31030613672_41a5777695_o.jpg

Apresentação Selecção Caminhos (XXIII)

Ver cinema é abrir os olhos para um mundo novo que se abre à nossa frente. Para que se veja claramente por essa janela, é necessária uma ligação imaginária entre quem vê o filme e as imagens que são projectadas em tela. Essa ligação é fornecida pelo movimento, isto é, pelas imagens cinemáticas que nos fornecem também uma porta.

É preciso ver filmes para se conseguir entrar no mundo imagético do cinema português, e é precisamente isso que anualmente tentamos fazer – levar o maior número de pessoas possíveis a ver cinema produzido em território nacional.

Seleccionar e programar cinema português, no único festival que se dedica exclusivamente ao mesmo, implica um desafio constante para a programação. Seleccionar é estar atento e desperto às movimentações comerciais e não-comerciais dos filmes que são anualmente produzidos, mudando constantemente a nossa perspectiva de ver um programa e um festival de cinema. É tentar criar e recriar fórmulas (sempre imperfeitas) de fazer com que se troque o banco de casa ou do bar pelo de cinema, para que se aceda a esta combinação perfeita criada pelos realizadores portugueses de um mundo fílmico diferente, muitas vezes quase espiritual e expressivo.

É praticamente impossível hoje encontrar uma definição técnica e estética comum e exacta do que é o cinema português, o que nos leva sempre a um mergulho numa diversidade e pluralidade artísticas incomensuráveis. Para grande parte dos realizadores contemporâneos portugueses (com destaque para alguns mais jovens e já com destaque internacional), fazer cinema tem sido uma constante descoberta de novas formas, métodos e técnicas de o realizar, desprendendo-se e movendo-se em frente e não para junto de cânones do passado, daquilo que já foi feito e refeito.

Os próprios documentários nacionais não se centram num realismo em sentido estrito como defendia Rossellini (“As coisas estão ali, para quê manipulá-las?”), mas há uma introdução de uma estética e envolvimento muito pessoais que tornam o realizador num verdadeiro Autor, aquele que expande e conquista mentes. As ficções, sejam elas de pequena ou grande produção, continuam a ser sempre uma surpresa pelos seus conceitos, quase que funcionando por vezes como cinema de consciência e de alerta.

Há, porém, algo que merece referência na apresentação desta programação para que seja compreendido melhor o seu conceito. Em Portugal começa a existir uma abertura do cinema de, como sempre, seleccionar o melhor de “todo o cinema português”, para complementarmos aquilo que já se encontra disponível, mas também enaltecer as obras que de outra forma não teriam uma projecção pública e mediática que um festival como os Caminhos fornece. As sessões competitivas do festival Caminhos do Cinema Português são, assim, desenhadas de forma consciente a esta realidadese deixar levar por todas estas formas plurais de abordar cinema.

Reiteramos que não existem fórmulas perfeitas de programar cinema, mas parece-nos que este é o caminho mais justo tanto para o espectador (que espera algo que ainda não viu) como para o realizador (que vê a sua obra mediatizada e de fácil acesso a todos os interessados). É esta ponte que os Caminhos querem continuar a alicerçar – juntar os públicos com o(s) nosso(s) cinema(s).

Esperamos que a programação suscite interesse a todos os amantes do cinema em geral e do português em particular. Que todos possamos celebrar e viver esta magia emanada por esta festa dedicada ao melhor de todo o cinema português!

Até já,
João R. Pais

Filmes Seleccionados

 

 

TítuloRealizadorProdutoraDuraçãoGénero
Última ChamadaSara Barbas9Animação
Água MoleLaura Gonçalves e Alexandra Ramires (Xá)9Animação
A Gruta de DarwinJoana Toste16Animação
SurpresaPaulo Patrício9Animação
Das Gavetas Nascem SonsVitor Hugo6Animação
A SonolentaMarta Monteiro11Animação
A TocadoraJoana Imaginário8Animação
SeteGustavo Sá3Animação
Freelancer *Francisco Lacerda e Afonso Lopes15Curta Ficção
O Sapato *Luis Vieira Campos5Curta Ficção
A CargaLuís Campos15Curta Ficção
Ferro SangueFábio Penela19Curta Ficção
Ao Telefone com DeusVera Casaca14Curta Ficção
O jardim dos caminhos que se bifurcamJoão Cristóvão Leitão16Curta Ficção
Altas Cidades de OssadasJoão Salaviza19Curta Ficção
Nyo Vweta NaftaIco Costa21Curta Ficção
A LínguaAdriana Martins da Silva26Curta Ficção
Terrain VagueLatifa SaidBando à Parte14Curta Ficção
Ubi SuntSalomé Lamas23Curta Ficção
Coup de GrâceSalomé Lamas25Curta Ficção
Semente ExterminadoraPedro Neves Marques28Curta Ficção
Coelho MauCarlos Conceição30Curta Ficção
Tudo o que ImaginoLeonor Noivo30Curta Ficção
Longe da AmazóniaFrancisco Carvalho18Curta Ficção
Hei-de Morrer Onde NasciMiguel Munhá24Curta Ficção
Já passouSebastião Salgado16Curta Ficção
FloresJorge Jácome26Curta Ficção
O Homem de Trás-os-MontesMiguel Moraes Cabral29Curta Ficção
O Turno da NoiteHugo Pedro26Curta Ficção
Humores ArtificiaisGabriel Abrantes29Curta Ficção
Laranja AmareloPedro Augusto Almeida10Curta Ficção
Câmara Nova *André Marques9Curta Ficção
Farpões BaldiosMarta Mateus25Curta Ficção
Norley e Norlen *Flávio Ferreira8Documentário
Où en êtes-vous, João Pedro Rodrigues?João Pedro Rodrigues21Documentário
O Homem EternoLuís Costa15Documentário
SouvenirsPaulo Martinho2Documentário
Qualquer coisa de beloPedro Sena Nunes10Documentário
Vou-me despedir do rioDavid Gomes30Documentário
Notas de CampoCatarina Botelho47Documentário
TarrafalJoão Paradela80Documentário
Nasci com a Trovoada – Autobiografia póstuma de um cineastaLeonor Areal140Documentário
A Fábrica de NadaPedro Pinho176Documentário
Luz ObscuraSusana Sousa Dia76Documentário
Carta ao Meu AvôJoão Nunes70Documentário
Quem é Bárbara Virginia?Luísa Sequeira77Documentário
Rosas de ErmeraLuis Filipe Rocha125Documentário
António Um Dois TrêsLeonardo Mouramateus95Longa Ficção
António e CatarinaCristina Hanes40Longa Ficção
Al BertoVicentes Alves do Ó110Longa Ficção
A Mãe É Que SabeNuno Rocha83Longa Ficção
Coração NegroRosa Coutinho Cabral105Longa Ficção
A anunciar
A Ilha dos CãesJorge António74Longa Ficção
Histórias de AliceOswaldo Caldeira91Longa Ficção
O dia em que as cartas pararamClaudia Clemente52Longa Ficção
São JorgeMarco Martins116Longa Ficção
Delirio em Las VedrasEdgar Pêra93Longa Ficção

SaveSave

SaveSave