IMG_98911.png

Preconceito em terras lusas

A sessão das 17h30m decorrida neste sábado no TAGV contou com a exibição de três curtas de ficção (“Eden”, “Branco” e “Cigano”), duas curtas de animação (“Ana, um palíndromo” e “O Canto dos 4 Caminhos”) e de um documentário (“Nós os chineses”)

Vista da Sala
Pormenor Filme

A animação de “Ana, um palíndromo” foi realizada por Joana Toste e reflecte um momento da vida de Ana – sendo ela também um palíndromo, uma palavra, verso ou grupo de palavras em que o sentido é o mesmo, quer se leia da esquerda para a direita ou da direita para a esquerda. De Nuno Amorim, “O Canto dos 4 caminhos” relata, em cerca de 12 minutos, a história de Tião que se afeiçoara a uma ave e a perdera, seguindo numa aventura para reaver o canto perdido do animal.

A curta “Éden”, de Fábio Freitas, metaforiza o jardim do Éden numa relação entre dois homens que se amam. Numa produção repleta de significações, os actores Nuno Pardal e Pedro Sousa Loureiro falam sobre a busca da felicidade. Em “Branco”, de Luís Alves, seguimos a história de um sujeito que pretende defender a pátria portuguesa a todo o custo (mesmo da própria vida); ao longo da curta, somos abordados por conceitos de liberdade, política e droga. Produzido por David Bonneville, “Cigano” é uma curta de ficção que tem como premissa a relação comportamental entre um rapaz que tem o pneu do carro furado e o cigano que o ajuda a resolver a situação. O rapaz dá boleia ao cigano mas não chegam ao destino previsto.

O documentário “Nós os chineses” é constituído por uma série de entrevistas a indivíduos chineses que se encontram emigrados em Portugal. Numa curiosa e engraçada colectânea de depoimentos, são abordadas as principais diferentes entre os dois países: a nível de trabalho, de qualidade de vida, de preconceitos… Este documentário põe em perspectiva a sociedade chinesa num contexto social português.

Texto: Cláudia Carvalho Silva
Fotografia: Afonso Bastos