sapatos-juris-e1446559698394.png

Júri do XXI Caminhos Film Festival


Na recta final de preparação para o Caminhos Film Festival desta anunciamos hoje os nomes dos jurados responsáveis pela atribuição do palmarés de 2015.

O Caminhos Film Festival entra este ano na XXI edição, uma edição com a novidade Selecção Ensaios Internacionais que trará também ao público português uma amostra do que se vai fazendo nas escolas de cinema internacionais. Apesar da novidade o Caminhos mantém-se como acontecimento ímpar no calendário do cinema português, uma mostra que reserva ao público o destaque do que de melhor foi sendo feito no último ano de cinema português. É a única mostra dedicada à produção nacional, contribuindo não só para a criação de novos públicos mas também para a formação de novos criadores da sétima arte com vertente de Cinemalogia. Tendo a primeira edição do festival decorrido em 1988, os anos mais recentes têm visto um crescimento consolidado do público presente durante a exibição das várias vertentes do Cinema Português.

Como é habitual o Caminhos Film Festival lançou o desafio a várias personalidades da sociedade portuguesa para premiar o que de melhor se produz no cinema nacional. Actores e actrizes, realizadores, jornalistas e críticos de cinema, todos responderam ao apelo dos Caminhos para distinguir o cinema português.

Na Selecção Caminhos, responsável por atribuir o Grande Prémio do Festival, Melhor Longa e Curta-Metragem, Melhor Animação, Melhor Documentário, Prémio Revelação e ainda catorze prémios técnicos, os jurados são os seguintes:

Joaquim Leitão; Ana Rocha; Maria Vieira; Marta Rebelo; Lauro António; Rita Loureiro; Gonçalo Galvão Telles

O Júri de Imprensa, responsável pela atribuição do Melhor Filme, é constituído pelas seguintes individualidades:

Soraia Ramos; Francisco Amaral; Rui Pedro Tendinha

Responsáveis pela atribuição dos prémios Melhor Ensaio Nacional e Melhor Ensaio Internacional, o melhor que se produz nas escolas de cinema, o júri da Selecção Ensaios é constituído por:

Silvía Almeida; Dinarte Branco; Afonso Pimentel; Ricardo Pugschitz de Oliveira; João Antero

Por fim, o Júri da Federação Internacional de Cineclubes, responsável pela atribuição do Prémio Don Quijote:

Massimo Bernardoni (Alemanha); Odd Vaagland (Noruega); Margarida Mateus (Portugal);

 

A organização do Caminhos Film Festival estende o mais sincero agradecimento a todos os que aceitaram o desafio de partilhar com o público os mais variados trilhos Cinema Português e distinguir o que de melhor se vai fazendo no nosso país.

O Caminhos Film Festival decorre em Coimbra de 27 de Novembro a 4 de Dezembro de 2015. A programação do festival está encerrada e será divulgada brevemente.

Júri Caminhos

  • Lauro António

    Lauro António

    Licenciado em História, pela Faculdade de Letras de Lisboa. Realizador de cinema (Manhã Submersa e O Vestido Cor de Fogo), e de televisão (séries Histórias de Mulheres (ficção), Prefácio a Vergílio Ferreira, O Zé Povinho na Revolução, Vamos ao Nimas, José Viana, Maria Sobral Mendonça, A Paródia, Novo Elucidário Madeirense, Humberto Delgado: Obviamente, Demito-o!, (documentarismo), Cantando Espalharei… (poesia). Presença em centenas de Festivais e Semanas de Cinema Português. Diversos prémios, nacionais e internacionais. Filmes vendidos para circuitos comerciais e televisões de dezenas de países – Europa, EUA, África e América Latina.

  • Ana Rocha

    Ana Rocha

    Ana Rocha de Sousa é mestre em cinema pela London Film School e licenciada em pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Ao longo do caminho tem vindo a cruzar, no seu trabalho, técnicas de linguagem artística como a fotografia, artes plásticas, direcção de arte, cenografia, interpretação e realização.

  • Gonçalo Galvão Teles

    Gonçalo Galvão Teles

    Filho do cineasta Luís Galvão Teles, Gonçalo formou-se em Direito pela Universidade de Lisboa antes de viajar para os Estados Unidos onde concluiu o Mestrado em Escrita de Argumento para Cinema e Televisão na Universidade do Sul da Califórnia. Regressado a Portugal, o seu primeiro argumento a ser produzido, a curta-metragem de animação “A Suspeita”, ganhou o Cartoon D’Or para melhor filme de animação europeu do ano 2000.

  • Joaquim Leitão

    Joaquim Leitão

    Joaquim Leitão nasceu em Lisboa, Portugal a 21 de Dezembro de 1956. Fez o curso de montagem na Escola Superior de Cinema. Em 1986 realizou a sua primeira longa-metragem “Duma Vez por Todas”. Como reconhecimento da sua carreira, em 2005 recebeu da parte do Presidente da República Dr. Jorge Sampaio a “Ordem do Infante D. Henrique” - Grau Comendador.

  • Maria Vieira

    Maria Vieira

    Estreou-se como atriz no extinto Teatro Adóque, com a peça Paga as favas (1981); interpretação que lhe valeu, de imediato, o Troféu Nova Gente como Revelação do Teatro de Revista, tendo no ano seguinte sido agraciada com o Prémio da Imprensa, na categoria de Teatro Ligeiro. Na televisão, começa por colaborar com Júlio Isidro no programa Festa é Festa, iniciando depois uma longa relação profissional com Herman José, que a leva a integrar o elenco dassitcoms Hermanias (1984), Humor de Perdição (1987), Casino Royal (1989), Crime na Pensão Estrelinha (1990), Herman SIC (2000/06), Serafim Saudade - o regresso do herói (2001), O Fabuloso Destino de Diácono Remédios (2002) ou Hora H (2007). Participa ainda no popular concurso apresentado por Carlos Cruz 1, 2, 3 (1985), nos espetáculos para televisão Grande Noite (1990), de Filipe La Féria, nas séries Alentejo sem Lei (1991) de João Canijo, e Encontros Imediatos(1993), e fez rábulas no talk show da tarde da RTP, Portugal no Coração(2007/2008).

  • Marta Rebelo

    Marta Rebelo

    Tem 37 anos. Nasceu numa segunda feira de chuva, dia 13 de Fevereiro de 1978.

    Licenciou-se em Direito na FDL, e concluiu o seu mestrado em Ciências Jurídico-Económicas no mesmo sítio, estagiou com o Professor Sousa Franco.

    Publicou muitos livros jurídicos e artigos científicos, foi adjunta, consultora e chefe de gabinete no Governo, líder nacional do Partido Socialista, Deputada à Assembleia da República e Consultora de Comunicação.

    Odeia carneirada e falta de originalidade, verdade, justiça, preconceitos. Preza desmedidamente a gratidão.

    Sente ter o dever de mudar os seus centímetros de mundo.

    Mais recentemente escreve para o seu blog www.thefabulista.net

  • Rita Loureiro

    Rita Loureiro

    Nasceu em Lisboa em 1969, concluiu o curso de formação de Actores da Escola Superior de Teatro e Cinema em 1991. Iniciou a sua atividade profissional num espectáculo encenado por Filipe La Féria no Centro de Arte Moderna.Tem participado ao longo dos anos em vários espectáculos na companhia de Teatro da Cornucópia, com os encenadores Luis Miguel Cintra e Christine Laurent.

Júri Ensaios

  • Afonso Pimentel

    Afonso Pimentel

    Estreou-se com catorze anos numa longa-metragem de Luís Filipe Rocha, Adeus Pai (1996), que lhe valeu o Prémio de Melhor Actor Jovem do Festival Internacional de Moscovo (1997). Desde então teve participação em várias séries, novelas e telefilmes portugueses. Em 2003 foi dirigido por João Lourenço no Teatro Aberto, em Demónios Menores de Bruce Graham, trabalhando com o mesmo encenador em Galileu Galilei de Bertolt Brecht, em 2006. Participou também na peça Pedras Rolantes de Pedro Ribeiro, numa encenação de António Pires (2004).

  • Dinarte Branco

    Dinarte Branco

    Frequentou o Curso de Formação de Actores da ESTC. Participou como actor em espectáculos encenados por Luís Miguel Cintra, Jorge Silva Melo, Joaquim Benite, Ana Nave, Sandra Faleiro, Nicolau dos Mares, Francisco Salgado, Pedro Carraca, Ricardo Aibéo, Miguel Seabra, Tiago Rodrigues, Christine Laurent, Carlos J.Pessoa, Marco Martins, Adriano Luz, Solveig Noderlund, Pedro Marques, Nuno M Cardoso e Beatriz Batarda. Participou no espectáculo “Point Blank”, da companhia belga STAN.

  • Ricardo Pugschitz de Oliveira

    Ricardo Pugschitz de Oliveira

    Nasceu em Cascais em 1977. Começou desde logo, aos dois anos de idade, a participar em filmes de publicidade institucional que lhe incutiram a vontade de não mais se separar do mundo das câmaras e das luzes. Foi com a oferta da sua primeira câmara de fotografar Canon AE-1 que descobriu a manipulação da câmara e o efeito disso na retenção de imagens, que iam para além disso e induziam interpretações e emoções. E percebeu que, acima de tudo, era o cinema e a câmara que lhe interessavam. O enquadramento, a iluminação, o que se quer dizer através da composição, são o universo que o atrai e desafia a compreendê-lo, replicá-lo e, se assim o conseguir, contribuir para a sua inovação.

  • João Antero

    João Antero

    Realizador, director de fotografia e operador de câmara, é licenciado em Cinema, em 1982, pela ECA – USP - São Paulo, Brasil. É professor na Universidade Lusófona, onde lecciona 5 cadeiras (Op. de Estúdio e Controlo de Imagem, Direcção de Fotografia, Atelier de Imagem, Op. de Câmara, e Técnicas de imagem em Movimento) nos cursos de Cinema, Vídeo e Comunicação Multimédia. Membro correspondente das Academia Nacional de Belas Artes e Academia de Letras e Artes Portugal.

  • Sílvia Almeida

    Sílvia Almeida

    Sílvia Almeida nasceu em Aveiro em 1984. Cedo ruma a Lisboa, na sua formação destacam-se: curso intensivo Act- actores Teatro, Cinema e Tv, (de onde se destacam trabalhos com João Canijo, António Pedro Vasconcelos, Dimitry Bogomolov), uma licenciatura em Artes do Espectáculo na FLUL e um Mestrado na ESTC. Iniciou a sua carreira profissional como actriz em 2004, em Lisboa no Teatro Nacional D. Maria II com o espectáculo: “Os Lusíadas Rumo ao Oriente” de António Pires. Durante 10 anos trabalhou em diversos projectos de Teatro, Cinema e TV experimentando diferentes técnicas. Passando por salas como: Teatro Nacional D Maria II Lisboa e Teatro Nacional de São João no Porto, Teatro da Trindade, São Carlos e companhias como: O Bando, Lemon Entertainment, Inestética, Martim Pedroso, Miguel Moreira.

Júri IFFS/FICC

  • Margarida Mateus

    Margarida Mateus

    Tem formação em Psicologia Clínica, Cinema e Teatro. É membro do Centro de Estudos Cinematográficos de Coimbra, do Cineclube de Tomar. Entre 2008 e 2013 escreveu sobre Cinema para o programa radiofónico "Grande Écran", emitido por diversas rádios regionais. Em 2010 e 2011 foi Delegada a Júris e Programadora da Secção Oficial do Festival Caminhos do Cinema Português. Em 2011 trabalhou como tradutora no 27º Festróia, Festival Internacional de Setúbal. Em 2012 foi Programadora Da Secção Oficial do Festival Caminhos do Cinema Português. Foi Vice-presidente da Federação Portuguesa de Cineclubes em 2013 e 2014. Em 2013 fez parte do Júri oficial do concurso nacional de curtas-metragens de Setúbal – Curtas Sadinas e do Júri FICC do Festival FIKE. Actualmente faz parte da Direcção do Cineclube de Tomar.

  • Massimo Bernardoni

    Massimo Bernardoni

    Nasceu a 7 de Março de 1942, em Roma onde concluiu, em Junho de 1960, a escola secundária. Depois de dez meses em Londres, estudou língua e literatura alemã-italiana em Munique e Frankfurt/M. Para além de pequenos textos traduziu para italiano a história literária não-ficcional, do livro “Das Abenteuer der deutschen Literatur “por K. H. Horst.

  • Odd Vaagland

    Odd VaaglandProfessor

    Nasceu em Arendal, uma pequena cidade norueguesa de cerca de 42 000 habitantes. Em idade muito precoce ficou emocionado pela magia do cinema no teatro local. (É por isso que ainda ama a nostalgia do "Cinema Paradico" e “Last Picture Show”) Recorda-se de rir sem parar com os seus amigos com a pantomima de Chaplin em “Easy Street”, partilhavam o suspense sem fôlego enquanto viam o Tarzan a lutar com os leões e crocodilos da selva. E os filmes da Disney com a sua beleza e sentimentalismo. Consumia tudo sem resistência crítica, isto era a idade da inocência. Ás vezes ainda deseja voltar a esse tempo. Na sua juventude dourada não sabia nada sobre como manipular imagens e sons, era neste campo que estava autorizado a ser sentimental.

Júri Imprensa

  • Francisco Amaral

    Francisco Amaral

    Produtor e realizador de audiovisuais. Actual director da ESEC TV (RTP 2). Autor de vários programas de rádio entre os quais "Íntima Fracção" (Antena 1, TSF, RUC, RCP, Expresso Online). Director de Produção em televisão. Docente universitário na área da Comunicação e das Artes. Formação inicial universitária em Artes Visuais, Arquitectura e História da Arte. Estágios em Cinema de Animação com Gaston Roch - Instituto Superior de Artes Visuais de Bruxelas. Bolseiro em França da Federação Portuguesa de Cinema e Audiovisuais.

  • Rui Tendinha

    Rui Tendinha

    Jornalista de cinema de diversas publicações nacionais, colabora ainda para o Telecine, canal de cinema brasileiro. Foi crítico da Ousar(suplemento inserido no Público), O Jornal, Blitz e Elle. Em televisão, foi autor de programas de cinema na SIC Radical, SIC Comédia e SIC Mulher. Desempenhou funções de Vice-Presidente da FIPRESCI e trabalhou na área de cinema de Guimarães 2012 - Capital Europeia da Cultura. Actualmente, é crítico do DN e apresenta o magazine de cinema CineTendinha nos canais SIC.

  • Soraia Ramos

    Soraia Ramos

    Jornalista. Formou-se na Universidade de Coimbra, na Universidade Católica e na Universidade de Bamberg (Alemanha). Já fez reportagens aos microfones da SIC, da RTP, da Antena1, da SIC Notícias e da VISÃO. Já trabalhou em 78 países. Foi a primeira repórter mulher e a primeira jornalista portuguesa a fazer a cobertura da Guerra no Leste da Ucrânia.