DSCF2995.jpg

Um Sonho de Horizonte

Ultimam-se os preparativos para a produção da curta-metragem “Horizonte Artifical”, inserida no programa pedagógico Cinemalogia e nas actividades da 21.ª Semana Cultural da Universidade de Coimbra. É um momento chave deste caminho de aprendizagem que se cruza com a ambição dos alunos, actores e organização de produzir um filme de qualidade que tanto espelhe a qualidade do programa do curso, como permita valorizar e profissionalizar os alunos do curso apresentando-os ao meio cinematográfico como um conjunto de profissionais aptos a entrar em próximas produções. 

De 13 a 17 de abril, conheceremos o percurso e ambição de Álvaro, um escritor preso no seu próprio universo.  A produção, nesta nona edição, é a mais ambiciosa das produções promovidas pelo curso, tanto tecnicamente, como no acompanhamento técnico e teórico. Sebastião Salgado, Lee Fuzeta, Emídio Buchinho, Luísa Bebiano e Carlos Gago contribuirão in loco com a sua experiência na materialização do sonho, o argumento, num Horizonte Artificial concreto, o filme. Ainda existem algumas vagas disponíveis. Se sempre quis aprender como decorre a realização, em específico, e a produção, em geral, de um filme, inscreva-se em www.caminhos.info/cinemalogia/inscricao.

Horizonte Artificial centra-se no processo criativo literário e o confronto com a condição social e económica do autor em início de carreira face à especulação praticada nas indústrias culturais e criativas, bem como à exploração das nossas fantasias, desejos e anseios.

© Tiago Santos

Álvaro Cordeiro, escritor fracassado e deprimido, luta contra um bloqueio criativo que o impede de escrever seu último livro. Leonel Carraça, produtor das mais importantes obras populares da televisão lusófona, descobre Álvaro e o convida para escrever sua próxima novela.  O escritor resiste ao convite, pois acredita que seu talento é escrever a “grande literatura” clássica; entretanto, as dificuldades financeiras fazem-no aceitar.

Álvaro embarca em uma jornada intensiva para completar uma enorme novela em apenas duas semanas, à base de remédios e café, ultrapassando os limites de seu corpo e mente. Ao fim, exausto, o escritor entrega sua obra e vai ter com o produtor. Neste momento, Álvaro tem uma revelação que altera por completo a forma como vê sua história.

Tratamento do Argumento “Horizonte Artificial

A acompanhar os formandos nesta aventura há a Consultadoria especializada de Sebastião Salgado, melhor realizador da XXIII edição festival Caminhos do Cinema Português, Lee Fuzeta, Melhor Fotografia em Documentário nos Prémios AIP 2019, Emidio Buchinho, docente na Escola Superior de Teatro e Cinema do IPL, Luísa Bebiano, arquitecta e directora de arte da longa-metragem Pedro e Inês e Carlos Gago, especialista em caracterização e responsável pelos cabelos em vários filmes de António Ferreira.

A história decorrerá em cinco espaços distintos da cidade de Coimbra, sendo essencial o apoio de várias entidades público-privadas, tanto na cedência dos espaços, como de produtos e géneros alimentícios essenciais aos décors e figurinos danarrativos

© Carlos Ribeiro / CCP

Ambiciona-se neste curso de iniciação à produção cinematográfica, constituído por módulos temáticos, transmitir os principais conhecimentos técnicos e artísticos, conjugando-se a reflexão teórica e a acção prática. Evolutivamente a complexidade do curso acompanhou a oferta de um programa didático na generalidade do que é uma produção cinematográfica, aprofundando-se na especificidade de múltiplas áreas do conhecimento cinematográfico que se conjugam no grande ecrã como; a imagem e o som, em todas as etapas da produção de um filme; a direcção de arte; a direcção de actores; o casting; o planeamento da rodagem e a distribuição do filme, recrutando reputados especialistas do Cinema Português. 

© Vanessa Gomes / CCP

O projecto Cinemalogia tem igualmente procurado valorizar a experiência e percurso dos seus alunos promovendo o seu trabalho no circuito de festivais. De igual forma esta forma de distribuição de produçőes próprias é também internacionalizadora do Cinema e do território de Coimbra, sendo dado a conhecer a festivais por todo o mundo como  (Kansas (EUA), Vigo (ES), Padova (IT), Talin (ES), Sopot (PL), Somerset (UK), Lamar (EUA),…), bem como pelo nosso país (Avanca, Figueira da Foz, Famalicão, Trofa, Viseu…).