• Paulo Martins, Federação Portuguesa de Cineclubes (2016)

    Podemos dizer que [Os Caminhos] é um festival de resistência, feito por resistentes. Um festival ao qual tantas vezes vaticinaram o seu fim e outras tantas vezes se ergueu, orgulhoso do trabalho feito e com os olhos postos no que ainda falta fazer. Quem acompanha há décadas os Caminhos sabe o quanto evoluiu e quanto sacrifício foi posto em cada tarefa, em cada desafio.

    Só isso bastaria para o classificar de imprescindível, mas ele é-o desde a primeira hora pois assumiu uma missão de defesa e divulgação do Cinema Português, um festival que, neste país durante tantos anos de costas voltadas para o seu próprio Cinema, poucos arriscariam realizar há 22 anos atrás.

    Paulo Martins, Federação Portuguesa de Cineclubes (2016)
  • Presidente do Conselho Directivo do Instituto do Cinema e Audiovisual – I.P. Luís Chaby VazSendo difícil e simultaneamente satisfatória e ingrata a tarefa das equipas de programadores dos festivais, é com grande satisfação que vemos refletidas nesta 24.ª edição do Caminhos do Cinema Português a qualidade e a diversidade da produção nacional.(…) É toda esta oferta do Caminhos deve ser vista e vivida, como montra e espaço de fruição de um cinema que é o nacional e que se quer para as pessoas e para o mundo. Esperamos que o 24.º Caminhos do Cinema Português seja mais uma grande edição, cumprindo com o seu compromisso assumido de ser “a súmula dos diferentes caminhos que a cinematografia nacional percorre”

    Presidente do Conselho Directivo do Instituto do Cinema e Audiovisual – I.P. Luís Chaby Vaz
  • Gonçalo Lopes, Vice-Presidente e Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Leiria (2016)

    Acreditamos que a aposta na democratização do acesso à arte e a formação de novos públicos é a receita certa para a criação de condições de sustentabilidade da produção cultural e para que esta se afirme, nas suas diversas expressões, como um pilar estruturante de uma sociedade moderna, culta, tolerante e solidária.

    Acreditamos que este festival, pela dimensão e filosofia que assume, contribui também para a abertura de novos caminhos ao cinema português, que vive um momento particularmente feliz, com a afirmação de novos valores, com merecido reconhecimento nacional e internacional.

    A realização deste importante evento, com âncora em Coimbra e que agora se estende a Leiria, é igualmente prova de que há cultura para além dos grandes centros e exemplar do engenho que os agentes culturais locais têm demonstrado para ultrapassar as dificuldades orçamentais no país, particularmente sensíveis neste domínio.

    Gonçalo Lopes, Vice-Presidente e Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Leiria (2016)
  • Sukayna NajmudinHaving the opportunity to attend Caminhos do Cinema Português Festival was invaluable for me as a member of a community cinema as it gave me a great insight into the areas of the film industry that were unknown to me. Before the festival I had never seen a Portuguese film and I left a fan. Festivals are the perfect platform for exhibitors to discover new content and to connect them with filmmakers, to provide perspective on their work. In particular not-for-profit cinemas often have the ability to be more adventurous with their programming and festivals are a great opportunity to find gems that may not make it to commercial cinemas.

    Sukayna Najmudin
  • Carina Gomes, Vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Coimbra (2016)Durante uma semana, serão exibidas, na cidade dos estudantes, obras em português de excelente qualidade, num diálogo permanente entre profissionais e público, resultando numa diversidade de imagens, sons, temas e histórias que tornam este certame único em Portugal. A Câmara Municipal de Coimbra dá assim as boas-vindas a todos os participantes da XXII edição do festival Caminhos do Cinema Português. É um privilégio receber este evento que tem, ao longo dos anos, prestigiado e valorizado a cidade de Coimbra.

    Carina Gomes, Vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Coimbra (2016)
  • Carolina SantosO festival Caminhos do Cinema Português refrescou a minha ideia acerca dos eventos culturais que ocorrem em Coimbra. Ser voluntária nos Caminhos permitiu-me explorar diversas actividades , desde a escrita de artigos, produção de video e  até à apresentação de galas, contactar com mentes criativas , mas ,acima de tudo, levou-me valorizar ainda mais o papel destes eventos na vida cultural de uma cidade e a influência positiva que podem ter na comunidade!

    Carolina Santos
  • A cidade de Coim­bra aco­lhe este ano o XXIII Fes­ti­val Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês. Ao fim de 23 edi­ções pode­mos dizer que o Fes­ti­val já repre­senta uma marca incon­tor­ná­vel na vida cul­tu­ral da cidade e no pano­rama cine­ma­to­grá­fico naci­o­nal. O Fes­ti­val, pro­mo­vido pela Asso­ci­a­ção de Artes Cine­ma­to­grá­fi­cas de Coim­bra e do Cen­tro de Estu­dos Cine­ma­to­grá­fi­cos da Asso­ci­a­ção Aca­dé­mica de Coim­bra, cons­ti­tui-se como mos­tra da plu­ra­li­dade do Cinema português, garantindo o reconhe­ci­mento artís­tico e popu­lar do tra­ba­lho que se vai desen­vol­vendo e a neces­sá­ria reno­va­ção da sétima arte em Por­tu­gal.

    Eduardo Ferro Rodrigues, Presidente da Assembleia da República (2017)
  • Sara Inês GraçaO [festival] Caminhos deu-me a oportunidade de viver o Cinema Português de uma forma ímpar e de poder conhecer e conviver com atores, realizadores e produtores nacionais que sempre admirei. Com o voluntariado tive a oportunidade de coordenar uma equipa e de partilhar a minha aprendizagem com uma organização sempre disposta a ouvir e a trabalhar em conjunto para proporcionar uma melhor experiência para todos os envolvidos. Recomendo este voluntariado para todos os apaixonados pela cultura e, em especial pelo cinema, e para todos os que querem sair da sua zona de conforto e trabalhar num evento desafiante e apaixonante.

    Sara Inês Graça
  • Cinema por­tu­guês é sinó­nimo de diver­si­dade e qua­li­dade: de auto­res, de géne­ros, de temas, de abor­da­gens téc­ni­cas, de lin­gua­gens e de pro­fis­si­o­nais do setor. É nes­tas carac­te­rís­ti­cas que o Cinema, enquanto parte da iden­ti­dade cul­tu­ral por­tu­guesa, reflete a impor­tân­cia de enten­der a Cul­tura como um valor trans­ver­sal, de acesso demo­crá­tico. O fes­ti­val Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês tem vindo a con­so­li­dar a sua impor­tân­cia como cata­li­sa­dor destes prin­cí­pios, ao demo­cra­ti­zar o acesso à Cul­tura, des­cen­tra­li­zando a sua oferta e con­tri­buindo para a cons­tru­ção de novos públi­cos, cada vez mais inte­res­sa­dos, infor­ma­dos e exi­gen­tes. Este é o 23º ano em que, atra­vés deste Fes­ti­val, a diver­si­dade e a qua­li­dade do cinema naci­o­nal se reú­nem num espaço comum, mos­trando que os mui­tos cami­nhos da cine­ma­to­gra­fia podem con­ver­gir num único ponto de encon­tro, onde todo o cinema é por­tu­guês.

    Luís Castro Mendes, Ministro da Cultural (2017)
  • Tiago SantosExperimentei os Caminhos do Cinema Português em 2007, descobrindo um (outro) cinema nacional que não chegava à televisão e ao vídeo. Comecei por ajudar na componente multimédia do evento, para mais de uma década depois ter colaborado em quase todas as facetas do festival, inclusivamente ajudando na criação de novos sub-projectos que hoje são marcos. Os Caminhos são um espaço de crescimento pessoal e colectivo em que se criam laços fortes e se aprende a olhar e transformar o mundo.

    Tiago Santos
  • O fes­ti­val Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês exerce uma fun­ção essen­cial no cinema por­tu­guês, quer divul­gando a pro­du­ção exis­tente quer abrindo cami­nho a novos inte­res­sa­dos nesta ati­vi­dade, que é tão poten­ci­a­dora da dinâ­mica de uma soci­e­dade que tem de ser pro­a­tiva. Estou certo que esta edi­ção vai estar à altura desta mis­são, abrindo mais por­tas, sem­pre renovadas.

    João Gabriel Silva, Magnífico Reitor da Universidade de coimbra
  • Luís Chaby Vaz, Presidente do Conselho de Administração do Instituto do Cinema e Audiovisual IP(…) Des­ta­cando-se pelo impor­tante papel que tem vindo a desem­pe­nhar enquanto des­cen­tra­li­za­dor do acesso à cul­tura, aquele que, na sua 23.ª edi­ção, se apre­senta ainda como o único fes­ti­val dedi­cado a todo o cinema por­tu­guês, é hoje um acon­te­ci­mento incon­tor­ná­vel e imper­dí­vel no pano­rama dos fes­ti­vais de cinema em Por­tu­gal. O fes­ti­val Cami­nhos do Cinema Por­tu­guês reveste-se de grande sin­gu­la­ri­dade, pau­tada pelo pro­fis­si­o­na­lismo de todos os que o com­põem e que se reflete na qua­li­dade da pro­gra­ma­ção que ano após ano tem vindo a apre­sen­tar. Sem esque­cer o con­tri­buto que este fes­ti­val tem dado ao debate e à dis­cus­são sobre o Cinema (pela orga­ni­za­ção do Sim­pó­sio) ou a sua aposta na for­ma­ção (com o curso Cine­ma­lo­gia e os fru­tos que daí já reco­lheu), é com enorme satis­fa­ção que, mais uma vez, faze­mos parte desta concretização.(…)

    Luís Chaby Vaz, Presidente do Conselho de Administração do Instituto do Cinema e Audiovisual IP
  • Pedro Machado, Presidente da Entidade Regional Turismo do Centro de Portugal (2017)(…) Esta­mos, por­tanto, mais do que nunca da impor­tân­cia sen­sí­veis à impor­tân­cia da Indús­tria Cine­ma­to­grá­fica na pro­mo­ção turís­tica de um des­tino, em par­ti­cu­lar, do Cen­tro de Por­tu­gal. O mesmo o com­prova, por um lado, a recente cri­a­ção da Cen­tro Por­tu­gal Film Com­mis­sion – que pos­si­bi­li­tará unir von­ta­des e criar uma rede inte­grada e pro­fis­si­o­nal, para posi­ci­o­nar o Cen­tro de Por­tu­gal a nível inter­na­ci­o­nal como uma das regiões euro­peias que mais van­ta­gens com­pe­ti­ti­vas pode ofe­re­cer à indús­tria do cinema -, e, por outro lado, a rea­li­za­ção de fes­ti­vais de pres­tí­gio e renome, tais como, o Fes­ti­val Cami­nhos Cinema Por­tu­guês.(…)

    Pedro Machado, Presidente da Entidade Regional Turismo do Centro de Portugal (2017)
  • Paulo Martins, Vice-Presidente da Mesa da Assembleia da FPCC (2017)(…) É – sempre foi, aliás – no ambiente informal e de camaradagem entre realizadores, actores, técnicos, cineclubistas, público, imprensa e equipa dos Caminhos que reside o seu charme e, quiçá, a razão principal para a sua longevidade. Isto porque não foi fácil criar, quanto mais manter vivo, um festival dedicado em exclusividade ao Cinema Português, com todas as condicionantes conhecidas (diríamos antes “estruturais”) a que o festival soube sempre responder com a sua criatividade e perseverança, sempre com a simpatia com que trabalha a equipa dos Caminhos do Cinema Português, que, assim, está redobradamente de parabéns por mais esta concretização.(…)

    Paulo Martins, Vice-Presidente da Mesa da Assembleia da FPCC (2017)
  • Carina Gomes, Vereadora da Cultura do Município de Coimbra (2017)A Câmara Municipal de Coimbra congratula o Centro de Estudos Cinematográficos da Associação Académica de Coimbra por mais uma edição deste importante festival. O certame, que, através do cinema português, promove as relações entre os estudantes e a cidade, irá oferecer, durante sete dias, um programa rico e variado, ao mesmo tempo que será um local único para debate, intercâmbio e reflexão. (…)

    Carina Gomes, Vereadora da Cultura do Município de Coimbra (2017)