Caminhos do Cinema Português

Júri da 24.ª edição junta Experiência e Irreverência para julgar os prémios do Cinema Português

© Lia Ferreira / CCP

As equipas de Júri da 24.ª edição estão oficialmente constituídas. Além do público, quatro equipas de júri com personalidades de relevo da cultura, do cinema e da sociedade em geral, terão a responsabilidade de avaliar e premiar as 121 obras em concurso, para um total de 26 prémios, destacando-se os prémios, oficiais e os técnico artísticos, da Seleção Caminhos onde se definem os principais vencedores de cada edição do festival. Há ainda espaço para a premiação internacional com os Prémios D. Quijote da Federação Internacional de Cineclubes e na Seleção Ensaios.

O Júri da Seleção Caminhos tem a seu ônus 15 prémios técnico-artísticos e 6 prémios oficiais, definindo-se quem serão os principais protagonistas deste ano de Cinema Português. Pela diversidade de saberes conjugados para distinguir categorias tão distintas quanto são a direção de fotografia, a direção de arte, os figurinos ou a comunicação, constitui-se uma equipa capaz de ter um olhar interior e exterior do que é o cinema. Assim, esta equipa é constituída pelas atrizes Joana Pais de Brito, Isabel Ruth, pelos atores João Cabral e Marcantónio del Carlo, pelos realizadores Catarina Alves Costa, Marco Martins e João Rui Guerra da Mata, este último também Diretor de Arte, pelo músico José Cid e pelo colorista Nuno Garcia.

Avaliando o futuro do cinema e da sua linguagem está o Júri da Seleção Ensaios. As produções, realizadas em contexto académico, presentes nesta seleção já provaram o seu valor em alguns dos principais festivais de cinema do mundo, tendo agora a oportunidade de juntas concorrerem aos prémios de Melhor Ensaio Nacional e Melhor Ensaio Internacional da Seleção Ensaios. São 60 os ensaios em competição, oriundos de 25 países, congregando em 14 horas de programação pontes culturais e formas de ver e sentir o mundo. O montador Tomás Baltazar, o realizador Luís Ismael, o ator Diogo Amaral, a atriz Benedita Pereira e o youtuber Ricardo Esteves, irão conjugar a sua perspetiva e experiência para decidir quem são os vencedores desta seleção.

O prémio D. Quijote, atribuído pelo Júri FICC, representa a filosofia do movimento cineclubista, como base o Plano de Tabor, dos Direitos do Público e da utopia Quijote. Integram neste júri o realizador português Tiago Cerveira, o realizador e fotógrafo polaco Konrad Domaszewski e a programadora britânica Sukayna Najmudin.

O Prémio de Imprensa CISION visa premiar o rigor e a ousadia estética, tanto no plano narrativo, como a nível da imagem cinematográfica. Pretende-se, assim, valorizar a produção nacional numa perspetiva artística, bem como da comunicação com o público. Integram o Júri de Imprensa o distribuidor Nuno Gonçalves, e os jornalistas Fátima Lacerda e Vasco Câmara.

O derradeiro júri é o público que irá decidir quem ganhará o Prémio do Público Chama Amarela. A sua deliberação será realizada após o término do conjunto de sessões competitivas da Seleção Caminhos, pelo cálculo da média aritmética ponderada das votações expressas nos boletins de voto. Participe nesta decisão e viaje pelos Caminhos do Cinema Português de 23 de novembro a 1 de dezembro.

Toda a informação biográfica sobre as equipas de júri, bem como da programação está disponível em www.caminhos.info