Caminhos do Cinema Português

Encerramento e Entrega de Prémios a 3 de dezembro

© Daniela Proença / CCP

A XXIII Edição do Festival Caminhos do Cinema Português não podia terminar sem um dos momentos altos do evento. A cerimónia de encerramento e respetiva entrega dos prémios são um marco fundamental para o reconhecimento do melhor que se produz no cinema e indústria cinematográfica portuguesa.

E os Caminhos são um evento especial. Mais do que replicar inesgotavelmente uma fórmula, procuramos inovar e reconhecer todos os que procuram promover o Cinema português, técnicos e artistas, e não apenas os filmes. E foi isto que nos moveu, criando programações em ambas as secções competitivas e não competitivas com novas perspetivas e abordagens.

Para além dos grandes prémios do Festival, onde estão incluídos o Grande Prémio do Festival – Portugal Sou Eu, o Prémio do Público – Chama Amarela, o Prémio de Melhor Ensaio Nacional e o Prémio de Melhor Ensaio Internacional – Fnac, existem também os prémios técnicos, dando palco aqueles que são responsáveis pela criação dos filmes, com prémios que reconhecem desde os melhores atores (principais e secundários), aos melhores argumentistas, realizadores, técnicos de som e de fotografia, ou reconhecendo o contributo fulcral e especializado de áreas como a construção de figurinos, pelo prémio Melhor Guarda-Roupa, a caracterização ou a comunicação com os públicos, prémio constituído com o apoio da IVITY Brand Corp.

Depois de sete dias intensos de projeções, de mais de 60 horas de filmes, onde a festa procurou glorificar o cinema português, é este o registo exigido para esta cerimónia de encerramento. E a celebração conta com a participação dos Big Band Rags, pertencente à Tuna Académica da Universidade de Coimbra, e com a apresentação de Gonçalo Ribeiro e Hélder Teixeira.

A Big Band Rags da Tuna Académica da Universidade de Coimbra, criada em 1994, tornou-se conhecida não só pela sua formação pouco comum, mas também pela sua irreverência e entusiasmo em palco, executando desde temas de rock dos anos 50/60, jazz e funk, passando também pela adaptação de alguns temas populares e de Coimbra. Fundada em 1888, a TAUC é um dos mais antigos Organismos Culturais da Academia de Coimbra, tendo primado por ser desde sempre um espaço múltiplo, diverso e rico em diferentes projetos. É atualmente composta por 3 grupos: a Orquestra-Tuna, o Grupo de Fados e a Big Band Rags.

São vários os Caminhos que o Cinema português pode seguir, mas estamos certos que, um festival com as caraterísticas dos Caminhos do Cinema Português é o caminho a seguir, colocando o foco de luz no que se produz dentro de portas. A cerimónia decorre no próximo dia 3 de dezembro, às 22 horas. Contamos consigo.