Caminhos do Cinema Português

Mensagem do Diretor

Próximos do Jubileu que com certeza marcará a vida deste evento, orgulhamo-nos de trazer a Coimbra de forma ininterrupta e contínua o melhor do que se faz no cinema português. Consideramos que ao longo de 24 edições alcançamos um equilíbrio programático que reflete todos os géneros e feitios que caracterizam a produção de cinema no país, procurando de forma equitativa dar-lhe um espaço e públicos, que anseiam por ele, ou que lhes permite a descoberta do mesmo. Sem seccionismos, elitismos ou proselitismos tentamos manter coerente a identidade que nos caracteriza desde sempre: mostrar todo o cinema português.

Apesar da aposta na manutenção desta coerência identitária temo-nos deparado, como em qualquer caminho, com os mais diversos obstáculos, sejam aqueles que derivam do provincianismo que assiste a qualquer localidade que não seja Lisboa ou Porto na mente dos criadores, sejam aqueles que derivam da tacanhez, da ostracização dos responsáveis locais na programação de eventos na cidade. Se a batalha tem sido dura, maior tem sido o prazer de anual- mente, e com os constrangimentos sobejamente conhecidos, ter sido capaz de fazer chegar a esta cidade este evento e através dele contribuir para a depolarização da apresentação, mas igualmente do consumo cultural. Mas esta tarefa não é um feito isolado de um Diretor, não o é de todo, e se alguns nomes da equipa que organiza e prossegue esta missão são conhecidos, é minha obrigação reconhecer o esforço e empenho de toda uma equipa, que não sendo visível é fulcral para que este chegue aos diversos públicos. Acrescentar, inclusivamente, que todo este trabalho é feito sem necessidade de “feiras de vaidades”, que tanto caracteriza os eventos que se apre- sentam à cidade.

Ano após ano salientamos que é essencial esta descentralização cultural, mas igualmente uma desconcentração cultural. Afirmaremos sempre que é necessário criar as condições de fruição e acesso cultural em todo o território, promovendo iniciativas que não se cinjam à cidade de Coimbra, à região centro, e que passam por levar o cinema português mais além. Para além dos diferentes poderes autárquicos, temos contado com um conjunto de parceiros que nos ajudam na prossecução dos nossos objetivos. Só assim é possível apresentar um programa tão variado e eclético, congregando interesses e formas de estar diferentes dos nossos cineastas, e simultaneamente programar para que diferentes públicos, sem políticas de gosto acedam a esta criação.

Na qualidade de Director do único festival de cinema que premeia e reconhece todos os intervenientes da produção cinematográfica, convido a todos a participarem nesta que é a grande festa do e pelo Cinema Português.

Vítor Ferreira
– Diretor do Festival