CAPA-SITE-1920x1279.jpg

Abril na Casa do Cinema de Coimbra

No mês de abril a Casa do Cinema de Coimbra desafia o espectador a acompanhar várias perspectivas dando respostas aos desafios que encontramos nas nossas relações sociais, com o mundo e com as artes.

Além da exibição regular, a Casa do Cinema de Coimbra receberá os festivais EPICENTRO e SANTOS DA CASA projetando a união entre música e imagem. Destacamos ainda as duas ante-estreias que recebemos, nomeadamente: OLGA, de Elie Grappe, distinguido com o Prémio de Melhor Argumento na Semana da Crítica de Cannes, numa sessão solidária a favor da Cruz Vermelha Portuguesa, e o documentário VIVER E ESCREVER EM TRÂNSITO: ENTRE ANGOLA E PORTUGAL, de Doris Wieser.

Iniciamos o mês de abril com a exibição de A CRUZADA, de Louis Garrel, que através da comédia nos dá a conhecer como as crianças de todo o mundo podem salvar o planeta da crise ambiental. O filme vai estar em exibição de 1 a 16 de abril. Na mesma semanal, exibimos DEPOIS DO AMOR, de Aleem Khan, que garantiu o BAFTA de Melhor Atriz a Joanna Scanlan e, em estreia nacional, o thriller islandês CORDEIRO, de Valdimar Jóhannsson, premiado com “Un Certain Regard” no Festival de Cannes. Estes dois filmes estão em exibição, respectivamente, até 7 e 8 de abril.

As quintas-feiras de abril, às 18h00 têm sessões de A FLOR. Após a exibição das duas primeiras partes em fevereiro, exibimos as restantes sessões do filme de Mariano Llinás entre 7 de abril e 12 de maio, todas as quintas-feiras às 18:00.

Atentos à tragédia humanitária e respondendo ao repto lançado pela Outsider Films, promovemos no dia 7 de abril às 19h45 a ante-estreia de OLGA, de Elie Grappe. As receitas da sessão revertem a favor da Cruz Vermelha Portuguesa. Esta é a história de Olga, uma jovem ginasta ucraniana exilada, que trabalha para garantir o seu lugar no Centro Nacional de Desporto da Suíça. Quando a revolta Euromaidan eclode na Ucrânia e a sua mãe é espancada e detida pelas autoridades, o coração e a razão de Olga dividem- se entre o amor e a conquista do sonho de uma vida. Um filme distinguido com o Prémio Melhor Argumento da semana da Crítica do Festival de Cannes.

Nesse mesmo dia, às 21h30, recebemos a estreia de MONSTROS FANTÁSTICOS: OS SEGREDOS DE DUMBLEDORE, o terceiro filme da saga Monstros Fantásticos de J. K. Rowling, que estará em exibição até 15 de abril. No dia seguinte exibimos O QUE VEMOS QUANDO OLHAMOS PARA O CÉU?, de Alexandre Koberidze, que conta o amor à primeira vista de Lisa e Giorgi, numa rua da cidade georgiana de Kutaisi, e a antecipação por um reencontro. O filme estreado em 2021 no Festival de Cinema de Berlim tem sessões marcadas para 8 (21:30) e 9 de abril (18:00).

Entre 14 e 22 de abril exibiremos O PODER DO CÃO, distinguido com o Óscar de Melhor Realização para Jane Campion. Nos dias seguintes – 15 (21:30) e 16 de abril (18:00) –  exibimos a segunda longa-metragem da cineasta ucraniana Daria Onyshchenko, ESQUECIDO, um drama romântico ambientado numa cidade controlada por rebeldes pró-Rússia.

Ao terceiro sábado de cada mês (16 de abril), promovemos o cinema em família com uma matiné de FILMINHOS INFANTIS À SOLTA PELO PAÍS e a reposição de A CRUZADA. A jovialidade no cinema estende-se até quarta – 20 abril às 18:00 – com a sessão de filmes produzidos pela Universidade da Beira Interior, promovendo o talento dos futuros cineastas da região centro.

Comemorando os 48 anos do 25 de Abril, promovemos a exibição de MUDAR DE VIDA – JOSÉ MÁRIO BRANCO, VIDA E OBRA, de Nelson Guerreiro e Pedro Fidalgo, o retrato de um homem que marcou o panorama artístico e cultural português e para quem a cantiga foi [sempre] uma arma — no dia 22 de abril às 18:00, e SALGUEIRO MAIA – O IMPLICADO, de Sérgio Graciano, um docudrama sobre aquele que é considerado o herói e o símbolo mais puro do 25 de Abril de 1974. O filme vai ter dupla exibição, no dia 23 (21:30) e 27 de abril (15:00).

Este fim de semana é reservado para mais filmes em ANTE-ESTREIA:
NÃO APAGUEM OS NOSSOS RASTOS!, de Pedro Fidalgo, no dia 22 de abril às 21:30 (repete no dia seguinte às 18:00), um filme sobre as canções de Dominique Grange que carregam em si as marcas da resistência do Maio de 1968, em Paris.
VIVER E ESCREVER EM TRÂNSITO: ENTRE ANGOLA E PORTUGAL, um documentário de Doris Wieser, em exibição no dia 23 de abril às 15h00, que relata a vida em trânsito – de diferentes maneiras e em diferentes épocas – de vários escritores entre Angola e Portugal.

Com exibições marcadas para o final de Abril, COMPETIÇÃO OFICIAL, de Gastón Duprat e Mariano Cohn, uma comédia co-produzida entre Espanha e Argentina, e acompanha a produção de um filme ao cargo da conhecida realizadora Lola Cuevas (Penélope Cruz) que assume a difícil tarefa de lidar com dois atores de enorme talento, e egos ainda mais colossais: o grande galã de Hollywood Félix Rivero (Antonio Banderas) e o radical ator de teatro Iván Torres (Oscar Martínez). Nos últimos dias do mês, 29 (21:30) e 30 (18:00), exibimos ainda o hipnótico ATLÂNTIDA, de Yuri Ancarani, que acompanha o solitário Daniele, um jovem habitante de Sant’Erasmo, uma ilha na Lagoa de Veneza, que tal como muitos outros compete pela construção do barchino mais rápido, uma obsessão que corrói as as relações, o ambiente e os hábitos de uma geração.

Abril é um mês com uma aposta na relação entre a música e o cinema, a programação conta ainda com várias sessões de cinema de dois festivais da cidade. O Festival Santos da Casa, promovido pela Rádio Universidade de Coimbra, programa duas sessões:
21 abril às 21:30JÁ ESTOU FARTO!, de Paulo Antunes, um documentário que faz um retrato intimista do músico João Pedro Almendra, contado na primeira pessoa, numa viagem espacial e temporal, pelo bairro de Alvalade, em Lisboa, que o viu crescer e onde reside.
28 abril às 21:30PORTUGAL DESDE A RAIZ, de Nico Guedes, uma viagem real pelo país, inspirada no trabalho de Giacometti entre 1960 e 1983, enriquecida pelo conceito subjacente à obra do Norte Americano Ry Cooder, em trabalhos como “Buena Vista Social Club”.

E ainda quatro sessões do Festival Epicentro, promovido pela BLUE HOUSE:
6 abril às 21:30WE WERE FLOATING HIGH, de Tiago Gomes, um documentário que acompanha a gravação do álbum da banda de Leiria First Breath After Coma durante o ano de 2019.
13 abril às 21:30TECLA TÓNICA, Eduardo Morais, um olhar sobre a história da música electrónica portuguesa, desde os seus primórdios na década de 1960 até ao panorama actual.
20 abril às 21:30 FAREWELL, de Rui Portulez e Ricardo Clara Couto, um filme de comemoração dos 10 anos do disco “Farewell” e dos primórdios da banda Sean Riley & The Slowriders.
27 abril às 21:30 —  FILHOS DO TÉDIO, de Rita Alcaire e Rodrigo Lacerda, a história de uma das exportações mais famosas de Coimbra, os Tédio Boys.

epicentro - casa do cinema de coimbra

O mês termina com o início do ciclo “CEM ANOS DE PASOLINI”, que se prolonga até julho, e dá a conhecer o percurso cinematográfico do cineasta italiano Pier Paolo Pasolini. Na primeira sessão, 30 abril às 15:00, é exibido o filme ACCATTONE, drama que acompanha Vittorio, conhecido como Accattone, que habita nos subúrbios de Roma e leva uma vida marcada pelo ócio, como chulo, enquanto explora a namorada Maddalena, mas nem tudo corre como planeado….

Acompanha a nossa agenda aqui.

Bilhetes Pontuais:
Normal — 5€
Reduzidos — 4€
Sócios da CCP/AACC em todas as sessões e  Sócios Fila K e CEC nas respectivas sessões — 2€

Passes 10 Sessões:
Normal — 30€
Reduzido — 25€

A Casa do Cinema de Coimbra abre a sua bilheteira 30 minutos antes de cada sessão e situa-se no piso 0 das Galerias Avenida na Av. Sá da Bandeira.