No trilho dos Naturalistas

A série documental “No trilho dos naturalistas” é composta por quatro episódios, produzidos no âmbito de um projecto de investigação co-financiado pelo Ciência Viva/ QREN, nos quais se apresentam os trilhos percorridos por investigadores da Universidade de Coimbra nas suas expedições botânicas a S. Tomé e Princípe, Angola e Moçambique, e se documentam as “Viagens Filosóficas” realizadas por cientistas portugueses no século XVIII, em incursões nas antigas colónias portuguesas.
Aproveitando como ponto de partida as expedições a África realizadas por investigadores portugueses na actualidade, esta série de documentários fala-nos sobre a diversidade de plantas e a ecologia, sobre o funcionamento dos ecossistemas e sobre a relação entre a acção humana e o ambiente. Em cada documentário, vai-nos sendo fornecida informação científica sobre o objecto de estudo da expedição em causa, intercalando-se a demonstração das descobertas científicas mais recentes com referências ao passado da investigação científica em torno dos ecossistemas das regiões africanas no período do domínio colonialista.
A forma como a informação científica é trabalhada cinematograficamente nesta série torna-a mais apelativa, contribuindo para promover o interesse pela história da ciência junto do público em geral.
Com a série “No trilho dos naturalistas”, integrada por quatro filmes-documentário, o Caminhos cumpre uma missão pedagógica no âmbito das ciências naturais, da sociologia e antropologia, dirigindo-se essencialmente a alunos e professores, interessados nestas áreas, quer do ensino básico e secundário, quer do ensino superior.

29 de Novembro

“Moçambique” (2016)
Realizador: João Nicolau
Produtora: Terratreme
Duração: 1h


“Moçambique” foca-se em quatro dos mais importantes ecossistemas encontrados em território moçambicano: os mangais, as pradarias de ervas
marinhas, os inselbergues e a floresta de miombos. Esta exploração é dirigida pelo
Dr. Jorge Paiva e retraça o movimento da expedição botânica de 1963/64 a Angola
e Moçambique, promovida pela Junta de Investigações do Ultramar.

30 de Novembro

“Angola” (2016)
Realizador: André Godinho
Produtora: Terratreme
Duração: 58 min


Em 1927, Luís Wittnich Carrisso, botânico e professor da Universidade
de Coimbra, chegou a Angola para estudar a respectiva flora e recolher plantas
para o Herbário de Coimbra. Em 1937, Luís Carrisso morreu no deserto da
Namíbia, onde 80 anos antes, Frederico Welwitsch descobrira uma planta
desconhecida para a ciência, a Welwitschia miserabilis. Cerca de 80 anos após a
morte de Carrisso, retomamos o trilho da sua expedição, com o objectivo de falar
da biodiversidade das plantas tropicais e das suas adaptações ecológicas, desde a
floresta tropical de chuva do Norte de Angola ao deserto da Namíbia no Sul.

1 de Dezembro

“Viagens Filosóficas” (2016)
Realizador: Susana Nobre
Produtora: Terratreme
Duração: 51 min


“Viagens Filosóficas” enquadra o desenvolvimento da ciência moderna
em Portugal, promovido pelo Marquês de Pombal, o qual resultou nas expedições
filosóficas portuguesas do final do século XVIII. Ao longo da narração das
histórias sobre ciência, embarcamos numa viagem por entre arquivos, herbários e
metodologias usadas no estudo da botânica ao longo dos tempos.

2 de Dezembro

“São Tomé e Príncipe” (2016)
Realizador: Luísa Homem
Produtora: Terratreme
Duração: 59 min


Há 15 milhões de anos, uma erupção vulcânica deu origem a uma nova
ilha no Oceano Atlântico, sobre a linha do Equador. Gradualmente, desenvolveuse
aí um complexo sistema ecológico, a floresta tropical de chuva. Como
chegaram as plantas à ilha? E como funciona este ecossistema? Uma expedição a
S. Tomé no âmbito da investigação científica actual que retraça a exploração
botânica da ilha levada a cabo pelo naturalista Frederico Moller, em 1885.

comentário à série

Após a exibição do último episódio da série será contaremos com o comentário do Prof. Doutor António Gouveira, Director do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, e da equipa da Terratreme Filmes que partilharão a sua visão e experiência enquanto participantes na produção da mesma.

 

António GouveiaDirector do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra

António Carmo Gouveia é diretor do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra e investigador da Cátedra UNESCO em Biodiversidade. Doutorado em Ecologia, os seus interesses de investigação abrangem a diversidade e ecologia das plantas, a história e comunicação da ciência. Coordenou o projecto de divulgação científica "No trilho dos naturalistas