I1.jpg

Crónicas da Programação – I


21h30

Os Caminhos começam a ser percorridos nesta XXI edição no Auditório do Conservatório de Música de Coimbra. Para o nosso festival, cinema não deve ser apenas mostrado para ser visto e ouvido, mas também tem de fornecer a semente ideal necessária para estimular o nascimento de novas obras. Sem essa estimulação, rapidamente poderíamos chegar a um beco de não criação – situação contra a qual anualmente lutamos, com o nosso curso de cinema ‘Cinemalogia’ que tem o intuito de instruir todos os interessados no mundo do cinema em pensar e criar um filme, fornecendo-lhe as ferramentas necessárias para o desenvolvimento dessa ideia.

Nesta edição, o público confirma que ‘Nunca é Tarde’ para fazer cinema em Coimbra, com a curta-metragem coordenada por Artur Serra Araújo conjuntamente com os formandos da última edição do ‘Cinemalogia’. Numa cidade de muitos amores, o filme apresenta-nos uma história de afecto entre duas mentes que a priori seriam incompatíveis.

Em seguida, começamos a nossa Secção Competitiva Caminhos com ‘Lei da Gravidade’. Como que respondendo à maioria dos lugares-comuns partilhados pelos espectadores superficiais de cinema português, a última curta-metragem de Tiago Rosa-Rosso apresenta-nos personagens de um filme português que se colocam em causa pelo próprio argumento exposto.

Esta primeira sessão termina com o documentário ‘Dr. Adrián e os 5 senhores’, que leva o espectador à linha entre o real e o ficcionado, mergulhando-o no mundo da esquizofrenia e da sua aceitação e terapia. Tudo dentro de momentos não-lúcidos interrompidos por francos exemplos de extrema lucidez quanto à vida e o mundo que (n)os rodeia.

 

João Pais,
Selecção Caminhos