Caminhos do Cinema Português

Watching the River Flow – CAV 14 a 23 Novembro

Curadoria de Sean Walsh | Centro de Artes Visuais, Coimbra | 14 a 23 Novembro 2012

Press here to read the english version of this article.

‘…watching the river flow…’ é uma exposição do trabalho de uma série de artistas irlandeses em fotografia e vídeo.
Organizado por Sean Walsh, Director do Ballina Arts Centre, a exposição capta a essencia da Irlanda no século XXI. O colapso económico, o qual seguiu os anos ‘boom’ do Celtic Tiger, teve profundos efeitos sócioculturais num país que estava a chegar a uma conclusão quanto à sua recente prosperidade.

A Irlanda sempre foi um país cujos artistas tiveram um papel importante na escrita e no registo da sua história. Durante o último século, muita dessa história era composta por pobreza, repressão e miséria. No virar do milénio, o país foi apanhado por todo um mundo em desenvolvimento e experimentou uma prosperidade sem precedente. Com o colapso da industria da construção e o ‘boom’ da propriedade, a robustez da economia do país murchou, deixando dívidas astronómicas que o país terá de pagar durante as próximas gerações. Porém, apesar de tudo isto, a vida continua.

E mais uma vez, os artistas da Irlanda estão lá para registar o ‘rio’ da vida. Eles observam-no numa perspectiva ‘exterior’. Esta exposição realça alguns dos mais interessantes artistas irlandeses. Trabalhando em fotografia e vídeo, eles são talvez os mais bem equipados para capturar a verdadeira essencial da mudança irlandesa. Através do seu trabalho, vemos pessoal, espaços, lugares, prédios, objectos… alguns com uma ‘borda’ abstracta, enquanto outras mais claras. A linha comum que une todo o trabalho, porém, é a realidade. E é o agora. ‘…watching the river flow…’ realça o trabalho de: Niall Kerrigan (fotografia); Aideen Barry (vídeo); Alan James Burns (vídeo); Ian Wieczorek (vídeo); Amanda Rice (vídeo); Paul Hallanhan (vídeo); e Ruby Wallis (fotografia).

 

Artistas

Niall Kerrigan – Derelict
Niall Kerrigan designer gráfico galardoado de Dublin, agora a viver em Killala, no Condado de Mayo. Desde que se mudou para Mayo que documentou a área onde vive e trabalhou por meio de fotografia, que representa a maior parte do seu trabalho. Derelict: Silent & Still é uma exposição inspirada pela arquitectura do abandono. Durante a renovação urbana, muitas foram as casas deixadas, escoradas por madeiras, aguardando as suas terras por um preço justo. Estas meias-casas, divididas por paredes interiores, são a decadência deixada para trás pelo Homem. Foram despitas de tudo, menos de raras evidências de que outrora foram habitadas por humanos: um prato partido, um sapato sem sola, exprimindo um sentimento de abandono e perda. Foram deixados como – quase literalmente – uma perda de espaço. Encontra-se cada um deles a apodrecer em silêncio, dando-lhe voz através apenas de enquadramento e luz natural.

 

Aideen Barry – Possession
Possession é o filme de animação de Aideen Barry’s, que satiriza a nossa tendencia de viver além das nossas necessidade para perseguir a nossa necessidade. Aideen Barry (nasceu em 1979) é um artista visual que vive na Irlanda. Barry nasceu em Cork e é conhecida pelas suas acções performativas, filmes, escultura, desenho e trabalho de instalação. O seu trabalho foi mostrado nacional e internacionalmente numa série de museus, centro de Arte Contemporânea, Galerias privadas e Feiras de arte por todo o mundo.

 

Alan James Burns – untitled
Alan James Burns é um artista de vídeo, instalação e performance, residente em Dublin. Recebeu um BA em Belas Artes, pelo Dublin Institute of Technology, 2008. As suas exibições a solo incluem ‘Till the Cows Come Home’ (Cavan County Museum, 2011) e ‘To Walk in a State of Finality than in one of Impermance’ (Exchange Gallery, 2010). Futuras exibições incluem Claremorris Open, Claremorris, Co Mayo and Gracelands, Co. Leitrim, 2011 Alan James Burns is a video, installation, performance artist based in Dublin. He received a BA in Fine Art, from Dublin Institute of Technology, 2008. Solo exhibitions include Till the Cows Come Home, Cavan County Museum, 2011 and To Walk in a State of Finality than in one of Impermance, Exchange Gallery, 2010. Forthcoming exhibitions include Claremorris Open, Claremorris, Co Mayo and Gracelands, Co. Leitrim, 2011.

 

Ian Wieczorek- Business as Usual
A prática artistica de Ian Wieczorek é baseada primeiramente na pintura e no desejo, e mais recentemente na curadoria. Desde 2003 que expõe amplamente em grupos/shows privados na Irlanda (incluindo Undertow (organizado por Alice Maher e Aideen Barry) 2011/12; CCA:RDS Collective Contemporary Art 2010 (organizado por Helen Carey); COE/Claremorris Open Exhibition 2009; e IONTAS 2005), N. Irlanda, Alemanha (Kornhäuschen, Ascha%enburg, e turn-berlin gallery, Berlim) e China (411 Galleries, Hangzhou, China Central Academy of Fine Art Gallery, Beijing e Eastlink Gallery, Shanghai). Business As Usual é uma curta-metragem que explora as noções de persistência e transigência, filmado num hotel abandonado à beira-mar em West Kerry. A peça apresenta quatro pontos de vista do interior do hotel, aparentemente estático, porém reflectindo as mudanças atmosférias, observando um desaparecimento progressivo de uma estrutura destruída. Um edifício que, mesmo com o vento, pingos de água e invadido por aves, ainda ecoa ressonâncias do seus apogeu.

 

Amanda Rice – fire sequence
Amanda Rice é uma artista multi-media. O seu trabalho alterna entre os suportes impressos, instalações e múltiplas abordagens procurando atingir o idealismo dentro da ambiguidade ou ambientes banais. Os seus trabalhos focam assuntos como o progresso e a urbanização, apesar de os seus trabalhos estarem politizados também reflectem algum humor. O seu trabalho actual toma o ponto de vista do migrante, da viagem e do fluxo como meios de construir a identidade de cada indivíduo. O tempo de trânsito levou-a a considerar que a estagnação social se pode desenvolver quando confrontada em ambientes consistentes e repetitivos.

 

Paul Hallahan – holy the supernatural extra brilliant intelligent kindness of the soul
“Holy the supernatural extra brilliant intelligent kindness of the soul” é um trabalho em video por Paul Hallahn, um artista irlandês de Kildare. O seu trabalho é amplamente baseado por meio de vídeo e envolve um olhar sob a relação entre o Homem e o seu redor. Entre 2009 e 2012 fundou com dirigiu Soma Contemporary Art Space na cidade de Waterford.

 

<

p style=”text-align: justify;”>Ruby Wallis – Other Madonnas
Ruby Wallis é uma investigadora PhD juntamente com o National College of Art & Design, Dublin (NCAD) e GradCAM. Ela completou o seu M.A. em Fotografia Documental em 2007 na University of Newport, Wales e um grau em Pintura na GMIT, 2004. Wallis tem exposto internacionalmente desde 2003. Ela foi participou no Community Artist – com CREATE, Practice.ie e no Galway Arts Centre desde 2002. Também foi nomeada em 2006 e 2009 para o Gallery of Photography’s Artist Award e fez parte do seu show-digressão ‘An Insiders View’, Fotografia, exposto em Dublin, Ales, Paris e Berlim em 2008. Os trabalhos nesta exibição são retirados de ‘Other Madonnas: body of work documenting alternative and tangential communities, on this occasion with a series of photographs of single mothers with their daughters’.