Blog Archives

Inside Hou8e, de Margarida R.Nuno – Outros Olhares (2018)

Inside Hou8e, de Margarida R.Nuno

Outros Olhares – 30/11/2018 – 18:00
Mini-Auditório Salgado Zenha – Piso 0 AAC

Stories behind the conceptual photography project HOU8E (2014-2017) by the independent portuguese photographer Margarida Rodrigues.

saber mais

Fernando Lemos, de Rita Lopes Alves – Outros Olhares (2018)

Fernando Lemos, de Rita Lopes Alves

Outros Olhares – 30/11/2018 – 18:00
Mini-Auditório Salgado Zenha – Piso 0 AAC

Começámos este filme em 2008… terminamos agora, entre Lisboa e São Paulo. “Fui estudante, serralheiro, marceneiro, estofador, impressor de litografia, desenhador, publicitário, professor, pintor, fotógrafo, tocador de gaita, emigrante, exilado, director de museu, assessor de ministros, pesquisador, jornalista, poeta, júri de concursos…. …..conselheiro de pinacotecas, comissário de eventos internacionais, designer de feiras industriais, cenógrafo, pai de filhos, bolseiro, e tenho duas pátrias, uma que me fez e outra que me ajudo a fazer. Como se vê, sou mais um português à procura de coisa melhor.” diz Fernando Lemos, artista que em 1953 deixou Lisboa rumo ao Brasil.

saber mais

Os Maiores da Minha Rua, de Gabriel Coelho – Outros Olhares (2018)

Os Maiores da Minha Rua, de Gabriel Coelho

Outros Olhares – 1/12/2018 – 18:00
Mini-Auditório Salgado Zenha – Piso 0 AAC

Um homem recorda a sua infância, no regresso à sua cidade natal.

saber mais

Pe San Le, de Rousa Coutinho Cabral – Outros Olhares (2018)

Pe San Le, de Rousa Coutinho Cabral

Outros Olhares – 1/12/2018 – 18:00
Mini-Auditório Salgado Zenha – Piso 0 AAC

Um olhar sobre o poeta Camilo Pessanha

saber mais

Orson Welles, de Luís Azevedo – Outros Olhares (2018)

Orson Welles, de Luís Azevedo

Outros Olhares – 29/11/2018 – 18:00
Mini-Auditório Salgado Zenha – Piso 0 AAC

As contradições de Orson Welles foram gravadas em película mais de cem vezes, ao longo de meio século de carreira. Welles sempre teve o desejo – muitas vezes gorado – de interpretar personagens diferentes de si mesmo. Interpretou homens corpulentos de sessenta anos quando era um jovem atlético com um quarto de século, apenas para se tornar um gordo de sessenta anos pouco depois de comemorar cinquenta. A soma destes papéis resulta numa obra heterogênea que vale a pena estudar e, para os meus propósitos, é prenhe para recontextualizações. No âmago do ensaio audiovisual (o trabalho que aqui proponho), existe o biltre compromisso de rearranjar o passado num sistema de edição não-linear para o tornar presente. Dificilmente poderia desejar melhor matéria-prima do que o acervo de um homem que desprezava qualquer noção linear de tempo.

saber mais

O Espectador Espantado, de Edgar Pêra – Outros Olhares (2018)

O Espectador Espantado, de Edgar Pêra

Outros Olhares – 29/11/2018 – 18:00
Mini-Auditório Salgado Zenha – Piso 0 AAC

“Espantar-se é interrogar”.O ESPECTADOR ESPANTADO é uma cine-investigação sobre o acto de ver cinema. Um diálogo entre diferentes tipos de espectadores: o que é mais cinema? – ver o Citizen Kane num telemóvel ou ver um jogo de futebol projectado numa sala de cinema? O que é o Cinema da Incerteza? Quantos tipos de espanto existem? O Medo e a Crença precedem o Espanto? Quais são os direitos e deveres do espectador? Os filmes de ensaio são manifestos contra o voyeurismo? Os espectadores deveriam ser pagos? O que espanta hoje um espectador?

saber mais

Maria Sem Pecado, de Mário Macedo – Outros Olhares (2018)

Maria Sem Pecado, de Mário Macedo

Outros Olhares – 25/11/2018 – 18:00
Mini-Auditório Salgado Zenha – Piso 0 AAC

Após passar 10 anos na cadeia (Tio Rui, 2011), Rui volta a viver com a mãe, que, na sua ausência, começou a mostrar sinais de Alzheimer e agora luta para reconhecer o seu filho mais novo.

saber mais

Tempo Comum, de Susana Nobre – Outros Olhares (2018)

Tempo Comum, de Susana Nobre

Outros Olhares – 25/11/2018 – 18:00
Mini-Auditório Salgado Zenha – Piso 0 AAC

saber mais

The art of losing, de Cristina Ferreira Gomes – Outros Olhares (2018)

The art of losing, de Cristina Ferreira Gomes

Outros Olhares – 26/11/2018 – 18:00
Mini-Auditório Salgado Zenha – Piso 0 AAC

Seis bailarinos. Uma floresta que ardeu. A partir da peça The Art of Losing, da coreógrafa São Castro, o filme cria uma nova narrativa sobre a perda. Como na coreografia, o poema One Art, de Elizabeth Bishop, é o ponto de partida para esta obra que, filmada no devastado Pinhal de Leiria, experimenta a reflexão cinematográfica sobre a dança.

saber mais

my hands are never empty, de Miguel Munhá – Outros Olhares (2018)

my hands are never empty, de Miguel Munhá

Outros Olhares – 26/11/2018 – 18:00
Mini-Auditório Salgado Zenha – Piso 0 AAC

Nunca as minhas mãos ficam vazias segue o percurso do artista Faustin Linyekula em Lisboa. No âmbito da bienal Artista na Cidade, Faustin é convidado a criar e intervir em colaboração com diversas entidades culturais da capital. O bailarino, coreógrafo e encenador congolês tem uma obra assumidamente política, onde denuncia décadas de corrupção, opressão, violência, sofridas pelo povo do seu Congo, ex-Zaire, ex-Congo Belga, ex- Estado Independente do Congo. E apesar de todas essas ruínas (nome que o próprio utiliza para comunicar esse declínio), no trabalho de Faustin há um enorme e esperançoso espaço para enaltecer a força das raízes culturais do seu povo, o ânimo de muitos que continuam a tentar sobreviver, lutar, e sonhar por um país e mundo melhores. Este documentário vive desta dualidade na obra de Faustin Linyekula: apesar de denunciar a escuridão, ele parece procurar a luz; apesar de expor a devastação de milhões que vivem na pobreza, sem condições mínimas de saúde e educação, ele reflecte, espera e trabalha para a mudança. Ele próprio pede, em vez do slogan do punk “No Future”, um “More more more Future”. Apesar da dificuldade de se viver entre estes dois mundos (dificuldade essa que o próprio Faustin assume: “uma pessoa tem de ser muito doida para acreditar teimosamente – apesar das convulsões da história, das guerras, das revoluções, dos regimes – na celebração da beleza”), é talvez na (e pela) energia criada nos seus espectáculos que se acredita na coerência dessa dualidade, e como ela nos poderá ajudar a entender melhor (e a trabalhar sobre) o mundo que nos rodeia.

saber mais

Exposição, de Luis Azevedo – Outros Olhares (2018)

Exposição, de Luis Azevedo

Outros Olhares – 27/11/2018 – 18:00
Mini-Auditório Salgado Zenha – Piso 0 AAC

Documentário sobre Jorge Viana Basto, figura central na criação e desenvolvimento da Formação de Fotografia no Porto e no Norte de Portugal.

saber mais

Os Motivos de Reinaldo, de Ricardo Vieira Lisboa – Outros Olhares (2018)

Os Motivos de Reinaldo, de Ricardo Vieira Lisboa

Outros Olhares – 24/11/2018 – 18:00
Mini-Auditório Salgado Zenha – Piso 0 AAC

Em 1927, Reinaldo Ferreira, o conhecido jornalista e escritor que assinava como Repórter X, fundou a produtora de cinema Repórter X Film a partir da qual realizou, nesse mesmo ano, quatro filmes. Entre eles O Táxi no. 9297 e Rita ou Rito?… onde, pela primeira vez, se figurou de forma explícita no cinema português a homossexualidade, o travestismo e o consumo de drogas pesadas. Este ensaio audiovisual brinca com as recorrências da obra cinematográfica de Reinaldo Ferreira de modo simultaneamente didático e dessacralizado.

saber mais

Histórias de Fantasmas, de Carlos Pereira – Outros Olhares (2018)

Histórias de Fantasmas, de Carlos Pereira

Outros Olhares – 27/11/2018 – 18:00
Mini-Auditório Salgado Zenha – Piso 0 AAC

I. Uma tempestade em Berlim. Relâmpagos. O som dos trovões. II. À procura de um rosto no escuro. III. Dentro de um velho edifício da Stasi, um pintor de ruínas fala sobre ser humano.

saber mais

Cimbalino, de Jerónimo Rocha – Outros Olhares (2018)

Cimbalino, de Jerónimo Rocha

Outros Olhares – 24/11/2018 – 18:00
Mini-Auditório Salgado Zenha – Piso 0 AAC

A palavra Cimbalino – um café expresso – é um regionalismo da cidade do Porto perpetuado pela preferência ao uso das máquinas de café de pressão da marca italiana “La Cimbali”.
Esta é uma viagem por um (micro) cosmos singular, com tanto de maquinal como de orgânico, na descoberta do ciclo de vida da seiva combustível que excita o corpo e a alma dos Portuenses.’

saber mais

Lupo, de Pedro Lino – Outros Olhares (2018)

Lupo, de Pedro Lino

Outros Olhares – 27/11/2018 – 18:00
Mini-Auditório Salgado Zenha – Piso 0 AAC

Sete países, três pseudónimos, duas famílias e, filme após filme, Rino Lupo foi alguém que fez o oposto do que a sociedade esperava. Um contador de histórias com uma veia rebelde, um realizador irrequieto com um sentido de aventura, um sonhador ambicioso. Mas quem foi afinal Rino Lupo? E como é que um personagem tão extraordinário caiu em tamanho esquecimento? Artista único e invulgar, a sua obra acompanhou a história do nascimento do Cinema de perto. Realizou alguns dos melhores filmes mudos em Portugal, desaparecendo misteriosamente no início dos anos 30. Através desta vida fora do comum, resgatam-se as memórias esquecidas das primeiras décadas da Sétima Arte. E a vida de alguém que nunca desistiu dos seus sonhos.

saber mais