Júniores-CCP.jpg

Crianças enchem TAGV de olhares atentos e curiosos

E porque os mais novos também merecem, o Festival Caminhos do Cinema Português tem preparada para eles uma sessão repleta de animação. Eufóricos, entraram pelo Teatro Académico Gil Vicente (TAGV) em grupos preparados para uma boa manhã de cinema.

Foram vários os filmes que pintaram o grande ecrã com cores vivas e cativantes. A sessão começa com Tanguito Argentino, história de dois postes de luz que dançam sob o luar ao som de um belíssimo tango. Surprise! Eis que um palhaço, que vive numa caixa surpresa, descobre que o seu único chapéu não está na sua cabeça e vai em busca dele. descobre que o seu único chapéu não está na sua cabeça e vai à sua procura Fox Tale conta a história do senhor Fox, que troça da cauda, não tão espampanante quanto a sua, de uma lebre. Contudo, acaba por perceber que “tudo o que vai, volta”. O Chapéu fala de um varredor de jardim que vê a sua realidade alterada quando encontra um chapéu mágico, capaz de corresponder aos cenários idealizados pelo seu tutor. Adaptado do livro de José Jorge Letria e André Letria, O Zé Pimpão, o Acelera é a história de um fanfarrão exibicionista. Não conhecendo as suas limitações, julga-se imune ao álcool e acaba por sofrer as consequências da sua inconsciência. Sand Signs, The Sandman e Umbrella passaram também no painel.

Também as crianças participaram na sessão, ainda que de forma indireta. Inspirado no poema “Brinquedo”, da autoria de Miguel Torga, A Borboleta Azul foi realizada pela Associação Instantes Mutantes, A Ilha dos Doces pelo Agrupamento de Escolas Dr. Mário Fonseca – Nogueira e Sonho Profundo, pela Escola EBS 2,3| S. Miguel Torga – Sabrosa. Por sua vez inspirado em “Segredo”, do mesmo autor, Aves Raras contou com a realização da EB Lousada Este – Caíde de Rei e Casa Museu de Vilar.

Não se tratam de filmes que visam apenas entreter. Assim como nos diz Cristina Tomás, auxiliar no Jardim de Infância Carvalhais de Baixo, “estas sessões são importantes mesmo pela informação que o filme passa, é útil”. Sobre os filmes, Cristina refere que “os miúdos adoram” e isso foi, claramente, visível.

Ana Sofia Neto