Caminhos do Cinema Português

“Al Berto” e “A Mãe É Que Sabe” são destaques no terceiro dia dos Caminhos do Cinema Português

São oito o número de sessões do terceiro dia do Caminhos Film Festival, que incluem a série-documental “No Trilho dos Naturalistas”.

São oito o número de sessões do terceiro dia do Caminhos Film Festival, que incluem a série-documental “No Trilho dos Naturalistas”.

O período da manhã reserva o protagonismo aos mais jovens. Será mais uma sessão dos Caminhos Juniores, pelas 10 horas, no Teatro Académico de Gil Vicente, iniciando o terceiro dia de festival.

Às 14h30, no Mini-Auditório Salgado Zenha, é exibido o primeiro filme da secção “No Trilho dos Naturalistas”, nomeadamente “Moçambique”, de João Nicolau. Esta secção abrange quatro filmes-documentário produzidos no âmbito de um projeto de investigação co-financiado pelo Ciência Viva/QREN, nos quais se apresentam os trilhos percorridos por investigadores da Universidade de Coimbra nas suas expedições botânicas a S. Tomé e Príncipe, Angola e Moçambique, documentando as “Viagens Filosóficas” realizadas por cientistas portugueses no século XVIII.

Às 15 horas, no TAGV, podemos contar com mais uma sessão da Seleção Caminhos, dedicada exclusivamente aos Seniores, com “A Mãe É Que Sabe”, sessão que contará com a presença do realizador Nuno Rocha e da produtora Sandra Paulo.

De volta ao Mini-Auditório Salgado Zenha, pelas 16h30, terá início mais uma sessão da Seleção Ensaios Internacionais, onde pode assistir-se à animação “Ys”, ao drama ficcional “Dream” de Kang Shin Gyu, à curta “Waiting Time” de Clara Stern, “Dragon´s Wing” da búlgara Antonia Milcheva e “Mathias”, novamente de Clara Stern, produzido pela Film Academy Vienna.

Uma nova sessão da Seleção Caminhos será pelas 17h30, de novo no TAGV, trazendo o filme “Où en êtes-vous, João Pedro Rodrigues?”, documentário realizado por João Pedro Rodrigues, ao que se segue o destaque “Al Berto”, que contará com a presença do seu realizador, Vicentes Alves do Ó, e ainda do seu protagonista, Ricardo Teixeira.

A concorrer também pela Seleção Ensaios, mas desta feita a nível nacional, estarão em exibição pelas 18 horas, no Mini-Auditório Salgado Zenha, os filmes “Obsolescence” de Nuno Braumman, “Las Dos Mitades” de Gwenn Joyaux, “Limoeiro” de Joana Silva, “End” de Pedro Carneiro, “O Regresso” de Pedro Branco, “78.4 Pluto Rádio”, ficção de Tiago Amorim, “Banho de Paragem” com a coordenação de realização de Nuno Rocha, e “Gapiarra” de Celso Rosa.

Às 19h45 inaugura-se nesta 23ª edição a secção Caminhos Mundiais, também no Mini-Auditório Salgado Zenha, com a curta de Maciej Barczewski, “My Pretty Pony”, “Grandpa Online” do japonês Ian Lui, “Mother” de Piotrek Golebiowski e a curta ficcional de Petra Barkhausen, “In Ayahs Eyes”. Esta secção trata-se de uma introdução à cinematografia mundial aos diferentes públicos, sendo que nesta 23ª edição dos Caminhos do Cinema Português, os temas são a importância da família na nossa vida e a vida no estrangeiro.

A sessão das 21h45 no TAGV, novamente da Seleção Caminhos, inicia-se com o filme “Laranja Amarelo” de Pedro Augusto Almeida, prosseguindo-se a estreia do português André Marques com “Câmara Nova”, contando com a sua presença nesta sessão. “António Um Dois Três” de Leonardo Moura Mateus é o último filme candidato em exibição no terceiro dia, sendo que Miguel Ribeiro, produtor do mesmo, marcará presença na exibição do filme.

SaveSave