Direcção de Arte

28 de Fevereiro 2015

RESUMO

O diálogo entre a Realização, Fotografia e Direcção Artística é essencial para criar uma base de trabalho sólida para os actores. O trabalho conjunto do Director de Arte e Director de Fotografia na criação de ambientes ajudará o Realizador a comunicar as suas intenções e a dirigir a sua equipa. Na Direcção de Arte, a escala e geometria dos décores, cores, tipo de adereçagem, entre outras variantes, são pensadas em função dos conceitos do Realizador e em função das necessidades técnicas do Director de Fotografia. Os décores têm de ser “filmáveis”

Na Direcção de Fotografia, a escolha de objectivas, película, filtros e temperatura de luz, tipos de plano e movimentos de câmara vem materializar a visão do Realizador.
Neste módulo de Direcção de Arte pretende-se exemplificar como ocorre este dialética e os benefícios desta. Para tal serão exibidos alguns exemplos resultantes desse diálogo e uma demonstração prática como, numa mesma situação, diferentes escolhas trazem resultados díspares.

PLANO DA SESSÃO

Chama-se ao cinema a 7ª Arte, engloba as 6 artes anteriores, e penso que esta designação poderá servir a todo o objecto audiovisual onde estas artes estão presentes, o Som, o Movimento, a Pintura, o Volume, a Representação, a Escrita, a Imagem (sendo esta a 8ª. como Fotografia). Será uma arte multidisciplinar, sendo o produto final criado por um colectivo de especialidades, com um objectivo comum: contar/representar uma historia em imagens de movimentos e ações. Historia, guião, argumento, palavra, já é, em si, a conjugação de arte/criatividade e técnica. Será pelo guião que iniciaremos o módulo de Direcção de Arte, sua analise, levantamento e discussão das diversas necessidades que estão na area de competências da Direcção de Arte.

Numa 1ª fase este levantamento e discussão será no seio do departamento, bem como, as propostas iniciais a apresentar a Realização, Direção de Fotografia e Produção. Posteriormente há que unir as visões diversas, negociar ideias, visuais, ambientes.

Criar uma linha visual, com guarda-roupa, cabelos e maquilhagem que correspondam á visão encontrada e acordada com a Realização, Fotografia e Produção.

Em função das localizações/décors encontrados, deverá ser feito um levantamento, pela realização, produção e DA, das necessidades de todos os departamentos na perspectiva de maximizar e facilitar os dias de rodagem, onde todos os minutos são importantes.

A analise e levantamento exaustivo do Guião pelo Director de Arte contemplará as suas diversas vertentes, décors, espaços/volumes, ambientação ( mobiliário, cortinados, fontes de luz), adereços de cena/acção, adereços diversos, veículos, animais, jardins, eventual construção, carpintaria, pintura etc…

Depois da definição final dos objectivos, passa-se ao trabalho de pesquisa, desenho de decors, esboço de uma estimativa orçamental para discussão com a Direção de Produção e Contabilidade. Em função do plano de rodagem o Director de Arte criará o seu próprio plano, já que o trabalho do departamento antecede as filmagens, acompanha e apoia as mesmas, e no fim passa pela desmontagem e reposição dos locais.

O objectivo deste módulo será a feitura de um dossier de Arte, como base para uma construção visual, que tem como alvo a “forma”; os ambientes serão idealizados para suporte ao trabalho dos actores e à historia a contar, sem se sobreporem ao “conteúdo”; num equilíbrio estético em função das necessidades e intenções do filme.
O modulo terá também um período ( 2 horas ) dedicado à visualização de imagens de trabalhos anteriores do formador, que possam ilustrar diferentes aspectos da actividade deste sector.
Pretende-se, que este período, possa acontecer, em parte ou no todo, não num momento designado, mas sim, se se revelar importante para a ilustração de alguma fase ou assunto no decorrer do modulo.

Não havendo grande diferença no método de trabalho, entre o que se produz para cinema, televisão (alguns formatos), ou publicidade, há características particulares a cada um deles, que serão abordadas para a compreensão do papel do técnico em cada um dos sectores de produção.

DATA & LOCAL

28 de Fevereiro
9:00 — 18:00

Colégio de São Jerónimo, Pólo 1
Universidade de Coimbra

Admissão

Condição Preço Data de Inscrição
Sócios CEC & Juniores 35 € 2015/02/20
Estudantes 55 € 2015/02/20
Público Early Bird 55 € 2015/02/13
Público Geral 70€ 2015/02/20

Inscrição

Formador

João Correia Martins (Joni)Director de Arte

João Correia Martins (Joni) nasceu em Lisboa em 1953 num quarto com vista para o Tejo. A água sempre teve uma grande importância na forma de estar e ser. É Aquario e Dragão. Teve um percurso normal de estudante, frequentou o curso de Arquitectura da ESBAL (não tendo concluído o Bacharelato por diversas razões de vida, e, vidas), experimentou outros terrenos; artes gráficas (Paramount do Brasil, Revista Desportos 1976 ), fotógrafo ( Livro sobre Minas de Morro Velho, MG, Brasil), circo com Tété, mas sempre próximo do cinema por relações familiares e de amizade.

João Correia Martins (Joni)

Outros Módulos

  • Realização

    Realização

    A Realização passa pela coordenação criativa e técnica de toda a equipa de filmagens (imagem e som), impondo uma unidade estética e uma organização funcional às contribuições de todos os que colaboram na produção do filme.
    ---
    28 a 31 de Março
    Sócios CEC & Juniores 100€
    Estudantes 130€
    Early Bird 160€
    Público Geral 200€

  • Direcção de Fotografia 1

    Direcção de Fotografia 1

    Com o objectivo de transmitir os conhecimentos técnico-artísticos da importância do papel do Director de Fotografia (DF), a sua comunicação com o realizador e sobre a forma como ele constroi e gere a sua equipa, o primeiro módulo, teórico, abordará os 3 aspectos essenciais da imagem: os artísticos, os técnicos e a equipa da DF.
    ---
    21 de Fevereiro
    Sócios CEC & Juniores 35€
    Estudantes 55€
    Early Bird 55€
    Público Geral 70

  • Direcção de Fotografia 2

    Direcção de Fotografia 2

    Nesta segunda parte deste módulo, completamente prático, que acompanhará dois dias de rodagem, serão colocados em prática os conceitos e técnicas ensinadas no módulo Direcção de Fotografia 1. O guião será lido e planificado junto com a realização para que, em cada fia de rodagem, se saiba o que fazer e como, por forma a gerir a equipa e distribuir o trabalho. Desta análise, o DF determinará que distâncias focais usar, que profundidade de campo alcançar, que posição de camara e que menus utilizar. O DF irá decidir que iluminação usar, que equipamento utilizar e que acessórios levar. O DF determinará o chamado desenho de luz com posicionamento de projectores, que lampadas, filtros difusores e demais acessórios utilizar para garantir o efeito lumínico e cromático pretendido. Todo este processo será explicado ao longo destes 2 dias de rodagem, respondendo às questões que os formandos vão colocando.
    ---
    28 e 29 de Março
    Sócios CEC & Juniores 50€
    Estudantes 60€
    Early Bird 75€
    Público Geral 100€

  • Direcção de Som

    Direcção de Som

    A utilização expressiva de som em articulação com a imagem é, desde há muito, justamente considerada uma parte essencial de qualquer produção cinematográfica ou audiovisual, justificando-se o seu tratamento independente.
    ---
    22 de Fevereiro de 2015

    Sócios CEC & Juniores 35€
    Estudantes 55€
    Early Bird 55€
    Público Geral 70€

Premium WordPress Themes Download
Download WordPress Themes
Download WordPress Themes
Premium WordPress Themes Download
ZG93bmxvYWQgbHluZGEgY291cnNlIGZyZWU=
download karbonn firmware
Download Nulled WordPress Themes