Tag Um Ramadão em Lisboa

Destaques de 25 de Novembro

O Teatro Académico Gil Vicente recebe, no dia 25 de novembro, às 21h45, “O Mar Enrola na Areia”, de Catarina Mourão, que conta a história de ‘Caititinha’. De barbas brancas e apito, vagueava e atraía crianças do areal, pelas praias portuguesas, nos anos 1950, e “Prazer, Camaradas”, de José Filipe Costa, um documentário sobre a vida no Ribatejo após o 25 de abril.

Antes, às 17h30, a realizadora Luísa Homem irá apresentar Suzanne Daveau, um documentário em torno da geógrafa franco-portuguesa que traça o esboço de uma mulher aventureira que atravessa o século XX, até aos dias de hoje, guiada pela paixão da investigação geográfica. O filme circula entre os inúmeros espaços-mundo percorridos pela geógrafa e os reservados espaços-casa que acolheram a sua vida privada.

saber mais

olhares_preto-01-1.png

Selecção Outros Olhares (2019)

“A única coisa verdadeira é a memória. A memória é uma invenção, no cinema a câmara pode fixar um momento, mas esse momento já passou, no fundo o que ele traça é um fantasma desse momento e já não temos a certeza se esse momento existiu fora da película. Ou a película é uma garantia da existência desse momento?”
É com estas palavras que o decano dos realizadores portugueses de então, Manoel de Oliveira irrompe no filme de 1994 Lisbon Story de Wim Wenders. A questão da memória e a sua relação com o cinema é uma questão essencial para compreender as bases onde o cinema documental acenta. Quando Niépce captou a que hoje consideramos a primeira fotografia da história por volta de 1826 e mais tarde os irmãos Lumière em 1895 ao produzirem pela primeira vez a imagem em movimento teriam eles noção do impacto em que teriam para a humanidade e para a noção desta de memória?

saber mais