Outro Eu surge ao quinto dia


A 23ª edição do Festival Caminhos do Cinema Português segue para o quinto dia de exibição de filmes, com um total de sete sessões.

As sessões, do dia 1 de dezembro, iniciam-se às 14:30 horas, no Mini – Auditório Salgado Zenha, com “Viagens Filosóficas” da série “No Trilho dos Naturalistas”, realizado por Susana Nobre. Este episódio irá narrar as histórias sobre a ciência moderna portuguesa, levando-nos assim numa viagem sobre o estudo da botânica no decorrer dos anos que remonta ao século XVIII.

Pelas 15 horas, no TAGV, decorrerá a Seleção Caminhos com a exibição de “O jardim dos caminhos que se bifurcam” de José Cristóvão Leitão e “Coração Negro”, o destaque da sessão e realizado por Rosa Coutinho Cabral, que tem como pano de fundo a Ilha do Pico, Açores.

De volta ao Mini – Auditório Salgado Zenha, a Seleção Ensaios tem programada duas sessões nos horários 16:30 horas e 18 horas. Na primeira sessão, destinada aos Ensaios Internacionais, poderá assistir-se a “Aniseed Biscuits” de Estéphan Khattar, “Frequency” de Ahmet Serdar Karaca, “I Am” de Grzegorz Paprzycki, entre outros. A sessão das 18 horas, por sua vez, dará lugar aos Ensaios Nacionais que exibirá apenas “The Art of Moving”, um documentário de Liliana Marinho de Sousa.

A Seleção Caminhos retorna pelas 17:30 horas, no TAGV, com especial destaque para “A Ilha dos cães” de Jorge António, uma adaptação do romance “Os Senhores do areal” do escritor angolano Henrique Abranches. “A ilha dos cães” conta com a participação de Nicolau Breyner, umas das suas últimas interpretações, e de João Cabral, presente na sessão de abertura do Festival. Também se poderá assistir aos filmes “Já passou” de Sebastião Salgado que recebeu o Prémio para Melhor Curta Metragem Internacional no 15º Rome Independent Film Festival e, ainda, “O dia em que as cartas pararam” de Cláudia Clemente que retrata uma paixão proibida vivida por um agente da PIDE e uma estudante universitária.

O Caminhos Mundiais tem início às 19:45 horas, novamente no Mini – Auditório Salgado Zenha, que exibirá o filme espanhol “Julia Ist”, de Elena Martín. O filme conta a história de uma estudante espanhola de arquitetura que decide fazer Erasmus em Berlim, onde se deparará com novas realidades.

A última sessão da Seleção Caminhos começará às 21:45 horas, no TAGV, com a estreia da curta – metragem “O Sapato” de Luís Vieira Campos. Seguir-se-ão as curta – metragens “Hei de morrer onde nasci” de Miguel Munhá, “Humores Artificiais” de Gabriel Antunes e “Flores” de Jorge Jácome. Para terminar passarão os documentários “Longe da Amazónia” de Francisco Carvalho e “Tudo o que imagino” de Leonor Noivo.

O quinto dia do festival encerra com mais uma Master Sessions, com o tema “O Outro Eu” com moderação de Bruno Fontes e participação de Leonardo Mateus, Jorge António e Luís Vieira Campos.

  • Bruno FontesInvestigador

    Bruno Fontes licenciou-se em Estudos Portugueses e Lusófonos na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, e concluiu, na mesma instituição, o Mestrado em Estudos Artísticos, na área de estudos fílmicos. Tem desenvolvido atividades em conjunto com diversas associações culturais em Coimbra, no Porto e na Figueira da Foz. As suas áreas de interesse centram-se no diálogo do cinema com as outras artes, das quais se destacam a literatura e a música, e na análise da arte e da cultura de massas na sociedade contemporânea. Está neste momento a frequentar o Programa de Doutoramento em Materialidades da Literatura na Universidade de Coimbra.

  • Jorge AntónioProdutor

    Divide a sua vida particular e profissional entre Portugal e Angola. Cedo se dedicou ao cinema, desenvolvendo uma atividade cineclubista e realizando filmes amadores em Super 8. Formado pela Escola Superior de Teatro e Cinema, especializou-se na área de Produção, em 1988.

  • Leonardo MouramateusRealizador

    Leonardo Mouramateus nasceu em 1991 em Fortaleza, Brasil. Escreveu e dirigiu uma dezena de premiados curta-metragens exibidos em festivais como Locarno, Cinema du Réel, Festival dei Popoli e Indielisboa, entre muitos outros. Seus filmes também foram mostrados em museus como o Centre Pompidou em Paris ou MASP em São Paulo. Recentemente, retrospectivas de seu trabalho foram apresentadas em importantes instituições, mais notavelmente na Cinemateca Francesa. Leonardo é sócio da produtora Praia à Noite. António Um Dois Três, seu primeiro longa-metragem, estreou na sessão Bright Future do Festival de Cinema de Rotterdam, e foi posteriormente exibido em festivais como o BAFICI, Indielisboa e CPH:PIX.

  • Luís Vieira CamposRealizador / Produtor

    Luís Vieira Campos nasceu no Porto em 1964. Terminou o curso de Cine e Vídeo da ESAP- Escola Superior Artística do Porto em 1989 e foi estagiário de Realização de Manoel de Oliveira na rodagem do filme Divina Comédia. Foi colaborador da RTP- Radiotelevisão Portuguesa como Operador de Control de Imagem e pertenceu aos quadros da Socivídeo e da Alfândega Filmes onde produziu e realizou um vasto trabalho de filmes de carácter promocional e institucional. Desenvolveu a actividade de Formador na área de Produção Audiovisual e Multimédia na Escola das Artes- Universidade Católica Portuguesa, na Alquimia da Côr e no Instituto Multimédia, entre outros. Foi Programador de Cinema da Sala Estúdio do TCA- Teatro do Campo Alegre, no Porto. Em 2008 fundou a Filmes Liberdade.

  • Mauro SoaresActor

    Mauro Soares nasceu em 1988 (Viseu, Portugal). Em 2006 muda-se para Lisboa onde cursou Mestrado Integrado em Engenharia Química e Bioquímica na FCT/UNL. Aí integra o Novo Núcleo Teatro (NNT), em 2009, estrutura cuja direcção só abandona em 2016, tendo produzido e apresentado trabalhos premiados em palcos nacionais e internacionais. Já na Associação Cultural Artes e Engenhos (A+), cuja direcção também integra, tem consistentemente apresentado trabalhos desde 2012. Em Janeiro de 2017, estreia no International Film Festival Rotterdam "António Um Dois Três", que protagoniza, dirigido por Leonardo Mouramateus. Nesse mesmo ano integra o elenco das novas longas metragens do director brasileiro Tavinho Teixeira, e da directora portuguesa Rita Azevedo Gomes. Actualmente desenvolve projectos de longas metragens com Leonardo Mouramateus e Paula Gaitán.