado sob um ponto de vista académico e educativo.

saber mais